Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Tributo MTV: Legião Urbana com Wagner Moura

Antes que atirem pedras!

Bom, eu particularmente nunca fui um grande fã de Legião Urbana, talvez pela minha idade, eu não vi o AUGE da banda, não vivi e respirei a religião que foi a Legião para os fãs dos anos 80, que na época era sem nenhuma competição a maior banda do país, a que trazia em cada show o maior público e a que mais vendia discos. Assisti ao show da Emeteve (MTV) em tributo a banda, e em meio a polêmicas sobre Wagner Moura no vocal, escolha de músicas e até mesmo polêmicas do próprio evento eu venho aqui no ViShows dar os meus pitacos e opiniões absolutamente pessoais.

Primeiro vamos falar do vocalista? Capitão Nascimento nos vocais do tributo, ainda não consegui entender se foi um fã no palco realizando um sonho ou se foi uma jogada de marketing para atrair o público.

Se for um fã o papel dele foi perfeito, desafinado como todo mundo que canta Legião Urbana e não é o Renato Russo, porém com muita emoção, empolgação e acima de tudo uma vontade enorme de estar naquele palco, histórico para o próprio Wagner Moura.

As críticas sobre ele cantando não procedem em minha opinião, não há hoje um vocalista que fosse entrar e representar absolutamente bem como ele fez, o lado ator felizmente é mais talentoso que o vocalista, e Wagner Moura dançou desengonçado como Renato Russo, correu, pulou, chorou e olhou para o céu sem acreditar na noite que estava tendo.

As críticas ao vocalista para mim são besteiras, deve-se criticar a escolha dos integrantes que poderiam ter procurado outro cara para cantar, porém parece que a necessidade de capitalizar esse show era muito grande para Dado e Bonfá, e nesse quesito Wagner Moura trouxe a publicidade que eles queriam, mas vamos lembrar que Renato Russo era um humano, que cantava e as vezes desafinava, era um grande vocalista, mas ontem teria se desesperado com as inúmeras falhas de som que prejudicaram o vocal de Wagner Moura e até mesmo o resto da banda.

Me pergunto também se depois de tanta polêmica eles acertaram em colocar Rodrigo Favaro como baixista, será que não seria o dia de chamar Renato Rocha e colocar ele para tocar uma ou outra música? Nem que fosse somente para dar uma ajuda para o cara e reduzir a polêmica? Mostrar para as pessoas que atitudes são mais valiosas do que letras de música, eles se dando bem ou não, compaixão e apoio para um cara que viveu uma época tão importante da vida deles seria uma demonstração importante de caráter, afinal muitas músicas como “Ainda É Cedo”, “Daniel na Cova dos Leões”, “Quase Sem Querer” e “Mais do Mesmo” são assinadas por ele. Aliás parabéns ao pessoal do programa Pânico, apesar de eu não gostar muito do programa, eles fantasiados estavam engraçados demais.

Agora vamos ao que conhecemos do Legião Urbana e algumas contradições, Renato Russo sempre rejeitou convites para a Legião Urbana se apresentar em festivais. Fez isso na primeira edição do Hollywood Rock, em 1988, pois não iria se apresentar num “evento capitalista”, patrocinado por grandes empresas, soava incoerente para o vocalista que não queria cantar com o nome de uma marca de cigarros atrás da banda, essa forma de pensar era o maior legado de Renato Russo. Fazer uma homenagem não é o erro, o problema de tudo isso está logo abaixo.

Uma homenagem elitista para um cara que não funcionava dessa maneira, uma homenagem que custou R$200,00 o ingresso e teve como objetivo gravar um DVD e ser um assunto falado por aí, esse para mim foi o maior problema desse tributo, independente da falta de técnica ou até de voz mesmo de Wagner Moura nos vocais que se compreendeu e se colocou ali como um grande fã, independente das falhas de som grotescas que não acontecem nem nas noites de sabado no Café Aurora, o Karaokê gigante do Legião Urbana tinha que ser realizado para o povo, um show aberto em um local como o Parque do Ibirapuera, tenho certeza que a aura da banda iria atingir mais gente e faria um show muito mais emocionante.

Nem vou falar sobre os patrocínios para a realização do show…para quem quiser conferir um trecho do show segue o vídeo abaixo:

Billie Blade é um Ogro louco, escreve no ViShows e no Cerveja com Ogros, nerd, blogueiro, agente de viagens, maníaco por jogos e videogames, cervejeiro e nunca foi fã do Legião Urbana.

U2 – 360º – O Primeiro Show em São Paulo

Hey, sexy boots
Get on your boots, yeah

Como eu já expliquei outras vezes aqui no ViShows, ir para grandes Shows e Festivais em nosso país se trata de planejamento, muito acham que isso só funciona na hora de comprar os ingressos mas na realidade desde o dia da compra de ingressos deve-se pensar em diversos fatores, seja utilizando transporte público ou seu próprio veículo.

Neste sabado consegui executar tudo de maneira perfeita, desde o horário de nossa saída até o local onde estacionar o carro, tudo com a tranquilidade que apenas um final de semana pode oferecer, muita tranquilidade na entrada do Morumbi e escolha de assentos, agora era apenas fazer o tempo passar.

Vou apenas mencionar: “O Muse esteve lá, mas poucos cantaram, poucos gostaram e poucos vão se lembrar.”

Agora vamos ao que realmente interessa, quando o palco terminou de ser montado entrou o U2 com uma montagem de descida da “Nave” que me lembrou os velhos tempos de Show da Xuxa, entraram no palco para levantar o Morumbi com “Even better than the real thing”, a música fez o estádio explodir de emoção mesmo sendo sem ser uma canção popular, porém todos se esqueceram disso quando começou uma sequencia incrível de músicas e efeitos.

O telão 360º tão anunciado parecia realmente algo fantástico, mostrava o show com clareza e explorava angulos fantásticos, trazendo a banda para perto dos fãs que cantavam e faziam o Morumbi tremer, porém não passava de um grande monitor de 500 pixels até “Mysterious ways” onde a tela mostrou sua verdadeira força.

Deste momento para a frente o show se torna um espetáculo visual de primeira linha com efeitos e interação perfeita com as músicas, provocando muita emoção e levando o show a novos lugares o telão salvou também os nossos pobres camaradas da arquibancada amarela que podiam no máximo usar um binóculo para ver os integrantes de costas durante a maior parte do show.

O U2 transformou o Morumbi, sumiu abaixo de seu próprio telão e surpreendeu durante suas músicas, causou emoção e comoção misturando discurso político com vídeos e imagens fortes como era esperado da banda, andaram e abalaram o anel externo do palco enquanto o público delirava e cantava, transformaram o estádio em um baile de outros tempos e viajaram para diferentes dimensões em algumas músicas.

Ainda há um show na Quarta-Feira e eu não estou com vontade de estragar a surpresa dos fãs, mas já adianto uma pequena decepção que tive com o palco, apesar da funcionalidade o aproveitamento de espaço para que todos pudessem acompanhar o show foi pequeno, eu francamente esperava que o palco tivesse mais movimentação tanto nas pontes que levam ao anel externo quanto no próprio local, todos ficaram com um sentimento de que aquele palco iria girar, fica a esperança que outra grande banda tente um palco com mais movimento.

Conclusão: O U2 apresentou um grande show no Estádio do Morumbi, um show que trouxe diferentes emoções e vai ser lembrado ainda pos muitos anos, seu palco deixou uma marca permanente da memória de quem viu que dificilmente vai apreciar o palco em outros shows, inovando e colocando a prova a criatividade de outras bandas. Musicalmente foi um grande show com muita participação do público e energia emanando por todos os lados.

Desnecessário: Lembrança vaga do Show da Xuxa e Abertura do Muse que fez as pessoas ficarem de boca aberta. (Enquanto bocejavam)

Segue abaixo a Playlist do Show:

Set list:
1 – “Even better than the real thing”
2 – “I will follow”
3 – “Get on your boots”
4 – “Magnificent”
5 – “Mysterious ways”
6 – “Elevation”
7 – “Until the end of the world”
8 – “I still haven’t found what I’m looking for”
9 – “Stuck in a moment you can’t get out of” (acústico)
10 – “Beautiful day”
11 – “In a little while”
12 – “Miss Sarajevo”
13 – “City of blinding lights”
14 – “Vertigo”
15 – “I’ll go crazy if I don’t go crazy tonight”
16 – “Sunday bloody Sunday”
17 – “Scarlet”
18 – “Walk on”

Bis 1:
19 – “One”
20 – “Where the streets have no name”

Bis 2:
21 – “Hold me, thrill me, kiss me, kill me”
22 – “With or without you”
23 – “Moment of surrender”

Metallica no Brasil – A banda mais humilde de todos os tempos… em 1989…

Metallica é sem dúvida alguma uma das maiores bandas de Heavy Metal da história, surgiu no começo dos anos 80 renegando o Hard Rock que tomava conta da música naquele momento, o Metallica trouxe composições naturais e complexas, negando os dizeres de que Trash Metal era apenas barulho, mas ainda assim fazendo MUITO BARULHO.

Em meados dos 80, todo Headbanger de respeito já conhecia o Metallica que havia lançado seu primeiro álbum “Kill Em All” em 1983, seguido por “Ride the lighting” de 1984 e muitos outros, enquanto isso aqui em nossas terras os pequenos grandes heróis donos de lojas de discos faziam o possível e impossível para trazer novidades para os seus clientes.

Nessa época em São Paulo surgiu a Woodstock Discos, loja que não apenas apresentou o Metallica como também possibilitou o acesso da garotada aos álbuns, não com apenas os vinis importados das bandas, mas tinha também a fita K7 (Para a molecada que ainda não tinha tanta grana disponível eram o “download” da época) e discos pirateados nacionais lançados no selo Woodstock.

Woodstock Discos em Sampa

Essa acima é a Woodstock Discos na época, e em sua fachada do lado podemos ver a placa que anuncia o METALLICA, em sua primeira apresentação no Brasil com a tour do … AND JUSTICE FOR ALL dias 6 e 7 de Outubro de 1989 com apoio da revista ROCK BRIGADE e promoção da 89 FM (a rádio que Jânio não ouve…)

Álbum que aliás foi lançado em primeira mão pela própria 89 FM no programa Comando Metal, a própria galera do programa demorou bastante para arrumar o vinil e tocá-lo no ar (tocaram ao vivo ponta/ponta e headbangers de toda a capital paulistana ouviram e alguns até gravaram esse programa que esperavam tanto).

Eis que finalmente chega a chance dos fãs brasileiros verem o Metallica, dois anos antes do grande boom da banda onde eles conseguiram muita grana, nessa época vieram ao Brasil apenas com instrumentos de corda e uma ou outra coisa do cenário, e a guitarra de James Hetfield ainda tinha o famoso adesivo “Kill Bon Jovi”.

E no Ginásio do Ibirapuera com uma bateria alugada (Tibério Bateria – ver post no Universo Rock), e equipamentos emprestados o hoje gigante Metallica deu um show para poucos utilizando uma playlist que até hoje faria fãs da banda delirar.

Setlist Metallica 1989 – São paulo – Dia 1

– Ecstacy of Gold
– Blackened
– For Whom the Bell Tolls
– Sanitarium
– Harvestor of Sorrow
– The Four Horsemen
– Bass Solo
– To Live is to Die
– Master of Puppets
– Fade to Black
– Seek & Destroy
– …And Justice for All
– One
– Creeping Death
– Guitar Solo – Kirk
– Battery
– Prowler Jam
– Last Caress
– Am I Evil?
– Damage Inc.
– Blitzkrieg
– Breadfan

E isso é apenas o Setlist “oficial”, voltaram mais 3 vezes ao palco e mandaram covers diversos, inclusive introduções de sons do Iron Maiden e outras bandas, ficaram lá mesmo sem tocar, distribuindo palhetas e interagindo com a platéia… naquele dia o Metallica era igual ao seu público, headbangers empolgados com um show fantástico, garotos que não queriam ir embora e andavam de um lado para o outro, a banda mais humilde de todos os tempos, que talvez nunca fosse voltar ao Brasil…

Mas o Metallica voltou e criou novas histórias, nem de perto tantas quanto nesse primeiro show mas ainda assim a banda que veio foi outra, no próximo texto falaremos sobre o GIGANTESCO Metallica, uma das maiores bandas da história, que está a caminho do Brasil para o Rock in Rio 2011.

E durante esse aquecimento vamos lembrar desde aqueles caras que vieram fazer um show em 89 até os deuses do rock que vieram em 2010, ainda temos muito para falar.

@billieblade

400 Posts e Muito Rock

Saudações galera do ViShows!

Que agradável surpresa eu tive hoje de manhã, em pleno #DiadoRock soube que faria o Post número 400 do ViShows, não por acaso hoje, afinal, as forças dos Deuses do Rock agem dessa maneira, em um dia tão especial, um post especial também nos espera.

Hojé é dia 13 de Julho, o Dia Mundial do Rock, uma data na qual eu gosto de ouvir diversas velharias guardadas no armário, as bandas que ouvi desde o começo do meu bom gosto pelo bom e velho Rock´n Roll.

Então segue a lista, desde os primórdios, até hoje em dia. (O homem ainda faz o que o macaco fazia…)

Até os 11 anos de idade eu não possuia um gosto musical bem definido, como toda criança da época eu gostava do que todos ao meu redor ouviam, Virgulóides, Mamonas Assassinas e outras coisas que devem ser apagadas da minha memória levadas em consideração nesse momento.

Porém no ano de 1996 tudo mudou, pois na prateleira de meu irmão havia um CD que fez tudo mudar, esse CD se chamava “The Best of the Beast” do “Iron Maiden”, afinal, bom mesmo é começar com uma coletânea.

Marco Zero – 1996 – The Best of the Beast

A partir deste momento a história começou a mudar, o estilo chamado por muitos de Metal Melódico tomou conta da minha personalidade, busquei diversas bandas parecidas e aprendi muito na época, algumas dessas bandas foram: “Blind Guardian”“Hammerfall”“Judas Priest”“Nightwish” “Iron Maiden”

2nd Wave of Metal – Apurando os gostos

Nessa época uma das grandes bandas do mundo voltou a aparecer na mídia, com lançamento de Albuns como “Load” “Reload” e “Garage Inc.” o “Metallica” se tornou uma das minhas grandes paixões, da mesma forma que antes eu estudei e busquei tudo, pude ter noção do que era O METALLICA ouvindo músicas desde a época do “Kill´em All

Algumas das bandas dessa época foram:  “Megadeth”“Rage Against the Machine”“Manowar” “Kiss”

3rd Wave of Freedom – Um grito de Liberdade

Estava na hora do mundo ficar mais sério para mim, criar novas ideologias, algumas que carrego até hoje, o meu grito de liberdade, nessa época conheci o Punk Rock, estilo que ficaria marcado na minha vida.

A Banda responsável por começar esse gosto foi o Bad Religion, banda que carrego no meu mp3 até hoje, junto com diversas bandas que conheci ao longo do tempo, dentre elas: “Pennywise”“Offspring”“NOFX”“Rancid”“Ramones”

4th Wave of Doom – Conhecendo o Submundo

Nessa época ja possuia bastante conhecimento de música, ia me desviando das novidades que eu não gostava e nem nunca consegui gostar, desprezei Linkin Park e muitas outras bandas que apareceram nessa época, mas procurei mais a fundo, e achei grandes bandas em um local escuro.

Nessa época descobri sons como Amon Amarth e Korpiklaani, fui do Folk Metal ao Death Metal, ouvi bandas fantásticas e sons completamente diferentes, entre elas: “Amon Amarth”“Korpiklaani” “Moonsorrow” “Bathory”

5th Wave – Descobrindo a América Latina e meu próprio país.

Nessa época comecei a procurar diferentes bandas e sons, fui atrás de novidades e ouvi coisas de muitos lugares do mundo, mas novamente com influência do meu irmão acabei conhecendo novas bandas, bandas latinas e nacionais, antigas e novas.

Essa foi a minha maior época de identificação com os nossos Hermanos, tive um grande crescimento pessoal e desenvolvimento da minha maneira de pensar e ver as coisas, passei a dar o valor correto as bandas latinas.

Dentre elas: “Molotov”“Ataque 77”“El otro yo”Los Fabulosos Cadillacs”

____________________________________________________________

Este sou eu, uma mistura de diversas bandas e pensamentos, o Rock me ajudou em toda a formação da minha personalidade e de meus gostos, inclusive na escolha de amigos.

Essa é a minha lista, uma parte bem resumida da minha história e tudo que aprendi e conheci, qual a sua lista? Como você cresceu para o rock? Como conheceu?

Pare um dia para escrever, tenho certeza que vai resgatar grandes lembranças.

Detalhe: Essas foram as bandas iniciais e as que mais marcaram, mas ouvi muito das grandes bandas, essa é a minha lista e aquilo que me influenciou, mas em todos os gostos sempre tiveram outras grandes bandas. e experiências, essa é uma versão resumida, espero que gostem.

Billie Blade é definitivamente louco, escreve no ViShows e no Cerveja com Ogros, twitteiro, blogueiro, agente de viagens, maníaco por jogos e músicas.

Shows 2010 – Green Day no Brasil

Saudações galera do ViShows

Na minha época de garoto, falar em Green Day era falar sobre uma banda de “Light Punk“, e hoje só me resta a vergonha de falar que em 1998 eu fui ao show deles do álbum “Nimrod”, na época nåo era nenhuma grande banda, nåo passava de um Punk Rock mediano que tinha algumas músicas bacanas como “Scattered”, “Jinx” e “Uptight”.

Há bons anos atrás eu podia apresentar os ingressos desse show e causar inveja a todos os meus amigos, hoje eu escondo fortemente esse ingresso, com riscos de jogá-lo no lixo, pois essa que era uma banda de Punk Rock razoável virou uma referencia no mundo emo.

Nåo vamos tirar o mérito da banda pela suas fantásticas idéias como “American Idiot” na época em que a sacada foi genial, alguns acharam que aquele álbum foi uma grande evolução, outros como eu pregam que foi o dia em que a banda se perdeu, mas independente de opiniões, o grupo é indiscutivelmente um sucesso.

Se antes um conjunto nåo tomava banho, hoje uma banda que passa maquiagem demais, mas para quem gosta, eles eståo voltando para o Brasil em 2010, com uma série de shows…

Direto da nossa Wishlist do Ano Passado para a Vida Real.

  • 13/10 em Porto Alegre
  • 15/10 no Rio de Janeiro
  • 17/10 em Brasília
  • 20/10 em São Paulo

Essas datas ainda nåo estão 100% confirmadas, rezam as lendas que no Final de Maio os ingressos já estaråo a venda, com preços entre R$90,00 e R$250,00.

Para quem quiser, segue um vídeo da época em que eu ouvia “Green Day”

Lembrando que a banda já apareceu inclusive no PodCast do ViShows nesta emissåo. Ou deveria dizer EMOssåo.

Billie Blade escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros, é nerd, blogueiro, cervejeiro e completamente maluco por música.

Novo Álbum – Capital Inicial

Saudações galera do ViShows

Hoje o Capital Inicial colocou em seu site oficial a música“Depois da Meia-Noite” som de seu novo disco que será lançado em Junho de 2010, esse será o 12º disco da carreira da banda, entitulado “Das Kapital”.

A banda foi formada em Brasília, oriunda dos membros do Aborto Elétrico fez parte da Revoluçåo do Rock nacional nos anos 80, uma das grandes bandas que veio da capital junto com Legiåo Urbana e Plebe Rude.

Eles ainda eståo finalizando a turne do seu último album, tendo alguns shows para terminar, porém para os fås já vale a pena conferir essa nova música e o “making of” do clipe que ainda será lançado.

Quer novidades da banda confira também no twitter @capitalinicial

Vale a pena também dar algumas risadas com o Making Of da Capa do Novo album, video que a própria banda disponibilizou.

Billie Blade escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros, é nerd, blogueiro, cervejeiro e completamente maluco por música.

Zizi e Luiza Possi – Dia das Mães

Saudações galera do ViShows!

Hoje venho dar uma dica diferente para vocês, é sobre o show de Zizi Possi e sua filha no Parque do Ibirapuera, neste domingo dia 09 de Maio, um programa familiar e quem sabe, uma surpresa para a sua mãe no dia que pertence a ela.

Essa apresentação é trazida ao publico pelo pessoal do Bourbon Street em moema e por diversas empresas como a D&D (Decoração e Design Center) que fica no World Trade Center em São Paulo.

Não é o meu estilo, mas são duas cantoras com muito talento, Zizi é uma Paulistana do Brás, artista da MPB que se renova constantemente, mostrando o seu talento em estilos como o Rock Progressivo e o Pop Acústico.

Sua filha Luiza Possi surgiu de uma forma impressionante no cenário nacional, com muita personalidade Luiza se mostrou uma diversificada artista do Pop/Rock nacional.

Dois talentos, mãe e filha em pleno dia das mães, vale a pena ir!

QUANDO?

09 de Maio as 12:00

ONDE?

No Parque do Ibirapuera – Estacionamento do Museu Afro Brasil

PREÇO?

Gratuito!


Billie Blade escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros, é nerd, blogueiro, cervejeiro e completamente maluco por música.

Luto – Peter Steele – Type O Negative

Foi confirmada na manhã desta quinta feira o falecimento de Peter Steele, vocalista e baixista do Type O Negative, seu nome é Peter Ratajczyk, nascido em 4 de Janeiro de 1962 em New York.

Sua voz de timbre extremamente baixo será sempre lembrada como uma das maiores figuras do rock na passagem dos anos 80 para os 90.  Seu vocal tornava o Type O Negative uma banda única em seu estilo.

Os remanescente da banda, afirmam ao menos momentaneamente o encerramento de suas atividades, ainda não foi divulgado o motivo do óbito, porém foi atribuído a uma parada cardíaca.

Abaixo vamos conferir o vídeo de uma das músicas mais famosas da banda.

#luto a uma das vozes mais impressionantes do rock.

To rest in peace is better than to rust in pieces.

Billie Blade – ViShows

Abril Pró Rock – Bandas do Segundo Dia

Como muitos sabem, nessa sexta feira começa em Recife a 18ª edição do Abril Pro Rock, um dos mais respeitados festivais da música do Brasil.  Quais são as bandas do segundo dia?

Hoje vou falar um pouco sobre as bandas do segundo dia de festival, novamente para todos conseguirem algumas informações sobre as bandas do Abril Pró Rock. No sabado vão se apresentar diversas bandas cujo a sonoridade não faz parte do meu repertório comum de bandas e músicas, mas fiz uma pesquisa e apresento aqui para vocês.

Sábado – 17/04
HIP HOP / POP/ ROCK / ELECTRO

Afrika Bambaataa -EUA – Lider da “Zulu Nation” e conhecido como fundador do Hip Hop, é um DJ muito talentoso e com muita experiência, um ícone do Electro, do funk e do Hip Hop, deve fazer um show forte e com muita variação devido ao seu repertório variado.

Pato Fu – MG -Banda Brasileira de Rock Alternativo, não possuí meio termo com o Pato Fu, quem não ama a banda os odeia, e vice versa, independente disso foi considerada uma das melhores bandas do mundo fora dos EUA pela revista Times.

3naMassa – PE/SP – Projeto que reúne Dengue e Pupillo da grande banda Nação Zumbi com Rica Amabis do grupo Instituto, possuí diversas diferentes participações de vocais femininas, artistas e cantoras. Promete vir com a inovação e o som envolvente que são a marca registrada desses artistas.

Instituto Mexicano del Sonido – Méx – Um projeto de Camilo Lara que mescla musicas dos anos 70 e 80 com música eletronica fazendo uma fusão única e que virou um movimento constante na Cidade do México.

Wado – AL – Consolidado artista nacional vem se mostrando um icone nacional em questão de qualidade e inovação, vem se tornando um Hype em diversos eventos. (A trilha sonora da novela da Globo ajudou também)

The River Raid – PE -Banda de altíssima qualidade sendo uma das maiores surpresas que eu tive em minha pesquisa, o grupo tem forte ligação com o rock nacional e mesmo assim se mantém ligado as atualidades, uma performance que irei acompanhar com certeza.

Nevilton – PR – Um dos mais criativos e malucos músicos do Rock Independente nacional apresenta o seu som, com o trio que leva o seu nome mostra muita energia. Possuem ótimas influencias como os Beatles, Pixies, Cake, Los Hermanos, Hellacopters e outros, dando a banda uma ótima identidade sonora.

Bugs – RN – Com influências variadas a banda potiguar ganhou destaque no lançamento de seu primeiro cd em 2003, hoje com um novo trabalho eles continuam recebendo comentários favoraveis.

Vendo 147 – BA – A banda que possuí dois bateristas tocando a MESMA batera, um rock bem tocado com pintas de “virtuosidade”, porém mesmo com essa assustadora palavra não fazem um som chato, muito pelo contrário.

Plastique Noir – CE – Power Trio Pós Punk do Ceara que já compareceu na Virada Cultural aqui em Sampa pode ser uma surpresa, uma das únicas bandas desse estilo a fazer parte do evento, a energia que estão mostrando faltando pouco para o show impressiona.

Mini Box Lunar – AP -A grande revelação do Pop Amazônico em 2009 segue para o evento com uma grande bagagem, seu disco composto em pouquíssimo tempo para alguns mostra uma banda despretensiosa, porém o som deles mostra talento autêntico e experiência.

Anjo Gabriel – PE – Difícil é explicar essa banda, quando as palavras surrealismo e psicodelia não conseguirem ser entendidas, basta explicar que é uma viagem de ácido pelo rock, deve ser o suficiente para o show valer a pena.

Zeca Viana – PE – projeto Solo o músico que já participou de diversas bandas tocando diferentes instrumentos promete surpreender quem não o conhece, seu trabalho que ja é considerado pelos críticos como algo brilhante mostra um rock cheio de referências do mundo pop, sendo uma experiência visual auditiva… será que eu consegui explicar isso? Enfim, é diferente e vale a pena, seu som está acima da criação músical, atenção nesse cara.

Plástico Lunar – SE – Com som e cara de banda de garagem dos anos 60 o Plástico Lunar vem com um Rock´n Roll clássico muito criativo e bem trabalhado, mostram sua verdadeira face em suas incurssões musicais pelo rock psicodélico nacional em suas músicas, fazendo uma mistura agradável e criativa.

MEU DEUS ALGUÉM ME MANDA PRO ABRIL PRÓ ROCK!

Se o primeiro dia eu já havia apontado como uma experiência inesquecível, o segundo dia completa o que parece ser um dos eventos mais completos do cenário nacional.

Ingressos: R$ 40 (inteira); R$ 20 (meia-entrada);
R$ 25 + 1 kg de alimento não-perecível (ingresso social).

Até mais ver galera, quem for no show não se esquece de aparecer aqui para contar. Mas enquanto isso eu estou aqui… longe do Abril Pró Rock, mas sempre acompanhando o som no ViShows.

Billie Blade é twitteiro, louco, agente de viagens, nerd de plantão, gamer e louco por música, escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros.

Abril Pró Rock – Quais bandas conhecemos?

Como muitos sabem, nessa sexta feira começa em Recife a 18ª edição do Abril Pro Rock, um dos mais respeitados festivais da música do Brasil.

Todos nós estamos ligados sobre o festival, mas não custa nada dar algumas informações sobre as bandas que vão passar por lá, nem que seja algo bem breve:

Sexta-feira – 16/Abril
PUNK/METAL/HARDCORE

Blaze Bayley – UK – Carreira solo do Ex-Vocalista do Iron Maiden, odiado por muitos e idolatrado por alguns, após sua saída do Iron Maiden para a volta de Bruce Dickinson, ainda foram confirmadas que muitas músicas da banda foram escritas pelo próprio Blaze. Um vocalista de voz potente e muito talento. Sua banda conta com vários grandes músicos.

The Varukers – UK – Banda Punk formada no final dos anos 70, conhecida por apresentações memoráveis o The Varukers é uma banda de Hardcore Punk, entre suas paradas e retornos a banda continua sendo uma referência em seu estilo.

Agent Orange – EUA – Banda Californiana tradicional do movimento Surf Punk, uma das primeiras bandas a misturar Punk Rock com Surf Music hoje tem muita influência no cenário Skate Punk.

Ratos de Porão – SP – Tradicional banda de Hardcore Trash Punk formada em 1980 na explosão do Movimento Punk Paulista, a banda é uma referência internacional no cenário trash.

Claustrofobia – SP – Banda Paulista de Trash Metal, muita atitude e um som extremamente pesado fizeram com que essa grande banda dividisse palco com algumas das maiores lendas da história do Metal como Soulfly, In Flames, Destruction e outras.

Terra Prima – PE – Banda de Heavy Metal Melódico que mistura elementos nacionais com World Music, difícil imaginar o som que poderia sair dessa mistura mas posso garantir que além de diferente tem muita qualidade.

Eminence – MG – Conheço muito pouco dessa banda de Minas Gerais, mas o histórico deles impressiona, seu segundo album foi produzido por Neil Kernon ( Cannibal Corpse, Nevermore, Judas Priest). E seu histórico de shows é fantástico.

Inner Demons Rise – PE -Com um som Melódico e Pesado essa banda que segue a mesma linha de metal de gigantes como Amon Amarth, Moonspell e outras mostrou-se disposta a arriscar com um Album Conceitual que conta a história de Drácula de Bram Stoker. Muito interessante ver uma banda nacional com essa característica.

Alkymenia – PE – Banda de Trash/Death Metal a banda que estreiou com o EP “They Don´t deserve respect” é muito respeitada no cenário nacional, isso devido a grande carga de energia de mostra em seus shows. Credibilidade alcançada com grandes performances e profissionalismo, aproveitem a chance de ver esses caras antes que passem a andar pela Europa e sumam do espaço nacional.

The Mullet Monster Mafia – SP – Banda de Surf Music do interior de São Paulo, muito nova e com apenas um EP lançado, porém seu som instrumental se mostrou forte ao entrar em circuitos internacionais, de onde provavelmente não vai sair.

Depois de ouvir todas essas bandas, alguém me arruma uma passagem pra Recife? O Abril Pró Rock promete ser fantástico, quem estiver por perto e puder comparecer vai ver um espetaculo de se dar inveja.

Abertura dos portões às 20h (dia 16) e 17h (dia 17).

Ingressos: R$ 40 (inteira); R$ 20 (meia-entrada);
R$ 25 + 1 kg de alimento não-perecível (ingresso social).

Amanhã eu volto, para falar sobre as bandas do segundo dia do festival.

Billie Blade é louco, pirado, blogueiro, agente de viagens e nerd gamer compulsivo, escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros.

Manowar – Brasil – Maio/2010

Há algumas semanas o Luis me classificou como o escritor de metal farofa do ViShows… naquele dia mandei ele a merda…. , mas depois pensei e lembrei que os shows de Metal Farofa são os MAIS DIVERTIDOS.

Aproveitando esse assunto venho falar sobre os shows do Manowar no Brasil em Maio/10, grupo fundado em 1980 possuí 10 álbuns de estúdio lançados.

A banda possuí em sua música temas relacionados à mitologia nórdica e muitas vezes apareceram vestidos de vikings, também é uma banda feita de recordes mundiais, sendo considerada a banda mais barulhenta do planeta alcançando incríveis 129 decibéis, mas os maricas do Guiness Book não firmaram o recorde pelo medo de virar moda e outras bandas tentarem seguir o mesmo estilo.

Eles também possuem o recorde de show mais longo da história, e isso sim é uma marca de se orgulhar, em 2008 na Bulgária a banda fez um show que durou 5 horas, empurrados por fãs fanáticos que se mantiveram de pé durante todo esse tempo.

Então separem os cintos de spike e os braceletes de couro, soltem seus cabelos (mesmo os carecas que soltam cabelos imaginários) e treinem sua técnica para ver uma das maiores bandas do heavy metal, segundo eles próprios inclusive, a MAIOR BANDA DE HEAVY METAL.

Exageros à parte deve ser um grande show para se curtir pois é uma banda com muita energia e experiência que pode fazer do show uma experiência incrível.

Datas:

Manowar – São Paulo

Quando: 7 de maio, às 22h
Onde: Credicard Hall – Av. das Nações Unidas, 17.955, Santo Amaro
Quanto: de R$ 100 a R$ 300 com direito a meia-entrada
Vendas pela internet: http://www.ticketsforfun.com.br
Informações: 4003-5588

Manowar – Rio de Janeiro

Quando: 8 de maio, às 22h
Onde: Citibank Hall/ RJ – Av. Ayrton Senna, 3000, Shopping Via Parque, Barra da Tijuca
Quanto: de R$ 130 a R$ 300
Vendas pela internet: http://www.ticketsforfun.com.br
Informações: 4003-5588

Manowar – Belo Horizonte

Quando: 9 de maio, às 19h
Onde: Chevrolet Hall – Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi
Quanto: de R$ 140 a R$ 200
Vendas pela internet: http://www.ticketsforfun.com.br
Informações: 4003-5588

Mostrem o seu lado Viking! Compareçam! Mas deixem as espadas em casa…

E nos vemos depois para falar de outros shows e bandas, com muito metal farofa para se contar, sempre aqui no ViShows.

Billie Blade é gamer, nerd, blogueiro e maluco por música, escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros