Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte 4 – A era Adore, a era Machina/The Machines of God e o fim repentino.

Esta é a quarta parte do especial de 25 anos da banda norte-americana The Smashing Pumpkins, com o sucesso do álbum Mellon Collie and The Infinite Sadness eles se tornaram referência, porém a banda estava disposta a tomar novos rumos no próximo álbum e partir para um trabalho mais focado na música eletrônica.

A era Adore: visual dark e a falta de um baterista.

Em 1.997 o Smashing Pumpkins resolveu traçar caminhos diferentes e lançou o single “Eye”, baseado em uma bateria eletrônica abrindo mão das habituais guitarras, nesse mesmo ano a banda também contribuiu para trilha sonora do filme Batman & Robin com a música “The End is the Beginning is the End”, esta canção mais tarde ganharia o Grammy de Melhor Performance de Hard Rock.

Adore foi lançado em 2 de junho de 1.998 e apresentava uma nova fase da banda. Composto com uma bateria eletrônica e sintetizadores, ele não contava com a presença de Jimmy Chamberlin, que havia sido expulso da banda.

Esse álbum é marcado por tragédias na vida pessoal de Billy Corgan, que mais uma vez as traduziu para as canções do grupo, o vocalista havia acabado de se separar de Chris Fabian, sua esposa e amiga de infância, e sua mãe acabara de morrer, algumas canções do álbum falam dessa fase, como “For Martha” e “Perfect”.

Com Adore a banda adotou um visual mais limpo e ao mesmo tempo sombrio, um pouco voltado para o gótico. “Ava Adore” foi o primeiro single a ser lançado e o vídeo desta canção é um dos melhores da história dos Pumpkins, no entanto esse álbum não vendeu tanto quanto o esperado nos Estados Unidos e foi considerado um fracasso se comparado com o anterior Mellon Collie and The Infinite Sadness.

Contudo fora dos Estados Unidos o álbum teve uma recepção melhor e a banda embarcou em um turnê mundial, passando novamente pelo Brasil. Eles se apresentaram em 14 de agosto de 1.998 no Metropolitan do Rio de Janeiro, no dia 16 no Olympia em São Paulo e no dia 17 em uma histórica apresentação no extinto Programa Livre do SBT.

Para mim Adore representou o meu primeiro contato com a banda, aos dez anos de idade eu vi a primeira foto da banda (a mesma que está no topo do post) e o vídeo do single “Perfect” foi o primeiro que eu vi relacionado a eles ou seja ele mudou a minha percepção do que era considerado boa música.

Faixas do álbum Adore:

1 – To Sheila – 4:40
2 – Ava Adore – 4:20
3 – Perfect – 3:23
4 – Daphne Descends – 4:38
5 – Once Upon a Time – 4:06
6 – Tear – 5:52
7 – Crestfallen – 4:09
8 – Appels + Oranjes – 3:34
9 – Pug – 4:46
10 – The Tale of Dusty and Pistol Pete – 4:33
11 – Annie-Dog – 3:36
12 – Shame – 6:37
13 – Behold! The Night Mare – 5:12
14 – For Martha – 8:17
15 – Blank Page – 4:51
16 –  17 – 0:17

Vídeos promocionais da era Adore:

Ava Adore

Perfect

Participação no Programa Livre do SBT:

Ava Adore

Pug

A era Machina/The Machines of God e o fim repentino.

Jimmy Chamberlin voltou ao grupo em 1.999 e depois de uma mini-turnê eles começaram a gravar um novo trabalho, mas ao final das gravações D’arcy deixou a banda motivada por sua relação tensa com Billy Corgan e seu envolvimento com drogas. Apesar de abandonar a banda antes do lançamento do álbum o nome de D’arcy consta nos créditos.

Para substituí-la Melissa Auf der Maur, baixista do Hole, foi chamada e em 29 de fevereiro de 2.000 o quinto álbum da banda Machina/The Machines of God foi lançado.

Voltando as raízes da banda mais baseado nas guitarras e na bateria forte de Jimmy eles lançaram os singles “The Everlasting Gaze”, “Stand Inside Your Love” e “Try, Try, Try” e embarcaram na curta turnê “Sacred and Profane”. Machina foi considerado um bom álbum e tem ótimos momentos, como “Stand Inside Your Love”, mas o Rock Alternativo estava começando a perder espaço para grupos pop e cantoras teen, que agora comandavam o que os jovens ouviam nas rádios, o que resultou na péssima recepção de Machina pela mídia e causou o sentimento em Billy Corgan de que o rock estava morrendo.

Em setembro de 2.000 Machina II/The Friends & Enemies of Modern Music, o último álbum do grupo com a sua formação clássica, foi lançado em uma edição limitada em vinil e foi distribuído para amigos próximos, o mesmo tinha permissão e instruções para ser disponibilizado livremente pela internet.

Ao final de 2.000 a banda se separou após Billy, motivado pelas brigas constantes com James Iha, anunciar o seu fim antes mesmo da turnê “Sacred e Profane” acabar. A última apresentação dos Pumpkins com James Iha na guitarra aconteceu no The Metro, o mesmo lugar em Chicago onde doze anos antes a banda havia iniciado a sua carreira. O show contou com quatro horas de duração e 35 canções de toda trajetória da banda até então. Quem esteve presente recebeu uma gravação do primeiro show da banda em 10/05/1.988 e o último single “Untitled” foi lançado coincidindo com a derradeira apresentação do The Smashing Pumpkins.

Faixas do álbum Macinha/The Machines of God:

1 –  The Everlasting Gaze – 4:00
2 –  Raindrops + Sunshowers – 4:39
3 –  Stand Inside Your Love – 4:14
4 –  I of the Mourning – 4:37
5 –  The Sacred and Profane – 4:22
6 –  Try, Try, Try – 5:09
7 –  Heavy Metal Machine – 5:52
8 –  This Time – 4:43
9 – The Imploding Voice – 4:24
10 – Glass and the Ghost Children – 9:56
11 – Wound – 3:58
12 – The Crying Tree of Mercury – 3:43
13 – With Every Light – 3:56
14 – Blue Skies Bring Tears – 5:45
15 – Age of Innocence – 3:55

Faixas do álbum Machina II/The Friends & Enemies of Modern Music:

Umas das capas de Machina II

LP Duplo (CR-04)

Glass – 1:54
Cash Car Star – 3:18
Dross – 3:26
Real Love – 4:16
Go (James Iha) – 3:47
Let Me Give the World to You – 4:10
Innosense – 2:33
Home – 4:29
Blue Skies Bring Tears (versão elétrica) – 3:18
White Spyder – 3:37
In My Body – 6:50
If There Is a God – 2:08
Le Deux Machina – 1:54
Atom Bomb – 3:51

EP Um (CR-01)

Slow Dawn – 3:14
Vanity – 4:08
Satur9 – 4:11
Glass (versão alternativa) – 2:55

EP Dois (CR-02)

Soul Power (James Brown) – 3:02
Cash Car Star (versão 1) – 3:41
Lucky 13 – 3:05
Speed Kills (But Beauty Lives Forever) – 4:51

EP Três (CR-03)

If There Is a God (piano/voz) – 2:34
Try (versão 1) – 4:23
Heavy Metal Machine (mix alternativo da versão 1) – 6:47

Vídeos promocionais da era Machina/The Machines of God:

The Everlasting Gaze

Stand Inside Your Love

Try, Try, Try

Fotos da era Adore e Machina/The Machines of God:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Confira a primeira parte do especial: Parte 1 – O início e a era Gish.

Confira a segunda parte do especial: Parte 2 – A era Siamese Dream.

Confira a terceira parte do especial: Parte 3 – A era Mellon Collie and the Infinite Sadness.

Confira a quinta parte do especial: Parte final.

4 Respostas para “Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte 4 – A era Adore, a era Machina/The Machines of God e o fim repentino.

  1. Pingback: Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte 2 – A era Siamese Dream. « Vishows

  2. Pingback: Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte 1 – O início e a era Gish. « Vishows

  3. Pingback: Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte 3 – A era Mellon Collie and the Infinite Sadness. « Vishows

  4. Pingback: Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte final. « Vishows

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: