Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos Mensais: junho 2009

Berry rides again

O veterano e legenda do rock Chuck Berry, volta ao país para show único em São Paulo no Via Funchal em 19 de agosto.

Os ingressos já estão à venda, o figura esteve por aqui no ano passado tocando no Rio e em Sampa. Com 82 anos, vale mais como curiosidade do que pelo show.

Via Funchal

Dia 19 de agosto : 21h30.

Ingr.: R$ 100 (plateia lateral), R$ 150 (plateia 3 e mezanino lateral), R$ 200 (plateia 2 e mezanino central), R$ 250 (plateia 1) e R$ 350 (plateia VIP e camarote).

Anúncios

Semana com shows imperdíveis em Sampa no Bourbon Street

Esse mês de Julho começa com grandes shows em SAMPA !!

Para a galera mais roqueira temos amanhã – THE GUTTER TWINS – projeto de Greg Dulli  (Ex.Afgan Wings) e Mark Lanegan (Ex.Screeming Trees), apresentando show do disco Saturnalia lançado em março desse ano.

Dia 01 de Julho de 2009 -Ingressos R$ 125,00 – 22:00

Já para quem gosta do som latino do grande Jorge Drexler, ainda há ingressos para pista. Confiram !!

Dia 02 de Julho de 2009 – Ingressos (PISTA) R$ 95,00 – 22:00

Slim Jim Phantom na América do Sul

O ex baterista do Stray Cats, Slim Jim Phantom, chega na América do Sul para cinco shows. Esse show é a dica da semana do BLOG – Vai ser A N I M A L !!

Jimmy Rip

Jimmy Rip

Para os fãs do rock clássico e do rock-a-billy, será imperdível, em especial pela banda com o grande guitarrista Jimmy Rip que é um show à parte.

Slim Jim é uma figura, toca a batera em pé, agitando o tempo todo e vale o show.

Já tocou com todos os caras mais importantes do rock dos anos 50, e além dos Stray Cats, podemos destacar outro projeto de trio Rock and Roll do cara, simplesmente com Mr.Lemmy do Motorhead, o “Lemmy, Slim Jim e Danny B”.

Slim Jim Phantom

Slim Jim Phantom

Confiram as datas do tour :

BRASIL
Quinta – 02 de julho 09 – Rio de Janeiro – Estrela da Lapa
Sexta – 03 de julho 09 – Brasilia – Mercado Alternativo
Sábado – 04 de julho 09 – São Paulo – Clash Club
Domingo – 05 de julho 09 – Curitiba – Joker’s Pub

ARGENTINA
Quarta – 08 de julho 09 – Buenos Aires – Niceto Club

Podcast Emissão 13 – “Supergroups”

Esse Emissão 13 – Programa Supergroups, é dedicado somente a bandas com formações clássicas e que marcaram e marcam presença no panorama musical

Tudo começa com PIL (Public Image) e a sonzeira de Bags – do clássico disco ALBUM.

Banda do Ex.Johnny Rotten – John Lydon, no seu disco mais poderoso o grande Álbum,em companhia de figuras como Steve Vai nas guitarras, Ginger Baker na bateria, Bernard Fowler nos backing vocals e Ryuichi Sakamoto – nos teclados, tudo com a produção de Bill Laswell.

O primeiro bloco chega com Dead Weather e  “Are Friends Electric” um cover de Gary Numan.

Com o incansável Jack White – na bateria, guitarra e vocais com a vocal do The Kills – Alison Mosshart e companheiros do Raconteurs (Dean Fertita – guitar, organ, electric piano, synthesizer e Jack Lawrence – bass, drums). É um exemplar de supergrupo Indie Rock.

Seguido do grunge do Mad Season e “I dont know anything” – No auge do grunge, deu pra sentir o impacto do Mad Season com Barrett Martin – bateria (Ex.Screaming Trees), Mike McCready – guitarras (Pearl Jam), John Baker Saunders – baixo e o mítico Layne Staleynos vocais (Ex.Alice in Chains – 1994–1997).

Fecha o bloco Audioslave com a pesada “Your time has come”.

Com o fim do Rage Against the Machine, o núcleo musical da banda (Tom Morello , Tim Commerford e Brad Wilk) se juntou ao Ex.Soundgarden (Chris Cornell), fazendo do Audioslave um supermega grupo, que como se previa durou pouco.

O segundo bloco começa nos anos 70 com Billy Bond y la pesada Del Rock .

Ícone do rock argentino, o cara nascido na Itália teve carreira no Brasil tocando com o Joelho de Porco no fim dos anos 70, após ter montado na Argentina o incrível combo La Pesada Del Rock, que com formação anárquica teve diversos músicos em sua formação. Comparece no Vishows com sonzeira de 1972 – “La maldita máquina de matar”. Atualmente residindo no Brasil, é produtor teatral de sucesso com montagens como A bela e a fera.

Membros das principais formações : Billy Bond (Voz),Kubero Díaz (guitarra),Alejandro Medina (baixo),Javier Martínez (batería), Jorge Pinchevsky (violín), Pappo (guitarra), David Lebón, Javier Martínez e Luis Alberto Spinetta.

Seguimos com CSNY, os caras já eram grandes quando se juntaram como Crosby, Stills, Nash and Young no final dos anos 60, e foram artífices do movimento hippie e da contra-cultura, a letra da canção “Almost cut my hair” é emblemática para a época.

Inicialmente como trio (sem Young), se formaram à partir das bandas The Byrds, The Hollies e Buffalo Springfield.

A longa carreira dos caras sempre se cruzam com os projetos pessoais dos 4 componentes, mas continuam por aí, e incomodando como sempre os políticos como se viu na última campanha presidencial americana, onde atormentaram os republicanos como sempre. CSN&Y são David Crosby , Stephen Stills, Graham Nash e Neil Young.

Fecha o bloco o super Blind Faith e “Can´t find my way home”. Com a desintegração do Cream (Que foi um dos primeiros supergrupos), surgiu outra mega formação, o Blind Faith, juntando Eric Claptonguitarra, vocals e Ginger Bakerbateria com o grande Steve Winwoodorgão e vocals.

Com um só disco de estúdio, a banda não suportou muito como projeto, mas deixou um disco sensacional e clássicos eternos.

O último bloco começa com Traveling Wilburys, supergrupo dos anos 80, simplesmente com George Harrison, Jeff Lynne (Ex.ELO), Bob Dylan, Tom Petty e o mestre Roy Orbison – mandando ver com “End of the line”

Indo para o Brasil do final dos anos 60 o grande Gilberto Gil e Os Mutantes , juntos com “Domingo no Parque”.

No tropicalismo, o grande Gilberto Gil, se uniu aos Mutantes com Rita Lee, Sérgio Dias Baptista e Arnaldo Dias Baptista, juntos se apresentaram e se consagraram com essa música incrível juntando Beatles fase psicodélica com o ritmo do nordeste brasileiro.

O programa se encerra com – Red Hot Chili Peppers e do clássico One Hot Minute “Walkabout”.

Na Califórnia houve época, onde RHCP e Janes Addiction, brigavam para ver qual a banda era mais freak e autêntica. Em cada momento uma das formações se mostrava mais perto de estourar, e essa competição acabou ajudando na consolidação dos grupos e dos seus estilos. Após o fim do Janes e tragédias pessoais do Red Hot, o que muitos sonhavam rolou, e Dave Navarro se integrou aos Peppers, trazendo seu peso e androgenia para os caras.

Durou pouco mas criou o grande álbum One Hot Minute. A convivência manteve as bandas próximas, e em algumas re-encarnações do Janes Addiction a mesma contou com o auxílio luxuoso do Pepper Flea.

Red Hot Chili Peppers – formação do disco One Hot Minute, Anthony Kiedisvocal, Fleabaixo, Dave Navarroguitarra e backup vocal e Chad Smithbateria e percussão.

CURTE O SOM GALERA !!

Los Peyotes agitam alternativos em Buenos Aires (26/06/2009)

Se preparando para Tour em Julho desse ano na Europa, o grupo Los Peyotes ,quinteto formado por argentinos e peruanos, toca no Centro Cultural Rojas, nessa Sexta Feira – 26 de junho.

Los Peyotes

Los Peyotes

A banda com mais de 10 anos de atividade, é uma grande referência do som Bubblegum dos 60´s mas com postura PUNK ROCK !! Fica a dica para todos que precisam de um programa legal para essa Sexta na capital portenha.

Vejam o vídeo dos caras – direto do You Tube… com a música Bdaaa !!

RIP – Michael Jackson

Sem palavras, segue uma versão legal de Human Nature – O cara foi FODA, eu ví nos anos 90 no Morumbí…

Rest in peace Michael !!  VALEUZ !!

If They Say –
Why, Why, Tell ‘Em That Is Human Nature
Why, Why, Does He Do Me That Way
If They Say –
Why, Why, Tell ‘Em That Is Human Nature
Why, Why, Does He Do Me That Way



Del Rey volta aos palcos paulistanos nessa Sexta

Balada Indie, com Del Rey, banda formada pelo cantor China (Ex-Sheik Tosado) e por membros no Mombojó detonam no já tradicional show, que revisita o repertório do Rei “Roberto Carlos”, em versões instigantes.

Vejam matéria com os Caras no Radiola da TRAMA

Com esse shows, o grupo tem garantido público fiel e palcos interessantes para se apresentar, dessa vez em plena Augusta, o Studio SP recebe os caras nessa Sexta dia 26 de junho às 23:00, na casa vai rolar também som com a DJ Miss Má.

Studio SP – Sexta 26/06/2009 – 23 hrs – R$ 30,00

Lobão em versão plugada agita o Circo Voador

O roqueiro carioca Lobão vem com tudo para agitar a LAPA nesse Sábado – 27 de junho de 2009, em seu novo tour dessa vez plugado depois do bem sucedido Lobão Acústico MTV.

Lobão

Lobão

A nova formação de sua banda conta com duas guitarras, baixo e bateria. Re-eletrificando o repertório do velho lobo, que sempre manda bem nos shows com alta dosagem de energia roqueira. Nesse formato, o figura sem dúvida fica mais à vontade… confiram Lobão na Turné Elétrico.

22 horas – ingressos no http://www.ingresso.com.br

R$ 20,00 para estudantes e R$ 40,00 inteira.

Circo Voador – Lapa – Rio de Janeiro

Setembro com Simple Minds (CANCELADO)

Direto da Escócia vamos conferir em setembro a grande banda Simple Minds, em  Tour do mais novo trabalho Graffiti Soul, que por sinal atualiza e moderniza com dignidade o som da banda de Mr.Kerr.

SORRY – CANCELADO

Simple Minds não está parado e o disco novo detona !!

Confiram a sonzeira nova do single “Rockets”

A banda está em comemoração dos 30 anos de carreira e se apresententa em São Paulo, dia 24 de setembro, no HSBC Brasil, devem rolar shows em outras cidades, mas nada confirmado até o momento.

Para se aquecer segue o set-list da banda em show na Alemanha nesse último fim de semana :

Simple Minds at Ravensberger Park, Bielefeld, Germany Setlist on June 19, 2009

1.Children Of The Revolution
2.Waterfront
3.I Travel
4.Stay Visible
5.Different World
6.See The Lights
7.Hypnotised
8.Moscow Underground
9.Stars Will Lead The Way
10.Rockets
11.Dolphins
12.Don’t You (Forget About Me)
13.Glittering Prize
14.Promised You A Miracle
15.Someone Somewhere in Summertime
16.New Gold Dream (01, 02, 03, 04)
17.Alive And Kicking

18.Home
19.Belfast Child
20.Sanctify Yourself

21.This Is It
22.Ghostdancing

Eu te amo…não mais.

 Quando o editor do Vishows me incentivou para escrever sobre a exposição do Serge Gainsbourg que fui ver no Sesc a primeira coisa que me veio a cabeça foi, legal, vou escrever  sobre sacanagem !!!

E cá entre nós, sacanagem é sempre gostoso, mesmo de fora, o que já é uma sacanagem.

Na verdade, antes de ir a exposição, não sabia ao certo quem foi o Serge ( vou deixar o sobrenome de fora pois é uma sacanagem de tão difícil), mas conhecia “Je t’aime moi non plus”, aliás quem tem mais de 30 anos e não conhece essa música, não teve sua iniciação sexual com as deliciosas pornochanchadas de sexta-feira à noite no Sala Especial… filmes até ingênuos  que passavam às 23:00 na Tv Record no início da década de 80.

 Ah, quanta coisa aprendi na Sala Especial…claro que sempre escondido.

Mas voltando ao Serge, ele nasceu em Paris, filho de judeus russos que haviam emigrado para a França.

Seu nome original era  Lucien Ginzburg e a mudança para  Serge Gainsbourg aconteceu no final da década de 50. Estreou em vinil em 1958 com Du Chant à la Une! Sua carreira deslanchou em 1966, em meio à febre das Ye Ye Girls, quando passou a compor e empresariar a jovem cantora France Gall. Em 1968 começou um affaire com a atriz Brigitte Bardot, com a qual gravou canções memoráveis.

“Je t’aime moi non plus” – havia sido composta originalmente para Brigitte, mas ela, insegura com o escândalo que a música poderia causar (e certamente causou), preferiu não lançar o dueto. Serge, por sua vez, encontrou uma substituta à altura: a atriz inglesa Jane Birkin, que já havia causado escândalo com cenas de nudez em Blow Up (filme de Michelangelo Antonioni) e com a qual foi depois casado.

Serge também foi ator e cineasta. Contudo, seu maior personagem era ele mesmo. Viciado irrecuperável em cigarros, álcool, mulheres e versos com temas polêmicos, ele colecionou escândalos e amantes durante toda a vida.

O cara é feio, uma mistura de Ayrton Senna e Jean Paul Belmondo mas com certeza muitas mulheres cairam em sua rede pois tem cara de que na hora do “chega mais minha nêga”  sabe o que faz.

O sucesso de “Je t’aime” no entanto foi inegável, e a canção foi regravada mais tarde por Donna Summer e Ray Conniff, entre outros.

 Serge Gainsbourg foi um talentoso compositor que soube trafegar por diversos ritmos e estilos. Produziu muitas músicas para filmes e trabalhos que vão do jazz ao rock e ao reggae, incluindo um álbum com Sly Dunbar & Robbie Shakespere na Jamaica.

Serge faleceu em 2 de março de 1991 aos 63 anos em conseqüência de um coração que já não podia mais com uma vida de excessos.

A exposição é um tanto caótica, como a vida do cantor, mas vale à pena.

Sesc Avenida Paulista
Avenida Paulista, 119, (11) 3179-3700, Metrô Brigadeiro. Terça a sexta, 13h às 22h; sábado, domingo e feriados, 11h às 20h. Grátis. Até 7 de setembro.

Para aqueles que não entendem patavina de francês, mas tem curiosidade de saber o que é falado, ou melhor, sussurrado na música, segue abaixo a tradução de Je t’aime moi non plus, e a conclusão de que é quase uma transa musicada.

Eu te amo…não mais.

Eu te amo
Sim, sim, eu te amo
Eu também não
Oh, meu amor
Como uma onda irresoluta
Eu vou, eu vou e eu venho
Por entre o teu dorso
E eu me detenho

Eu te amo,
Sim, sim eu te amo
Eu também não
Oh, meu amor….
Você é a onda, eu a ilha nua
Você vai e você vem
Por entre meu dorso
Você vai e você vem
Por entre meu dorso
E eu me junto a você

Eu te amo
Sim, sim, eu te amo
Eu também não
Oh, meu amor
Como uma onda irresoluta
Eu vou, eu vou e eu venho
Por entre o teu dorso
E eu me detenho

Eu te amo,
Sim, sim eu te amo
Eu também não
Oh, meu amor
O amor físico é sem saída
Eu vou e eu venho
Por entre teu dorso
E eu me detenho
Não! Agora! Vem!

 

Para as noites de pouca inspiração, fica a dica.

Beijokas,

Luca – Editora do Blog Ponte Social e colaboradora do Vishows

Podcast Emissão 12 – “Miseráveis do Ritmo”

Esse novo Podcast Emissão 12 – Miseráveis do Ritmo, vem com artistas bem interessantes que colocam a alma em cada canção começando com GLB (Grant Lee Buffalo)– do figura Grant Lee Phillips e a incrível “Lone Star Song”.

O primeiro bloco chega com o saudoso Jeff Buckley – mártir do rock dos anos 90 não tão celebrado mas essêncial com a inglória “Eternal Life”, continuando a seleção com Jon Spencer Blues Explosion mandando bala com “Money Rock n´Roll” e Smashing Pumpkins bem sombrio e pesado com “Ava Adore”.

A segunda parte já chega mais psicodélica com som novo direto do Twitter dos Raveonettes e a versão demo de “In and out of control” combinando com o cover de Tom Waits por Scatlett Johansson D+ com “I dont want to grow up”, e tudo fica mais estranho com Man or Astro Man direto das mais profundas partes do universo com “10 years after world war”.

O Emissão 12 encerra com um trio de bandas que valem o quanto pesam, primeiro Guided by Voices e o som engajado de “I am a Tree”, seguido de Faith no More e pauleira da primeira fase “We care a lot”, fechando tudo com SOD – System of a Down e todos os ritmos de “Radio Video”.

CURTE O SOM GALERA

%d blogueiros gostam disto: