Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos da Categoria: Hardcore

Músicas originais x Covers

Por Renata Quirino

Estava ouvindo um dos meus programas de rádio favoritos, na americana KCRW, apresentado pelo músico, escritor, radialista, ativista e um monte de outras coisas Henry Rollins, em uma edição especial: quinze músicas com artistas originais e as mesmas canções na versão de outras bandas.

A primeira hora do programa conta com clássicos de Little Richard, Carl Perkins, Captain Beefheart & The Magic Band, Tom Waits, Lee Hazelwood e na segunda hora tem Marathons, Black Sabbath, Scientists, The Ramones e Lydia Lunch & Rowland S Howard fazendo suas versões, entre outras ótimas bandas. Ouça aqui. Não entende inglês? Aprenda. Te garanto que vale cada minuto. Aproveite e ouça as outras edições. Afinal, onde mais você ouve maravilhas como um especial de duas horas de Iggy Pop ou um programa com Cramps, New York Dolls, Black Flag, Billie Holiday em uma só playlist? Sensacional. Dá pra baixar aqui.

Mas voltando ao assunto canções originais e seus covers, para complementar a lista de Henry Rollins, o Vishows fez uma seleção com mais algumas músicas que ganharam uma nova versão, muitas vezes inusitadas, de alguns artistas, do pop ao thrash metal.

E aí, qual você prefere? Original ou cover?

Vamos começar com “Mountain Songdo Jane’s Addiction. Essa música faz parte do primeiro álbum de estúdio da banda, chamado Nothing’s Shocking, de 1988. Ouça o original:

Em 2002, o Sepultura lançou um álbum de covers chamado “Revolusongs”, no qual os brasileiros fazem versões de bandas tão distintas quanto Public Enemy, U2, Devo e Hellhammer. Saca só como ficou a versão dos caras para a banda de Perry Farrell:

Após o lançamento de seu segundo álbum intitulado “Like a Virgin”, em 1984, Madonna conseguiu reconhecimento (e muita polêmica) mundo afora. Esse grande hit ficou por seis semanas consecutivas nas paradas da Billboard, para o desespero dos conservadores e moralistas da época:

Em 1991, a banda alternativa Teenage Fan Club fez sua versão do hit “Like a Virgin”, que está no álbum “The King”. Se você não sabe quem é Teenage Fan Club uma boa referência é saber que Kurt Cobain muitas vezes se referia a banda como “a melhor do mundo”:

A versão original dessa música está na lista de Henry Rollins seguida do cover do Black Sabbath, mas eu não poderia deixar de colocar aqui a versão dos debochados Toy Dolls. Essa canção foi gravada em 1955 por Carl Perkins e é considerada uma dos primeiros registros do gênero rockabilly da história. Ouça “Blue Suede Shoes”:

 

Em 1983, os ingleses do Toy Dolls fizeram uma versão punk rock desse clássico, claro, da maneira mais debochada possível, já que essa é a maior característica da banda. Ela está no primeiro disco dos caras, chamado “Dig That Groove Baby” que, diga-se de passagem, é o álbum favorito da carreira do Toy Dolls para o seu vocalista malucaço Olga.

 

Gary Glitter foi um cantor de glam rock muito conhecido nos anos 70, com diversos hits nas paradas musicais da época, como “Rock n Roll Part One and Two”, “Hello, Hello, I’m Back Again”, “ I Love You Love Me Love”, entre outros. Outro hit do cara foi “Do You Wanna Touch Me (Oh Yeah)”, do álbum “Touch Me”, de 1973:

 

Em 1981 “Do You Wanna Touch Me (Oh Yeah)” ganhou uma belíssima versão da diva Joan Jett, em seu primeiro disco solo chamado “Bad Reputation”:

 

Essa é uma das mais famosas da lista. “Ring of Fire” do maravilhoso Johnny Cash (dispensa apresentações certo?) foi gravada na década de 50, na mesma época de outros clássicos absolutos, como “Don’t take your guns to town”, “I Got Stripe” e “Understand you Man”.  Delicie-se com a versão orginial de Cash:

 

Em 1990, a banda punk californiana Social Distortion fez sua versão de “Ring of Fire”. Tenho que dizer que esse é um dos meus covers favoritos de todos os tempos. A música está no disco que leva o nome da banda, que tem, entre outras canções, “Ball and Chain” e “Story of my life”.

 

Quer sugerir outros covers? Escreva aí nos comentários ou na nossa página no Facebook.

Anúncios

Noite de hardcore em São Paulo: No Use for a Name no Carioca Club

Por Renata Quirino

Rolou ontem em São Paulo o show da banda de hardcore americana No Use For a Name, no Carioca Club. A casa, localizada em Pinheiros, tem uma programação voltada para a música brasileira, como samba e forró, e nos últimos tempos também tem se dedicado ao rock, com shows de bandas como Sebastian Bach, Kyuss Live!, Destruction, entre outros.

Essa foi a primeira vez que vi um show no Carioca Club e vi muitas vantagens: fácil acesso (o metrô Faria Lima fica a cinco minutos do Carioca e há diversas opções de ônibus na região), os shows começam e terminam cedo (evitando assim que o público passe a madrugada na rua esperando que o transporte público volte a funcionar ou que tenha que pagar por um táxi para ir pra casa), som e iluminação bons e camarote com uma visão bacana do palco. Muitos pontos para a casa. Mas, como nem tudo é perfeito, antes do No Use For a Name subir ao palco, o Dj da casa, que não conhecia nada da banda e muito menos do público, cometeu o erro de tocar um CD INTEIRO do Rappa para “aquecer” os presentes. Óbvio que a escolha não agradou e depois de muitas vaias e pedidos desesperados para que o DJ tivesse piedade de nossos ouvidos e parasse de tocar aquilo, o moço resolveu trocar o disco e colocou Metallica. Totalmente fora de contexto, mas, logicamente, muito melhor que o Rappa. NOFX? Millencolin? Pennywise? Acho que ele nem sabe o que é isso.

Bom, mas agora o No Use For a Name. Também conhecido como NUFAN, a banda nasceu no final dos anos 80, na Califórnia e é uma das mais representativas no chamado Hardcore Melódico.  A última passagem dos americanos no Brasil foi em 2009, no tradicional Hangar 110.

A banda subiu ao palco com quinze minutos de atraso, às 20h15. O vocalista Tony Sly entrou em cena registrando a euforia do público com seu celular. O simpático baixista Matt Riddle conversou e brincou bastante com o público durante toda a apresentação, inclusive com o fato de que hoje, domingo, a banda fará um show na Argentina. Já Tony perguntou se o público gostaria que a banda cancelasse a apresentação e fizesse mais um show por aqui e a platéia, claro, respondeu fervorosamente que sim.

Com fãs fiéis, a banda foi acompanhada do início ao fim, em todas as canções. Destaque para o hit “Coming Too Close”, que arrancou até lágrimas de alguns que estavam por ali. Com a platéia formada na sua maioria por adolescentes e por trintões que estavam recordando sua adolescência, esse show mostrou que a cena hardcore tem um público apaixonado e que conquista novos admiradores a cada dia.

No BIS, o vocalista subiu ao palco com sua guitarra e improvisou uma música em homenagem à São Paulo (com direito a uma bela desafinada no começo, diga-se de passagem), com uma letra que dizia como a cidade traz boas recordações à banda, come eles estão felizes por estar ali novamente e que prometem voltar em breve. Claro, muito aplaudido pelo público apaixonado. Logo em seguida a banda toda volta para tocar as últimas canções. Dois garotos invadem o palco e são levados pelos seguranças. Matt Riddle deixou a banda tocando e foi pedir para que o segurança deixasse os fãs descerem pela frente do palco numa boa. Voltou, pegou o baixo do chão e continuou tocando.

Matt Riddle, do No Use For a Name, no Carioca Club

A banda encerrou a apresentação agradecendo muito e o público foi embora feliz do Carioca Club esperando que Tony Sly cumpra o que disse durante o show: voltar em breve. Uma noite de hardcore adolescente, para quem é adolescente ou para quem voltou a ser adolescente durante uma hora e meia.

Veja mais fotos no Flickr.

Dicas para curtir o melhor da Virada Cultural 2012

VIRADA CULTURAL 2012

VIRADA CULTURAL 2012

!! Dicas do blog VISHOWS, para curtir numa boa a Virada Cultural 2012 !!

1 – PESQUISAR E PLANEJAR

A primeira dica é PLANEJAMENTO, pois um evento assim diverso, agrega roqueiros, pagodeiros, malucos, crianças, velhinhos, mendigos, regueiros, clubbers, manos, mauricinhos, punks e alternativos de toda ordem e opção.

Ou seja, tem prá todo mundo – procure na programação completa do sitio da Virada, e cheque seus artistas e atrações favoritos, horários e locais. Feito isso, dê um passeio no Google MAPS e Street View para ver as distâncias, pontos de ônibus e metrô mais próximos.

2 – TRANSPORTE

Não vá de carro, é a maior roubada !!

Se você mora longe do centro e do metrô, a dica de transporte é ir de carro até a estação de Metrô ou trem mais próxima. Daí é escolher se fica melhor descer na Sé, Liberdade, República, Anhagabaú, Luz ou até mesmo na Paraíso, Ana Rosa, Santana e Barra Funda prá quem vai curtir o circuito que rola em diversos SESCs da cidade.

Em todos os CEU´s vão rolar apresentações e performances como opção para vários bairros de SP.

3 – HORÁRIOS

Eu sempre busco horários mais alternativos, o pico de lotação normalmente acontece das 22:00 até altas horas da madrugada, e no Domingo à tarde a cidade fica novamente lotada.

Pesquise os palcos próximos do seu show preferido, pois se ficar lotado demais, apresentações menos concorridas podem ser até mais divertidas.

4 – O que ver na Virada Cultural 2012 ?

Agora que o Braza está na rota de shows internacionais, a Virada apostou em uma programação eclética e com nomes internacionais relevantes, em 2012 as atrações prometem !!

PALCO JÚLIO PRESTES

Ebo Taylor (Gana) – dia 5 às 20h30
Em Gana o HighLife é o Ritmo, e Ebo Taylor tem lugar garantido nos sons do Oeste da África, com guitarras melódicas e nos metais cheios de swing, o som despontou para o mundo com a modernização da música africana no século XX, e o cara é um dos fundadores do estilo e inspirador do afrobeat.

Com a Afrobeat Academy, uma das melhores orquestras de afrobeat do mundo, gravou em 2010 o disco “Love and Death” – VALE A PENA !

Tony Allen (Nigéria) – dia 6 à 00h00
Mago e mestre do Ritmo Afrobeat, direto da Nigéria o baterista-maestro-arranjador, que tocou por anos com Fela Kuti, é um dos maiores bateras de todos os tempos.

IMPERDÍVEL

Seun Kuti & Egypt 80 (Nigéria) – dia 6 às 02h30
Filho do mestre Fela Kuti, Seun se mostra com a mesma força do pai, em especial ao vivo, vem ao Brasil acompanhado da banda Egypt 80, que durante muitos anos acompanhou Fela Kuti.

Não é um tributo, pois as composições são todas próprias e cheias de personalidade, mas é claro que Seun é o mais fiel seguidor de Fela, tanto pela ideologia política, quanto pela musicalidade.

Seu último álbum, produzido por Brian Eno, é “From Africa with Fury: Rise”, é forte e teve destaque internacional onde a energia de Fela está presente até na capa, feita por Lemi Ghariokwu, o mesmo que criou capas clássicas de Fela.

UM DOS MELHORES SHOWS DO ANO

Toots and the Maytals (Jamaica) – dia 6 às 13h00
Depos de Bob Marley, Peter Tosh e Jimmi Cliff, Toots Hilbert é o grande nome mundial do Ska e do Reggae, e finalmente chega ao Brasil !!!

Considerada uma das mais emblemáticas bandas da Jamaica, tem na mistura do gospel com ska, soul, reagge e rock a sua consagrada fórmula, e seu maior clássico “54-46 Thats My Number“, é uma das maiores pedradas do gênero.


Atualização Urgente !! Não dá prá elogiar… Erros da produção da Virada Cultural cancelam shows de The Abyssinians e Toots and The Maytals #fail #amadorismo

Gilberto Gil – dia 6 às 18h00
Gil dispensa apresentações, é o maior artista da sua geração e não virou depois de maduro, um conservador e reacionário como muitos de sua época, por isso continua atual e relevante, sem ter que posar de roqueiro ou montar uma banda com “garotos”.

PALCO REPÚBLICA

Mccoy Tyner Quartet – dia 5 às 19h00
O cara é referência quando se fala em jazz moderno, tocou com John Coltrane, no quarteto responsável por um dos álbuns mais famosos na história do jazz, “My Favorite Things”. Indo muito além do convencional, seu estilo de tocar piano baseado no blues é repleto de acordes sofisticados. Suas contribuições harmônicas e recursos rítmicos formam o vocabulário da maioria dos pianistas de jazz da atualidade.

Roy Ayers – dia 6 à 00h00
Com origem no Jazz Roy Ayes, tem trajetória incrível, passando pelo funk, soul e pop. É uma lenda da música e que deve fazer o melhor show do Palco República.

Raul de Souza com Zimbo Trio – dia 6 às 02h30
O Zimbo Trio, formado atualmente por Amílton Godoy (piano), Pércio Sápia (bateria) e Mario Andreotti (contrabaixo acústico), começou no ínício dos anos 60 e virou referência instrumental do som moderno brazuca, tendo acompanhado os maiores nomes da música brasileira nos últimos anos. Vai tocar com o mestre Raul de Souza, um dos maiores trombonistas brasileiros e, que ao longo de sua carreira, trabalhou com músicos como Sergio Mendez, Flora Purim, Airto Moreira, Milton Nascimento, Sonny Rollins, George Duke e Cal Tjader, entre outros.

Charles Bradley – dia 6 às 15h00
O soul de Charles Bradley, chega direto da Flórida e tem conquistado o mundo, vale pela sonzeira de The World (Is Going Up In Flames) de 2010 e pelo estilo que lembra o Soul Man Otis Redding. Esse vou ver MESMO !!

Larry Graham – dia 6 às 17h30
Larry Graham, é um músico, compositor, cantor e produtor musical americano, a quem se atribui a invenção da técnica de bater com o polegar nas cordas do baixo eléctrico, “slapping” ou, conforme definição do próprio artista, Thumpin’ and Pluckin’ . É especialmente conhecido como baixista da banda “Sly & the Family Stone”, que influenciou o funk e o soul psicadélico nos anos 70. Foi ainda o fundador e principal figura da banda “Graham Central Station”.

PALCO SÃO JOÃO

Banda Made In Brazil – dia 5 às 18h30 (Tocando na íntegra “Jack o Estripador” de 1976)
A lenda viva do rock brazuca, Made In Brazil, sobe mais uma vez no Palco do Rock da Virada, desta vez para um show especial: a apresentação, na íntegra, do LP “Jack, O Estripador”, um clássico de 1976. Para o show histórico, a banda traz sua formação original com Oswaldo e Celso Vecchione e Percy Weiss nos vocais, além de convidados especiais que aproveitarão a ocasião para homenagear o falecido produtor Ezequiel Neves.

Iron Butterfly – dia 5 às 23h30
Iron Butterfly surgiu na primavera de 1967, em Los Angeles, alcançando grande sucesso já no seu álbum de estréia, o clássico “In-na-gadda-da-vida”. O disco atingiu logo de cara a impressionante marca de 8 milhões de cópias de vendidas.

Os Mutantes – dia 6 às 02h00
Desde 1966, os Mutantes assombram o mundo com seu experimentalismo e criatividade. Originalmente formada por Arnaldo Baptista, Rita Lee e Sérgio Dias, a banda foi um dos catalisadores do movimento Tropicalista. Psicodélicos, românticos, doidos varridos, visionários cheios de energia e imaginação, são uma das bandas mais influentes da música brasileira, chegando a tocar ouvidos mundialmente famosos como os de Kurt Cobain e Sean Lennon.

Members of Morphine & Jeremy Lyons – dia 6 às 04h30
O saxofonista Dana Colley e o baterista Jerome Deupree, membros originais da cultuada banda Morphine, se juntam ao guitarrista e baixista Jeremy Lyons para interpretar os clássicos da banda que terminou subitamente em 1999 após a morte, em pleno palco, do baixista Mark Sandman. No repertório, também estarão as músicas de seu novo disco, “The Ever Expanding Elastic Waste Band” de 2010.

Suicidal Tendencies – dia 6 às 09h30
O hardcore com trash metal dos caras marcou gerações na virada dos anos 80 para os 90, e da sua mistura onde o Punk, o Skate, a Política e o Rock são os elementos básicos, surgiram legiões de imitadores e emuladores.

Suicidal Tendencies é autêntico, e o som forte, nervoso e direto conquita tribos diversas em todo mundo. Vamos conferir !!

La Renga – dia 6 às 14h30
O rock argentino é bom, criativo e muitas vezes bem pesado, tendo em grupos como La Renga, um dos seus maiores representantes, quando o assunto é Hard Rock. Lotam estádios na terra natal e no Chile, Uruguai, Paraguai e mesmos nos EUA.

PALCO BARÃO DE LIMEIRA

A Bolha – dia 5 às 20h00
O Rock Progressivo Brasil tem na A Bolha um dos seus precursores, e nos anos 70 lançou discos históricos e serviu como banda de apoio de artistas como Gal Costa, Raul Seixas e Erasmo Carlos.Voltaram nos anos 2000 com shows super elogiados.

Man Or Astro-Man? – dia 5 às 22h30
Grande banda ao vivo, conferí os caras tocando há mais de 10 anos, na extinta Broadway e confesso que é um dos shows mais divertidos do planeta. Começaram tocando rock instrumental, semelhante a outras banda de surf-rock como The Ventures, mais tarde adotaram uma fusão de estilos, que incluem o surf rock dos anos 1960 com o new wave e o punk rock do final dos anos 1970 e meados dos anos 1980.

É conhecida pela dedicação a temas legais e nerds como antigos programas de TV, viagens no espaço e filmes de ficção científica, com uso pesado de samplers, dispositivos eletrônicos como o theremins e bobinas de tesla e afins !!

Jupiter Maçã – dia 6 às 03h30
Ex TNT e Cascavelletes, o ainda muito jovem Flávio Basso começa sua incursão solo pelo folk sob o pseudônimo de Woody Apple. Porém em pouco tempo já estaria eletrificando seu som, transformando-se em Júpiter Maça. Seu primeiro álbum “A 7a Efervescência” seguinte, o disco foi eleito o maior e mais expressivo disco de rock do Sul do Brasil de todos os tempos, e também entre os 100 maiores álbuns de música brasileira da história, pesquisa feita pela revista Rolling Stone. A cada álbum Jupiter Maçã, ou seu alter ego bossa-novista Jupiter Apple, apresenta uma musicalidade nova.

Pin Ups – dia 6 às 08h30

A história do rock indie paulistano passa obrigatoriamente pela banda Pin Ups, formada em 1988 sempre tratou sua música como se a urgencia fosse a coisa mais importante do mundo !! Já ví em Curitiba, abrindo para os Pixies e confesso que sentí a emoção de voltar ao rock alternativo paulistano dos anos 90 (De Verdade) !!

Defalla – dia 6 às 11h00
A lenda do Rock Gaúcho oitentista está de volta, pois desde 1984, quando despontou no cenário do Rock Brasil, é uma das principais bandas do país, com canções em estilos diversos, flertou com o hard rock, rap, glam rock, heavy metal e até big beat, além do funk carioca, hardcore melódico e miami bass. Alcançou grande sucesso nacional com o rock-funk carioca Popozuda Rock and Roll. Detona EDU K !!

Popa Chubby – dia 6 às 16h00
Grande guitarrista com influências clássicas como Hendrix e Clapton, Popa Chubby é conhecido como o padrinho do blues nova iorquino. Só daí, não é preciso ser um expert em música para entender que o som de Chubby é da pesada. Mas tem mais. Além de seus próprios discos, Popa participou da gravação de álbuns de artistas do calibre de Aretha Franklin, Ray Charles e Wilson Pickett. Sonzeira do mais alto quilate.

TEATRO MUNICIPAL

Arnaldo Baptista – dia 5 às 19h00
Gênio e louco, é o nosso Syd Barret + Brian Wilson !! Arnaldo Baptista, ex-líder dos Mutantes, e se apresenta na Virada no show “Sarau o Benedito?”, no imponente Teatro Municipal de São Paulo.

O show traz video-cenário com projeções de desenhos de sua obra como artista plástico.

LARGO DO PAISSANDÚ

Trupe Chá de Boldo – dia 6 às 15h00
A Trupe Chá de Boldo é uma banda de MPB nascida em 2005, em São Paulo, que hoje é formada por 13 integrantes. Dois anos após o lançamento de seu disco de estreia, Bárbaro, e de uma série de shows divulgando o trabalho (Auditório Ibirapuera, Sesc Pompéia e circuito Sesc no interior do estado), a banda está finaliza o seu segundo CD, que estreia em março de 2012.Neste novo trabalho, o grupo foi produzido por Gustavo Ruiz (produtor de Tulipa Ruiz e Juliana Kehl) e contou com as participações especiais de André Abujamra, Alzira E, Tatá Aeroplano, Peri Pane, Lu Horta, Marcelo Pretto e Márcia Castro.

As Mercenárias – dia 6 às 16h00
A maior banda feminina do Brasil de todos os tempos, atualmento formada por Sandra Coutinho – baixo/voz, Geórgia Branco – guitarra/vocal e Pitchu Ferraz – bateria, que agora como Trio, se propõem a recuperar o mito com seu repertório oitentista, mas com foco no resgate da obra alinhada com as influências sonoras dos dias atuais.

Paulo Barnabe & Patife Band – Dia 6 às 18h00
Irmão do grande Arrigo Barnabé, Paulo e sua Patife Band voltam aos palcos, mesclando timbres de instrumentos como sintetizador, sax, bateria e guitarra. A atual proposta abre ainda mais espaços para improvisos e experimentações.

Formado em 1983 é considerada um dos expoentes do movimento que ficou conhecido como Vanguarda Paulista.

Mundo Livre S.A. na festa Manguetown no Estúdio EMME

Mundo Livre S.A. no Estúdio Emme

Dezembro/11 começa bem no Stúdio Emme, com o evento inédito Manguetown e show da banda Mundo Livre S/A na próxima quinta feira (08/Dez/11).

O grupo em junto com a Nação Zumbí, representa a garantia de qualidade de todo movimento Manguebeat, pois a banda de Fred 04 além de precursora do movimento, sempre soube usar os diversos ritmos nordestinos num Mix criativo com Indie Rock, Reggae, Hip Hop, Eletrônica e Funk.

No evento o histórico Manifesto “Caranguejos com cérebro” (Pedra fundamental do movimento e produzido por Chico Science e Fred 04 nos anos 90), será lido pelo próprio autor.

Quando, como, quanto e onde :

Local: Estúdio Emme / Data: 08.12.11 (Quinta-feira) / Horário: 22h30 (abertura da casa às 21:30)

Endereço: Rua Pedroso de Moraes, 1036 / Ingressos: R$ 45,00

Líder do Live Ed Kowalczyk aparece para Tour no Brasil e Peru

A banda LIVE fez sucesso imediato no Brasil com seus primeiros sons, e até parecia um fenômeno local como era comum na época (com grupos como Bolshoi, Toy Dolls, Sigue Sigue Sputnik e tantos outros), mas a banda de Ed Kowalczyk cresceu nos discos seguintes e se tornou uma das campeãs de venda nos anos 90, com seu som engajado e questionador.

ED KOWALCZYK

Gosto mesmo do primeiro disco Mental Jewelry que tem sons como Operation Spirit e Pain Lies on the Riverside, mas os caras estouraram mesmo com os discos Throwing Copper (94) e Secret Samadhi (97).

O pop post grunge da banda se segurou até 2009 e com o fim Ed lançou em 2010 seu primeiro trabalho solo ALIVE (2010) que mantém o rumo do Live e deve agradar os fãs, que provavelmente vão ouvir todos os “clássicos” nos shows sul americanos.

Ed Kowalczyk – TOUR BRASIL E PERU – 2011

BRASIL
São Paulo – 30 de junho – HSBC Brasil
Rio – 01 de julho – Vivo Rio
Porto Alegre – 03 de julho – Teatro Opinião

PERU
Lima – 05 de julho – Lima Maria Angola Convention Center

O Post-Punk do Gang of Four esquentou o Domingão no Ipiranga

Nesse Domingo (28/Mai), a histórica banda britânica Gang of Four, comandada por Jon King (Vocal) e Andy Gill (Guitarras), esquentou o Parque da Independência no Ipiranga, com seu post-punk original e que influenciou bandas diversas como Red Hot Chili Peppers, Franz Ferdinand, System of a Down, Jane´s Addiction, Block Party, Metallica, Faith no More, Suicidal Tendencies, Rage Against the Machine, Bad Brains… entre outras.

Com instrumental desconcertante, flertando com o funk e experimentalismos mil, os caras fizeram um dos melhores shows do ano, Jon King apesar da idade e do estilo desengonçado é um super frontman, cheio de carisma e um ativista social de mão cheia, o baixista Thomas McNeice é o porto seguro do som todo quebrado e junto com o batera Mark Heaney fazem a base precisa para todas as viagens da banda.

Andy Gill é um show à parte, flerta e destrói o instrumento, que cheio de efeitos e intervenções mostra como tocar guitarra pode ser uma atividade cheia de significado e importância conceitual e artistica.

Segue galeria de fotos do show e o setlist completo !!

Gang of Four – São Paulo – 30/Maio/2011

1.You’ll Never Pay for the Farm
2.Not Great Men
3.Ether
4.I Parade Myself
5.Paralysed
6.A Fruitfly in the Beehive
7.Anthrax
8.It Was Never Gonna Turn Out Too Good
9.What We All Want
10.Why Theory?
11.We Live as We Dream, Alone
12.To Hell With Poverty
13.Do As I Say
            BIS
14.I Love a Man in Uniform
15.Natural’s Not in It
             BIS 2
16.At Home He’s a Tourist
17.Damaged Goods

Programação ROCK IN RIO 2011 Dia a Dia e com SOAD !!

Rock in Rio

Rock in Rio

Acompanhei de perto todos eventos anteriores… no primeiro (com 12/13 anos) ví pela TV, e não esqueço do show do AC/DC na íntegra pela Globo, além de outros grandes momentos de Ozzy, Iron Maiden, Whitesnake, Queen, Scorpions, Rod Stewart, James Taylor, The B-52´s, Paralamas, Barão Vermelho

Em 1991 na segunda edição e com a idade necessária pude ver ao vivo Faith no More, Guns and Roses, Prince, Santana, Joe Cocker, Jimmy Cliff, George Michael, Dee Lite, Megadeth, Judas Priest, Sepultura, Colin Hay Band, Titãs … para finalmente em 2001 ter conferido na terceira edição Neil Young, Beck, REM, Foo Fighters e Dave Mathews Band, numa edição que contou novamente com o Guns e teve destaques como Red Hot Chili Peppers, Sting, Cássia Eller

A versão 2011 volta finalmente ao Brasil, e está realmente me impressionando pela organização e divulgação, mas sinceramente as atrações no geral ficaram a desejar, o ponto alto foi a confirmação do System of a Dowm, banda sensacional e que no Brasil tem público de sobra para ter sido escolhida em votação pela galera.

O Blog nesse primeiro Post sobre o Rock in Rio 2011, tráz um quem é quem de cada dia.

Dia 23/Set

Palco Mundo (Dia Pop)

Elton John – O Grande Show da noite !! Continua em grande forma.
Rihanna – Não vejo nada de mais, mas os fãs devem estar na expectativa.
Katy Perry – Afinal !? O pop não poupa ninguém.

Palco Sunset:
Destaque para o sempre bom show dos Móveis Coloniais de Acaju.

Evitar: Claudia Leite, afinal é Rock in Rio.

Dia 24/Set

Palco Mundo (Dia Rock)

Red Hot Chilli Peppers – Voltando aos palcos com guitarrista novo, sempre emocionante.
Snow Patrol – Grande expectativa pelo show da banda que tem hits recentes no Brasil.

Palco Sunset:
Destaques para Marcelo Yuka com Cibelle, Tulipa Ruiz e Nação Zumbi, Milton Nascimento + Esperanza Spalding e Mike Patton/ Mondo Cane + Orquestra Sinfônica de Heliópolis.

Evitar: Capital Inicial, eu não agüento mais… peço já desculpa aos fãs.

Dia 25/Set

Palco Mundo (Dia Metal Rock)

Metallica – Os caras são hoje 100% mainstream, mas continuam pesados e ao-vivo matadores.
Slipknot – Banda com grande performance ao-vivo, promete !!
Motorhead – O que falar de uma das maiores bandas pesadas do rock mundial, na boa… pelo Blog Vishows Motorhead fechava a noite !!!
Coheed and Cambria – O som dos americanos cresce a cada disco e deve surpreender no festival.

Palco Sunset:
Matanza + Bnegão – Vai ser legal !!
Korzus + The Punk Metal Allstars – A mistura vai ser interessante !!
Angra + Tarja Turunen (Fi) – Prá quem gosta ! (Prefiro Evitar)
Sepultura + Tambours du Bronx (Fr) – A banda brasileira já é expert em simbioses musicais diversas, recomendo !!

Evitar: Quem não gosta de Rock pesado deve buscar um programa alternativo no Domindão carioca.

Dia 30/Set

Palco Mundo: (Pop Rock Latino)
Shakira – Putz ! Não é minha praia, acho que ela canta bem mas as músicas não valem a pena.
Lenny Kravitz – Eu já vê e mesmo gostando dos primeiros discos, hoje acho que ao-vivo Lenny é bem água com açúcar.
Ivete Sangalo – Sem Comentários. Evitar
Jota Quest – Idem. Evitar.
Marcelo D2 – Em busca da batida perfeita ?! Falou !! $$

Palco Sunset:
Buraka Som Sistema + Mixhell – Faria eu sair de casa pois vai ser pesado e engraçado com a sexualidade funk do Kuduru angolano e as batidas do Mixhell… eles deveriam filmar os ensaios pois vai ser histórico.
João Donato + Céu – O cara é mestre arranjador e compositor da Bossa Nova e Céu a melhor cantora do Brasil.
Cidade Negra + Martinho da Vila + Emicida – Vale por Martinho e pelo talento animal do Emicida.
Monobloco + Macaco – Monobloco é um fenômeno no Rio e Macaco uma landa da Catalunha que manda muito bem ao vivo, o show deve causar !

Evitar: TUDO !! Só salva o Palco Sunset, achei o palco mundo a noite brega do festival.

Dia 01/Out

Palco Mundo (Do Piano Rock ao Hip Hop na noite MAINSTREAM)
Coldplay – São bons ao vivo mesmo sendo das bandas mais auto indulgentes do mundo.
Jay-z – Fazer o que o cara bomba no mundo todo, aposto num grande show.
Maná – O Bon Jovi brega do rock latino, tem quem goste e são muitos. (Sorry Fãs)
Skank – Na opinião do Blog a banda é a melhor atração do Palco Mundo, mereciam maior sorte nessa estréia em Rock in Rio.

Palco Sunset: (De novo melhor que o Palco Mundo)
Cidadão Instigado + Júpiter Maçã – Deve ser um show muito legal, conectando o RS com PE.
Tiê + Jorge Drexler – A Bossa no caminho de Montevidéo com o auxílio luxuoso da voz de Tié.
Erasmo Carlos + Arnaldo Antunes – Erasmo sempre vale a pena e a parceria com o mais concreto dos Titãs, deve render um bom show.

Evitar: Maná que é muito chato, prefiro ouvir sertanejo e pagode. (Sorry Tex/Mex People)

Dia 02/Out

Palco Mundo (Rock)

Guns N`Roses – O que já foi uma super banda, agora tem que suportar literalmete o ego do vocalista, não merece fechar o Festival, é o maior erro de programação do Rock in Rio.
System of a Down – Melhor escolha do festival, mas que chegou lá através da mobilização dos fãs e deve ser o melhor show da noite.
Evanescence – A banda de Amy Lee tem hordas de fãs no Brasil e faz um som de respeito.
Pitty – Merecida escalação da popular roqueira baiana que deve agitar a galera.

Palco Sunset: (De novo melhor que o Palco Mundo)

Destaque para Mutantes + Tom Zé e Marcelo Camelo com parceiro incógnito, de resto nada que valha muito à pena.

Evitar: Ver ao vivo a decadência física, vocal e mental de Axl Rose.

Emissão 48 – Gente Diferenciada

Nina Hagen – Personal Jesus,
Hot Chip – One life stand,
Strawberry Switchblade – Who knows what love is ?,
Sandie Shaw – Hand in Glove,
The Baseballs – I dont fell like dancing,
Francisca Valenzuela – Peces,
May East – Fire in the jungle,
Adanowski – Estoy Mal,
Os Inocentes – Homem Negro,
The Kinks – Dead end street,
Hypnotic Brass Ensemble – Rainbows,
Gun Club – Death Party,
Les Savy Fav – Walk in the Park

http://vishows.podomatic.com/swf/joeplayer_v18a.swf

ACCEPT com nova formação chega à América Latina (Mai/11)

Depois do finado Scorpions, podemos dizer que o ACCEPT é a grande referência do heavy metal Alemão, e após idas e vindas, a banda chega à América Latina em afiada nova formação com Wolf Hoffmann – Guitarras, Peter Baltes – Baixo, Mark Tornillo – Vocal, Herman Frank – Guitarras e Stefan Schwarzmann – Bateria.

Ou seja, sem o figura Udo Dirkschneider, vocalista e membro fundador que se dedica 100% ao seu projeto U.D.O., mas fiquem tranquilos que Mark Tornillo cumpre a função com maestria !!

Accept 2011

Accept 2011

No Brasil, a banda faz apresentação única dia 15/Mai (Domingo) no Carioca Club com ingressos (Primeiro Lote) em R$ 90,00 (promocional antecipado),  Estudantes ou com 1Kg de Alimento (1º Lote) – R$60,00 (meia entrada). No dia da apresentação, somente inteiras disponíveis – R$ 120,00.

Confiram as datas do Tour na América Latina

MÉXICO
08/Mai – Cidade do México – Circo Volador

BOLÍVIA
10/Mai – La Paz – Teatro Mexico

PERU
11/Mai – Lima – Barranco Bar

CHILE
13/Mai – Santiago – Teatro Novedades

ARGENTINA
14/Mai – Buenos Aires – Teatro Flores

BRASIL
15/Mai – São Paulo – Carioca Club

SEGUEM VÍDEOS SELECIONADOS !! PRIMEIRO SOM NOVO – “TEUTONIC TERROR” , SEGUIDO DO CLÁSSICO “BALLS TO THE WALL

Rock inglês invade Parque da Independência em São Paulo (29 de Maio 2011)

A programação do 15º Cultura Inglesa Festival, chega com rock, dj´s e cinema para agitar a cidade, confiram a programação completa no site do evento.

15º Cultura Inglesa Festival

15º Cultura Inglesa Festival

Destaque para os shows gratuitos no Parque da Independência com o pós punk sensacional do Gang of Four e os novatos Blood Red Shoes (Garage/Punk) e o guitarrista/vocalista Miles Kane (ex The Rascals).

Depois da apresentação das bandas Brotherhood, Cadillac Bourbon e Lady Luck, classificadas em festival interno da Cultura Inglesa, quem comparece também antes das atrações gringas são a Cachorro Grande (The Who) e The Mockers (Beatles) onde as duas bandas nacionais vão interpretar clássicos do rock britânico.

Mas na real o que interessa é o som clássico do ícone Pós Punk GANG OF FOUR !! Banda preferida do Blog e que merece a videografia selecionada que se segue…

MOTORHEAD como sempre pronto para detonar ! (América do Sul 2011)

Se tem uma banda que manda bem, com shows pesados e certeiros, esse grupo é o Motorhead… e que desde 1975 mostra do que é feito o verdadeiro som pesado do Heavy Metal.

Motorhead LIVE

Mr. Lemmy Kilmister (vocal e baixo), é uma das figuras mais importantes da história do rock, é o líder e único integrante original da banda, que conta atualmente com Phil Campbell (guitarra – na banda desde 1984) e Mikkey Dee (bateria), que entrou no time em 1991.

As gravações do novo disco – “The World Is Yours”, rolaram em parte nos estúdios do líder dos Foo Fighters (Dave Grohl), e segundo o próprio Lemmy – “Este é o melhor álbum de nossa carreira, é muito direto e simples”.

Quem nunca foi não pode perder !!

Seguem as datas das apresentações na América do Sul :

CHILE
Santiago – 09/Abr – Teatro Caupolican

ARGENTINA
Buenos Aires – 12/Abr – Luna Park

URUGUAI
Montevidéo – 14/Abr – Teatro de Verano Ramon Collazo

BRASIL
São Paulo – 16/Abr – Via Funchal
Curitiba – 17/Abr – Brazil Master Hall
Florianópolis – 20/Abr – Floripa Music Hall
Brasília – 22/Abr – GINÁSIO NILSON NELSON

PERU
Lima – 26/Abr – Lima Explanada Sur Del Monumental

Segue setlist do Motorhead em Santiago no último 09/Abr e que serve de referência para os shows por aqui :

– Iron Fist
– Stay Clean
– Get Back In Line
– Metropolis
– Over the Top
– One Night Stand
– Rock Out – (guitar solo)
– The Thousand Names of God
– I Got Mine
– I Know How to Die
– The Chase Is Better Than the Catch
– In the Name of Tragedy (Drum solo)
– Just ‘Cos You Got the Power
– Going to Brazil
– Killed by Death
– Ace of Spades

BIS

– Overkill

%d blogueiros gostam disto: