Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos Mensais: março 2012

PJ 20 – indispensável para entender o Rock dos anos 90

Viver o rock dos anos 90 foi mesmo interessante, pois até 90/91 estávamos condenados aos excessos do metal e farofices, enquanto o pop vivia o período da pasteurização total com MC Hammer, Vanilla Ice, os bizarros Milli Vanilli e besteiras similares criadas pelas mega gravadoras.

Como alternativa no underground, tínhamos a esperança de novas gemas pop dos (na época) semi deuses Stone Roses, que implodiram mas geraram toda cena de OASIS, Blur, Pulp, Verve, Supergrass … O dito BritPop.

E das College Rádios Americanas, terra de REM, Husker Dü, Replacements e depois Pixies, veio o que se convencionou chamar de Grunge, fonte do Novo Alternativo, que finalmente aceito pela maioria, fez como o Punk 77 inglês, e virou do dia para noite MAINSTREAM… mas em troca popularizou e eternizou bandas como Nirvana, Soundgarden, Alice in Chains, Screaming Trees e o Pearl Jam é claro.

Entre mortos e feridos, que por sinal não foram poucos, o rock alternativo dos 90 está ainda entre nós, tanto pela enorme influencia que já inclui essas bandas no panteão do rock clássico, ou mesmo pela força que o Pearl Jam mostra em todo mundo, lotando arenas e transformando cada show em uma catarse sem o auxilio luxuoso dos mega telões e efeitos, pois se fincam na força das canções e como seus heróis dos anos 60 e 70, contam somente com o velho rock and roll como arma.

O DVD PJ 20, dirigido pelo grande Cameron Crowe, mostra cenas íntimas, apresentações históricas, as lendas, mortes, trocas de bateristas, crises e a efetiva consagração dos caras como os heróis mais íntegros do rock americano dos últimos 20 anos.

LONG LIVE PEARL JAM

20120331-201944.jpg

Legião Urbana ao vivo no Maracanãzinho em 1988

Hoje, Renato Russo faria 52 anos, e por coincidência total ontem o Blog falou da situação de Renato Rocha (Ver Post), logo hoje a data não poderia passar em branco.

Surfando no YouTube encontrei vídeo dos caras ao vivo em 1988 no Maranãzinho que passou na TVE (RJ) na época !! (Mais de 50 minutos e com público insano !).

Legião ao vivo em 1988

Legião ao vivo em 1988

Essa foi a Legião Urbana que aprendí a amar, lembro como hoje o esporro que Renato deu na galera em Sampa (no mesmo tour de ´88) quando jogaram uma garrafa no palco, e também da catarse coletiva de Será,  Tempo Perdido e Índios.

Foi o maior show de rock brazuca que ví até hoje… e o registro carioca, vale como uma entrada virtual para o que realmente foi a banda e como valeu cada segundo ser jovem com um ídolo cabeça e expressivo como Renato Russo.

Depois disso, lançaram “As Quatro Estações”, um ótimo disco, que mostrou uma banda madura, lírica e mais confessional… como não falava mais ao meu espírito contestador e idealista, fui me afastando da banda, que nunca mais teve o mesmo brilho roqueiro e juvenil.

Agora é melhor parar de falar e deixar com vocês a Legião Urbana ao vivo em 1988 ! (Aproveitem, antes que o vídeo suma da net, afinal os reacionários não descansam nunca…)

Salve Renato Rocha, a história da Legião Urbana agradece

Renato Rocha

Renato Rocha

Hoje o Twitter bombou com matéria sobre a triste situação do grande Billy, baixista original da Legião Urbana, que segundo matéria da TV Record, está atualmente morando nas ruas do Rio de Janeiro – Veja a matéria aqui.

Renato Rocha saiu da banda em 1989, após 3 bem sucedidos discos, e mesmo que o cara tenha tido problemas mil, gostaria de saber onde estão os direitos autorais e de execução, afinal Renato Rocha, consta como co-autor de clássicos da Legião como “Ainda é Cedo”, “A Dança”, “Daniel na Cova dos Leões”, “Quase sem Querer”, “Acrilic on Canvas”, “Plantas embaixo do Aquário” e “Mais do Mesmo”.

Sua saída da banda foi bem estranha, pois numa anárquica formação de rock, Rocha saiu por chegar atrasado a ensaios e ser meio desligado das obrigações profissionais… pois pelo visto a Legião havia se transformado de banda de rock em negócios… coincidência ou não, os 3 discos originais da banda, representam 99% da produção de qualidade dos caras.

… sem comentários sobre o fato, de os bem de vida Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá, se recusarem a participar da matéria… inaceitável… Renato Rocha é tão Legião Urbana quanto eles, pois como o tempo provou, gênio mesmo era o Renato Russo…

O que me revolta na real, é que se faz muita grana com o nome da banda, seja em especiais na TV, Documentários, DVD´s, CD´s e até mesmo no Rock in Rio 2011 onde houve homenagem à banda e ninguém se prestou em tentar resgatá-lo, seja por amizade ou por puro respeito aos fãs e história do rock brazuca…

Para ver os caras no auge e com Billy mandando ver, confiram vídeo histórico da Legião no finado Perdidos na Noite…

Nação Zumbi em São Paulo – DVD 15 anos

Nação Zumbi no SESC Pompéia

Nação Zumbi no SESC Pompéia

Nos dias 15, 16 e 17 de março São Paulo teve novamente a visita do grupo Nação Zumbi, que mistura sua cultura afro brasileira (Maracatu de Baque Virado, Coco de Roda, Ciranda, Música Afro) com muito rock, hip hop e música eletrônica, o que deu muita força ao movimento MangueBeat quando o grupo ainda respondia por Chico Science & Nação Zumbi.

Dois dias após o dia que era o aniversário de Chico (13 de março), a Nação trouxe a Sampa seu som pesado que agita a galera, tocando na choperia do SESC Pompéia, tocando também músicas clássicas do tempo de Science.
A abertura do show contou com uma breve exibição do trailler do DVD Nação Zumbi 15 Anos – Ao Vivo em Recife lançando recentemente, e que contou com algumas participações especiais no DVD como: Os Paralamas do Sucesso, Siba e a Fuloresta, Arnaldo Antunes e Fred 04.
No show a Nação fez bonito mais uma vez levando a galera toda a tirar os pés do chão, e sentir um pouco do que foi a gravação do DVD em Recife, pois dava pra ver a empolgação da banda tocando, principalmente quando Jorge du Peixe virou para Pupilo e Dengue comentando que o som tava “massa” como costumam dizer lá em PE.
Como diz no site deles:
“Nação Zumbi no Recife é Beatles em Liverpool, Bob Marley em Kingston, Joy Division em Manchester e qualquer outra comparação entre natividade e punch musical possível.”
Dentre as músicas tocadas na sexta feira fico em dúvida para dizer qual foi O Momento em que o público cantou mais forte junto  à Nação, pois duas músicas com o “coro” mais forte foram “O Cidadão do Mundo” principalmente no seu finalzinho “Chila, Relê, Domilindró !!!!” e também “Meu Maracatu Pesa uma Tonelada”.
Algumas das músicas desta sexta feira foram:
  • A Praieira;
  • Maracatu Atômico;
  • Blunt of Judah;
  • Côco Dub;
  • Fome de Tudo;
  • Risoflora;
  • Hoje, Amanhã e Depois;
  • Manguetown;
  • Quando a Maré Encher;
  • Mormaço;
  • O Cidadão do Mundo;
  • Banditismo Por Uma Questao De Classe;
E agora fiquem com alguns vídeos clássicos da Nação pra sentir qual é a pegada do som deles.
Meu vídeo gravado no SESC
Meu Maracatú (PesaUma Tonelada) – do DVD Propagando
Prato de Flores – do DVD Propagando

Diamond Dave interrompe briga durante show e mostra que o Van Halen é sua casa

Diamond Dave

Diamond Dave

Em pleno tour 2012, que marca a volta definitiva de David Lee Roth ao Van Halen, o clima pesou durante o clássico Pretty Woman no último dia 12-Mar, quando o cantor interrompeu a música logo no início, em virtude das brigas que rolavam na frente do palco.

Mr. Roth não deixou por menos, desancou os valentões colocando ordem na casa, e em menos de 1 minuto, falou para o batera Alex Van Halen … “Vamos agora começar de novo do início.”

E o rock voltou com força total ! Vejam o vídeo, e confiram o poder roqueiro que os veteranos heróis do Hard Rock mostram a cada novo dia, em pleno 2012 !!

Setlist Van Halen Tour 2012 – 13 de março – Wireless Arena, Manchester, NH, USA

  • Unchained
  • Runnin’ With the Devil
  • She’s The Woman
  • The Full Bug
  • Tattoo
  • Everybody Wants Some!!
  • Somebody Get Me A Doctor
  • China Town
  • Hear About It Later
  • Oh, Pretty Woman (Roy Orbison)
  • Solo – Batera (Alex Van Halen)
  • You Really Got Me (The Kinks)
  • The Trouble with Never
  • Dance The Night Away
  • I’ll Wait
  • Hot For Teacher
  • Women In Love
  • Girl Gone Bad
  • Beautiful Girls
  • Ice Cream Man (John Brim)
  • Panama
  • Guitar Solo (Eddie Van Halen)
  • Ain’t Talkin’ ‘Bout Love
  • Jump

Lobão Elétrico no Sesc Pompéia

Por Katy Illy*

No último final de semana de fevereiro o cantor Lobão fez dois shows no Sesc Pompéia em São Paulo.

Sua turnê Lobão Elétrico, tem músicas de todas as fases da sua carreira. Um setlist cheio de clásicos como Rádio Blá, Me Chama, Decadence Avec Elegance, Por Tudo que For, Mais Uma Vez, Essa Noite Não, a apresentação teve 30 músicas e um bis com mais quatro canções incluindo um cover dos Beatles, Help.

Músicas mais recentes também fizeram parte do repertório como Agora é Tarde, Song For Sampa, Das Tripas Coração, Vou te Levar, entre outras.

Eu vi o show do dia 24, Lobão levou o show muito bem, num volume autíssimo ainda mais pra mim que estava coloda no palco.

Apesar do público estar meio morno e reclamando do som, ao que Lobão respondeu dizendo que aquele era um show de rock, não de sertanejo ou pior um show de mpb e que quem estivesse incomodado poderia dar uns passos pra trás.

Para mim que só havia visto o acústico, foi muito bom, principalmente as guitarras, a banda o acompanha muito bem, Me Chama foi o meu momento favorito do show.

Foram quase duas horas de muito rock pra matar mesmo a vontade de ouvir Lobão.

Lobão (voz e guitarra), Duda Lima (baixo), Armando Junior (bateria) e André Caccia Bava (guitarra)

*Katy Illy é fotógrafa e colabora com o Vishows.

Veja mais fotos do show e curta a página do Vishows no Facebook: http://www.facebook.com/vishows.

%d blogueiros gostam disto: