Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos Mensais: junho 2012

Kings of Leon no Brasil em 2012

E eles vão voltar!

A banda Kings of Leon foi confirmada como atração do Festival Planeta Terra 2012, que acontecerá no Jockey Club no dia 20 de outubro e não mais no saudoso Playcenter. Eles virão pela terceira vez ao Brasil, após a sua última apresentação em 2010 no SWU Music and Arts Festival.

Clique e confira como foi a apresentação deles no SWU de 2010.

Em 2010 eles lançaram o álbum “Come Around Sundown”, que apresentava uma volta as raízes da banda, mas sem emplacar nenhum hit do quilate de Use Somebody, nesse meio tempo os integrantes da banda se dedicaram a sua vida pessoal mais do que a novos projetos, Matthew Followil e Natan se casaram e Caleb também se casou e acabou de se tornar pai.

A banda cancelou a sua última turnê alegando problemas pessoais de Caleb Followill, eles também estão um pouco afastados da mídia, mas costumam fazer shows competentes com um repertório forte e de responsa, eu preferiria um show só deles, mas eles são sempre bem-vindos.

Vamos aguardar para ver o que os reis vão fazer em outubro por aqui!

Beach Boys ao vivo com Brian Wilson – O Show do Ano!

Este blog vem comentando sobre os grandes retornos de bandas clássicas como Stone Roses, Van Halen, Black Sabbath e Soundgarden… mas quando vi que nosso colega Claudio Hernandez estava na California na missão de conferir os Beach Boys em formação clássica com o fundador e líder Brian Wilson, saquei que, por inúmeros motivos, esse era o show de retorno do ano, afinal a história do rock seria outra sem os seminais Beach Boys.

A banda é esperada no segundo semestre na América do Sul e os boatos de shows no Peru e no Chile são fortes, mas ninguém garante que serão shows com a formação clássica atual, que além de Brian Wilson, conta com Mike Love (que detém o nome e excursiona com músicos contratados como Beach Boys), Al Jardine, Bruce Johnston e David Marks.

A polêmica está lançada,  causando desconforto entre os membros originais… mas sem interromper o tour… veja mais sobre o Buzz no link da Rolling Stone gringa… vamos ao show !!

VALEU CLAUDIO !! (Segue o post original e fotos na íntegra)

Achei que o show está entre os 5 melhores que já vi, pela importância da banda (influenciou até Paul McCartney), pela surpresa com a boa forma vocal, com o pique deles e com 80% da platéia ter mais de 70 anos. Muito legal!

Claro que  Brian Wilson não está na sua melhor forma, foram anos de internação e sua volta, lúcido e produtivo, já vale muito. O eterno líder dos Beach Boys teve de entrar e sair acompanhado por alguém segurando no seu braço. Mas Brian ainda tem a velha garra e cantou uma canção 100% sozinho, mostrando que sua disposição continua em dia. Não levantou do piano e nem precisou.

A banda contou com diversos músicos de apoio, o que, na plateia, não deu para perceber direito quem estava cantando. A performance da banda foi muito fiel às canções originais.

O set list foi de nada menos que 40 canções! O show durou mais de 2 horas!

No dia seguinte, eles iriam para Los Angeles, por lá, já estava sold out desde o final de 2011. LA foi a primeira cidade a esgotar os ingressos.

O palco do show de San Francisco foi no incrível  Greek Theater da Universidade Berkeley, um campus maravilhoso, também com lugares esgotados. Memorável!

SETLIST – The Beach Boys Setlist at Greek Theatre, Berkeley, CA, USA – Jun 1

  •       Do It Again
  •       Little Honda
  •       Catch a Wave
  •       Hawaii
  •       Don’t Back Down
  •       Surfin’ Safari
  •       Surfer Girl
  •       Please Let Me Wonder
  •       Marcella
  •       Kiss Me, Baby
  •       Disney Girls
  •       Then I Kissed Her (The Crystals cover)
  •       Isn’t It Time
  •       When I Grow Up (to Be a Man)
  •       Why Do Fools Fall in Love (Frankie Lymon & The Teenagers cover)
  •       Cotton Fields (Lead Belly cover)
  •       It’s OK
  •       Be True to Your School
  •       Ballad of Ole’ Betsy
  •       Don’t Worry Baby
  •       Little Deuce Coupe
  •       409
  •       Shut Down
  •       I Get Around

Parte 2

  •       Add Some Music to Your Day
  •       California Saga: California
  •       Sloop John B
  •       Wouldn’t It Be Nice
  •       I Just Wasn’t Made for These Times
  •       Sail on, Sailor
  •       Heroes and Villains
  •       In My Room
  •       All This Is That
  •       That’s Why God Made the Radio
  •       Forever
  •       God Only Knows
  •       Good Vibrations
  •       California Girls
  •       Dance, Dance, Dance
  •       Help Me, Rhonda
  •       Rock and Roll Music (Chuck Berry cover)
  •       Do You Wanna Dance? (Bobby Freeman cover)
  •       Surfin’ USA

BIS

  •       Kokomo
  •       Barbara Ann (The Regents cover)
  •       Fun, Fun, Fun

Músicas originais x Covers

Por Renata Quirino

Estava ouvindo um dos meus programas de rádio favoritos, na americana KCRW, apresentado pelo músico, escritor, radialista, ativista e um monte de outras coisas Henry Rollins, em uma edição especial: quinze músicas com artistas originais e as mesmas canções na versão de outras bandas.

A primeira hora do programa conta com clássicos de Little Richard, Carl Perkins, Captain Beefheart & The Magic Band, Tom Waits, Lee Hazelwood e na segunda hora tem Marathons, Black Sabbath, Scientists, The Ramones e Lydia Lunch & Rowland S Howard fazendo suas versões, entre outras ótimas bandas. Ouça aqui. Não entende inglês? Aprenda. Te garanto que vale cada minuto. Aproveite e ouça as outras edições. Afinal, onde mais você ouve maravilhas como um especial de duas horas de Iggy Pop ou um programa com Cramps, New York Dolls, Black Flag, Billie Holiday em uma só playlist? Sensacional. Dá pra baixar aqui.

Mas voltando ao assunto canções originais e seus covers, para complementar a lista de Henry Rollins, o Vishows fez uma seleção com mais algumas músicas que ganharam uma nova versão, muitas vezes inusitadas, de alguns artistas, do pop ao thrash metal.

E aí, qual você prefere? Original ou cover?

Vamos começar com “Mountain Songdo Jane’s Addiction. Essa música faz parte do primeiro álbum de estúdio da banda, chamado Nothing’s Shocking, de 1988. Ouça o original:

Em 2002, o Sepultura lançou um álbum de covers chamado “Revolusongs”, no qual os brasileiros fazem versões de bandas tão distintas quanto Public Enemy, U2, Devo e Hellhammer. Saca só como ficou a versão dos caras para a banda de Perry Farrell:

Após o lançamento de seu segundo álbum intitulado “Like a Virgin”, em 1984, Madonna conseguiu reconhecimento (e muita polêmica) mundo afora. Esse grande hit ficou por seis semanas consecutivas nas paradas da Billboard, para o desespero dos conservadores e moralistas da época:

Em 1991, a banda alternativa Teenage Fan Club fez sua versão do hit “Like a Virgin”, que está no álbum “The King”. Se você não sabe quem é Teenage Fan Club uma boa referência é saber que Kurt Cobain muitas vezes se referia a banda como “a melhor do mundo”:

A versão original dessa música está na lista de Henry Rollins seguida do cover do Black Sabbath, mas eu não poderia deixar de colocar aqui a versão dos debochados Toy Dolls. Essa canção foi gravada em 1955 por Carl Perkins e é considerada uma dos primeiros registros do gênero rockabilly da história. Ouça “Blue Suede Shoes”:

 

Em 1983, os ingleses do Toy Dolls fizeram uma versão punk rock desse clássico, claro, da maneira mais debochada possível, já que essa é a maior característica da banda. Ela está no primeiro disco dos caras, chamado “Dig That Groove Baby” que, diga-se de passagem, é o álbum favorito da carreira do Toy Dolls para o seu vocalista malucaço Olga.

 

Gary Glitter foi um cantor de glam rock muito conhecido nos anos 70, com diversos hits nas paradas musicais da época, como “Rock n Roll Part One and Two”, “Hello, Hello, I’m Back Again”, “ I Love You Love Me Love”, entre outros. Outro hit do cara foi “Do You Wanna Touch Me (Oh Yeah)”, do álbum “Touch Me”, de 1973:

 

Em 1981 “Do You Wanna Touch Me (Oh Yeah)” ganhou uma belíssima versão da diva Joan Jett, em seu primeiro disco solo chamado “Bad Reputation”:

 

Essa é uma das mais famosas da lista. “Ring of Fire” do maravilhoso Johnny Cash (dispensa apresentações certo?) foi gravada na década de 50, na mesma época de outros clássicos absolutos, como “Don’t take your guns to town”, “I Got Stripe” e “Understand you Man”.  Delicie-se com a versão orginial de Cash:

 

Em 1990, a banda punk californiana Social Distortion fez sua versão de “Ring of Fire”. Tenho que dizer que esse é um dos meus covers favoritos de todos os tempos. A música está no disco que leva o nome da banda, que tem, entre outras canções, “Ball and Chain” e “Story of my life”.

 

Quer sugerir outros covers? Escreva aí nos comentários ou na nossa página no Facebook.

Porque o Tour do Van Halen 2012 foi interrompido?

20120611-201527.jpg

Putz Grila – 2012 Rules, afinal esse ano está sendo pródigo na volta de bandas históricas. Ressurreição dos Stone Roses 100% completo, Van Halen com Diamond Dave (mas sem Michael Anthony no baixo, substituído pelo filho de Eddie, Wolfgang – que vem se saindo muito bem por sinal), e Black Sabbath com Ozzy, Iommi e Butler (só sem o batera Bill Ward), sinal de que bandas boas como essas tem sempre público, e também que muitas das novidades musicais dessa nova década ainda não convencem ao vivo, ou sucumbem ao teste do segundo álbum… Mas vamos ao que interessa…

Por que o bem sucedido tour do Van Halen cancelou os últimos 3 meses de shows ?

Muitos boatos surgiram… mas pelo visto só boatos mesmo, entre eles que os caras se odeiam, que Dave Lee Roth voltou a ser o rockstar de excessos e mesmo a volta dos problemas de saúde de Eddie, mas oficialmente ainda nada foi divulgado, o único registro real é o vídeo abaixo, onde DLR fala que o tour vai continuar por mais 2 anos após a parada estratégica, e que eles exageraram mesmo nas pretensões e não querem fazer feio, já que o ano valeu muito, pelo disco novo e shows que vieram desde Fev/12 e vão até o fim de Jun/12.

Datas remanescentes :

12/Jun – Anaheim, Calif, Honda Center
14/Jun – San Diego, Calif – Viejas Arena
16/Jun – Phoenix, Ariz., US Airways Center
20/Jun – Dallas, Texas, American Airlines Center
22/Jun – San Antonio, Texas, AT&T Center
24/Jun – Houston, Texas, Toyota Center
26/Jun – New Orleans, La., New Orleans Arena

Stone Roses em Barcelona (A volta do Ano!!)

Stone Roses - Barcelona 2012

Stone Roses – Barcelona 2012

Ok essa é para quem curte muito Brit Pop e/ou viveu a segunda metade dos anos 80 intensamente… como parece ser o caso do blogueiro em questão… mas para amenizar a ansiedade de ver os Stone Roses em Portugal no Optimus Alive 2012… segue vídeo do show de Sexta (08/Jul) dos caras em Barcelona … Amazing !!

The Stone Roses Setlist – Razzmatazz, Barcelona – Espanha (08/Jun/2012)

  • I Wanna Be Adored
  • Sally Cinnamon
  • Mersey Paradise
  • Ten Storey Love Song
  • Where Angels Play
  • Shoot You Down
  • Waterfall
  • Fools Gold
  • Standing Here
  • She Bangs The Drums
  • Made Of Stone
  • This Is the One
  • Love Spreads

BIS

  • I Am The Resurrection

Clique aqui, e veja mais vídeos e informações do show direto do Blog Live Stage.

Sex Pistols e o God Save the Queen

20120603-102127.jpg

O Blog como “homenagem” aos 60 anos do reinado de Elizabeth II no trono do decadente império britânico, traz os Sex Pistols em performance recente na histórica God Save the Queen, com as letras do hino anti-monarquia e as imagens do desfile dos Pistols pelo Tâmisa … em 1977, quando o mundo pelo visto era bem menos careta.

GOD SAVE THE QUEEN – SEX PISTOLS

God save the queen
Her fascist regime
It made you a moron
A potential H bomb

God save the queen
She ain’t no human being
There is no future
In England’s dreaming

Don’t be told what you want
Don’t be told what you need
There’s no future
No future, no future for you

God save the queen
We mean it man
We love our queen
God saves

God save the queen
‘cos tourists are money
And our figurehead
Is not what she seems

Oh God save history
God save your mad parade
Oh lord God have mercy
All crimes are paid

When there’s no future
How can there be sin
We’re the flowers
In the dustbin
We’re the poison
In your human machine
We’re the future
Your future

God save the queen
We mean it man
We love our queen
God saves

God save the queen
We mean it man
There is no future
In England’s dreaming

No future, no future
No future for you
No future, no future
No future for me
No future, no future
No future for you

No future, no future
No future for You!

As Malvinas são Argentinas !!

Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: Parte final.

Esta é a última parte do especial de cinco posts comemorativos dos 25 anos do The Smashing Pumpkins. Depois da separação cada membro seguiu seu caminho, mas Billy Corgan não conseguiria se desvencilhar da marca Smashing Pumpkins por muito tempo.

Rotten Apples: coletâneas e carreiras solo.

Com o rompimento da banda vários materiais com coletâneas e lados B inéditos foram disponibilizados. Rotten Apples, que continha dois discos, o primeiro com os maiores sucessos e o segundo com Lados B, chamado Judas Ø, foi lançado em 2.001 como uma edição limitada junto com um DVD com todos os vídeos da banda desde 1.990 até 2.000. Os vídeos das apresentações e backstages de Earphoria Live também foram relançados no formato DVD junto com um CD com todas as faixas do DVD.

Billy atualmente.

Billy atualmente.

Também em 2.001 Billy Corgan e Jimmy Chamberlin formaram o “Zwan” com Matt Sweeney e David Pajo nas guitarras e Paz Lenchantin no baixo e vocais de apoio. O disco Mary Star of The Sea foi o único da banda, que rapidamente se desfez lançando apenas o single Honestly.

Jimmy atualmente.

Jimmy atualmente.

Após o término do Zwan Billy fez pequenas turnês e shows com outras bandas. Jimmy resolveu seguir carreira solo e formou o “The Jimmy Chamberlin Complex” e em 2005 o álbum “Life Begins Again” foi lançado contando com a participação de Billy nos vocais de “Lokicat”.

James atualmente.

James atualmente.

James Iha seguiu carreira solo e fez pequenas participações com outras bandas, além de cuidar do seu próprio selo de gravação e em 2.003 ele se juntou ao supergrupo “A Perfet Circle” com Maynard James Keenan, vocalista do Tool, participando do disco eMOTIVe de 2.004, o grupo entrou em hiato nos anos seguintes, porém voltaram em 2.010 com uma turnê de inéditas.

Todavia em 2009 Iha formou o “Tinted Windows” junto com Taylor Hanson, integrante do Hanson, essa formação pouco provável resultou no disco de estúdio homônimo Tinted Windows que foi lançado junto com o single  “Kind of a Girl”, a banda fez turnês pelos Estados Unidos, mas desde 2.010 nada novo foi anunciado.

D'arcy em 2011.

D’arcy em 2011.

D’arcy Wretzky foi presa em janeiro de 2.000 após ser flagrada comprando drogas. Depois de cumprir uma pena alternativa e se reabilitar D’arcy se isolou e não fez mais nenhum pronunciamento sobre a sua antiga banda, indo cuidar de sua fazenda sem se envolver com novos projetos musicais.

Em 2.008 ela e James Iha processaram a gravadora Virgin Records por usar as músicas dos Smashing Pumpkins como ringtones sem o consentimento deles, e em uma rápida aparição em julho de 2.009 D’arcy deu uma entrevista para uma rádio em Chicago dizendo que não estava saudável o suficiente para dar continuidade a sua carreira musical.

A ex-baixista dos Pumpkins se envolveu em outro escândalo policial em 2.011 quando foi presa por não comparecer ao tribunal quatro vezes para esclarecer a fuga dos cavalos de sua fazenda em Michigan, ficando seis dias na cadeia, no mesmo ano ela foi  presa novamente, dessa vez por dirigir alcoolizada. Desde que saiu da banda em 1.999 D’arcy nunca mais falou com Billy Corgan.

O retorno: Zeitgeist e novos membros.

Billy Corgan andou amargurado desde que o Zwan se separou e disparou acusações contra os ex-membros do Smashing Pumpkins James e D’arcy, dizendo que eles haviam acabado com a banda que outrora haviam ajudado a construir. James Iha, em resposta as lamentações de Corgan, disse que só Billy tinha o poder para acabar com o grupo e que assim o fez.

Então o ex-vocalista dos Pumpkins resolveu seguir carreira solo, mas não aguentou muito tempo, e em 2.005 junto com o lançamento do seu primeiro disco solo: “The Future Embrance”, que contava com participações de Robert Smith, do The Cure, e com o single “Walking Shade”, anunciou que estava pensando em reunir o The Smashing Pumpkins.

Após um anuncio nos jornais Jimmy Chamberlin confirmou em 2.006 a sua volta ao grupo e afirmou que ele e Billy estavam começando a compor coisas novas, apesar dos rumores James Iha e Melissa Auf der Maur, substituta de Wretzky, negaram sua participação no novo trabalho da banda e Jimmy declarou que D’arcy não queria participar da reunião. Restou então a Billy Corgan contratar novos membros e Ginger Reyes assumiu o baixo enquanto Jeff Schroeder se tornou o novo guitarrista, Lisa Harriton também foi anunciada como nova tecladista e backing vocal.

O novo e aguardado álbum Zeitgeist chegou às lojas em 07 de julho de 2.007, após sete anos de hiato, ele veio cheio de expectativa pelos fãs e junto vieram os singles “Tarantula”, “Doomsday Clock” e “That’s The Way (My Love Is)”, mas o novo álbum não teve uma recepção muito boa e a banda reformada saiu em um mini-turnê tocando em lugares pequenos onde alguns fãs não aceitaram a nova fase da banda.

Em 2.008 American Gothic, um EP de quatro canções, foi  lançado pelo iTunes e em CD e em março do mesmo ano o single “SuperChrist”, uma volta ao som pesado o qual Billy sempre flertou, foi lançado como uma contribuição para a coletânea “Guitar Center” e G.L.O.W foi o último single desse ciclo e um DVD nomeado “If All Goes Wrong” contendo os bastidores da nova banda também foi lançado, nesse período.

O novo Smashing Pumpkins ia tentando se encontrar como novas gravações e shows em clubes menores quando em março de 2.009, após brigar novamente com Corgan, Chamberlin anunciou a sua saída definitiva da banda.

Faixas do álbum Zeitgeist:

1 – Doomsday Clock
2 – 7 Shades Of Black
3 – Bleeding The Orchid
4 – That’s The Way (My Love Is)
5 – Tarantula
6 – Starz
7 – United States
8 – Neverlost
9 – Bring The Light
10 – (Come On) Let’s Go!
11 – For God And Country
12 – Pomp And Circumstances

Vídeos promocionais da era Zeitgeist:

Tarantula

That’s The Way (My Love Is)

SuperChrist

G.L.O.W

Teargarden by Kaleidyscope e Oceania.

Billy Corgan acabou se tornando o único membro original da banda, que outrora foi considerada a mais rentável dos anos 90, e agora se encontrava perdido em uma década em que o rock alternativo não era mais tão relevante e os ritmos pop e eletrônicos dominavam tudo.

Apostando que o Smashing Pumpkins se tornara mais um conceito do que uma banda com integrantes fixos, Corgan anunciou em setembro de 2.009 que tinha 44 músicas prontas para serem gravadas e que iria fazer isso aos poucos distribuindo as faixas gratuitamente pela internet num álbum conceitual chamado “Teargarden by Kaleidyscope”.

Nesse meio tempo ele trocou a baixista Ginger Reyes por Nicole Fiorentino, do Veruka Salt, se livrou da tecladista Lisa Harriton e através de um concurso encontrou o baterista Mike Byrne, a quem Billy chamou de “O baterista do futuro”. Até agora as faixas de Teargarden foram soltas na internet em três EPs com doze canções no total.

Em 20 de novembro de 2010 a banda retornou ao Brasil para se apresentar como Headliner do Planeta Terra Festival (clique aqui e confira como foi o show), que ainda contou com o Pavement no Line Up.

Para a surpresa de todos, a nova baixista da banda Nicole Fiorentino revelou em 2.011 que era uma das crianças da capa de Siamese Dream e que para ela era sonho depois de adulta fazer parte da banda. Nesse mesmo ano Corgan anunciou que iria relançar os antigos álbuns da banda em edições especiais, até agora foram lançados Gish e Siamese Dream em forma de LP e CD.

Também em 2.011 foi criado o “Smashing Pumpkins Record Club (SPRC) que disponibiliza gravações raras da banda para download e nesse meio tempo a banda começou a trabalhar no seu sétimo álbum de estúdio.

Faixas de Teargarden by Kaleidyscope:

VOLUME 1: SONGS FOR A SAILOR

A Song for a Son
Astral Planes
Widow Wake My Mind
A Stitch in Time
Teargarden Theme

VOLUME 2:  THE SOLSTICE BARE

The Fellowship
Freak
Tom Tom
Spangled
Cottonwood Symphony

VOLUME 3

Lightning Strikes
Owata

Owata

Oceania,o álbum mais recente, teve as suas faixas apresentadas em alguns shows do Pumpkins reformado e seu lançamento será agora em 19 de junho de 2.012.

Estamos chegando ao fim desse especial e para mim, a banda que hoje se apresenta sob o título de The Smashing Pumpkins não é nem a metade do que foi na década passada e os integrantes atuais não podem ser comparados com D’arcy, James e Jimmy, que tinham uma personalidade e influencias muito fortes. Considero o trabalho atual mais como uma carreira solo de Billy Corgan, sem ter que se desvencilhar da sua banda do passado.

Contudo Billy finalmente se encontrou nesse novo projeto e ele mesmo admite que não pode voltar no tempo, só pode continuar fazendo o que ele gosta.

Nesses 25 anos de existência o trabalho desses músicos se tornou marca de uma geração e expressão de milhões pessoas que se identificam com as suas canções, apesar das brigas e desavenças (que toda banda grande tem) eles conseguiram garantir o seu lugar no Hall dos grandes artistas que o mundo já conheceu.

Sendo assim: Parabéns The Smashing Pumpkins pelos seus 25 anos!

Faixas do novo álbum Oceania:

1 – Quasar
2 – Panopticon
3 – The Celestials
4 – Violet Rays
5 – My Love is Winter
6 – One Diamond, One Heart
7 – Pinwheels
8 – Oceania
9 – Pale Horse
10 – The Chimera
11 – Glissandra
12 – Inkless
13 – Wildflower

Fotos da era Zeitgeist e presente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Confira a primeira parte do especial: Parte 1 – O início e a era Gish.

Confira a segunda parte do especial: Parte 2 – A era Siamese Dream.

Confira a terceira parte do especial: Parte 3 – A era Mellon Collie and the Infinite Sadness.

Confira a quarta parte do especial: Parte 4 – A era Adore, a era Machina/The Machines of God e o fim repentino.

%d blogueiros gostam disto: