Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos da Categoria: reggae

Podcast Vishows – Emissão 53 – Assange, Política e Esportes

Podcast Vishows nova edição - Som e Opinião para você que Pensa !!

Assange, Eleições Prefeitura SP 2012 e Jogos Olímpicos no Podcast Vishows

Talking Heads - The Lady Don't  Mind

Temas do primeiro Bloco - Assange Herói ? Vilão ?!?
Estupro / Brad Manning / Austrália / USA / Inglaterra e Equador (Rafael Corrêa)

The Doors - Tell all the People
Depeche Mode - Police of Truth
Inocentes - Pânico em SP

Eleições de SP
Rejeição do Serra / Russomano / Haddad / Soninha / Chalita e nanicos / nova direção

Rita Lee - Dançar prá nao dançar
Black Keys - Dead and Gone
Baby I'm a Starr - Prince

Olimpíadas Londres, Desempenho do Brasil e Rio 2016 !!

Basement Jaxx - Where´s your head at
Ian Brown - Lions




Seleção Musical - Luis Otávio Lopes
Debatedores - Alexandre Rizzieri, Luca Lopes e Luis Otávio Lopes

podcast

Anúncios

Bob Marley – o Rei do Reggae – 31 anos de sua partida

Quase no fim do dia e eu me liguei que tava deixando passar em branco esta data.

Bob Marley ao vivo

Bob Marley ao vivo

Robert Nesta Marley, o responsável em levar o reggae jamaicano para o mundo, nasceu no dia 6 de fevereiro de 1945. A vida musical começou em 1962, quando um produtor o chamou para gravar algumas músicas pelo selo Beverly’s. Bob Marley preferiu montar um grupo invés de seguir a carreira sozinho. Chamou os amigos Peter Tosh e Bunny Livingston para criar um grupo de ska. A primeira gravação, “Simmer Down”, se tornou a mais pedida na Jamaica em 1964.

Naquela época, a mãe de Bob, que se mudou para os Estados Unidos anos antes, o enviou uma passagem para que ele fosse morar com ela. Mas, Bob conheceu a cantora Rita, por quem se apaixonou e a viagem aos Estados Unidos durou apenas alguns meses. Os dois se casaram em fevereiro de 1966.

O ano seguinte foi muito importante para a direção da carreira de Bob Marley. O cantor se converteu à religião Rastafari, o que determinou o estilo de sua música e chamou os amigos de volta para formar o The Wailers. O início do grupo foi difícil, tentaram criar um selo, mas ele faliu pouco tempo depois. A parceira com o produtor Lee Perry fez com que o grupo gravasse algumas músicas importantes, que definiu o estilo da banda.

O homem que é considerado ícone mundial quando se fala em reggae, além de ser adorado por regueiros, com certeza é respeitado por muita gente que não curte reggae.

O motivo? Sua música!

Bob Marley com camiseta da Seleção Brasileira

Bob Marley com camiseta da Seleção Brasileira

“War” e “One Love” são duas músicas que mostram a intenção do reggae: PAZ!

Entre gravações originais, e coletâneas com as músicas de Bob Marley & The Waillers, desde 1965 até hoje são mais de 40 discos. Me arrisco a dizer que de todas as músicas “Is This Love” e “No Woman No Cry” são suas músicas mais conhecidas, e sei também que “Is This Love” foi o primeiro reggae de Bob que ouvi, em uma tarde dentro de uma lotação em Sampa, e me levou a ouvir mais músicas dele e me fez passar a curtir reggae.

Suas letras marcaram, e você possivelmente já ouviu/leu alguma(s) dela(s) por aí:

Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.

A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá la.

Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais.

Não ligo que me olhem da cabeça aos pés..porque nunca farão minha cabeça e nunca chegarão aos meus pés.

E uma que eu gosto muito, que mostra o que é o reggae:

O reggae não é pra se ouvir é pra se sentir. Quem não o sente não o conhece.

* Esse post é só pra registrar meu agradecimento pelas palavras, pelas músicas, pelas positivas vibrações que sempre ajudam a animar o meu dia.

Don’t Rock My Boat

I Know A Place – detalhe para os dreads do cara que chega até os seus pés, isso me fez deixar o cabelo crescer rsrs

One Love

No Woman No Cry

Dicas para curtir o melhor da Virada Cultural 2012

VIRADA CULTURAL 2012

VIRADA CULTURAL 2012

!! Dicas do blog VISHOWS, para curtir numa boa a Virada Cultural 2012 !!

1 – PESQUISAR E PLANEJAR

A primeira dica é PLANEJAMENTO, pois um evento assim diverso, agrega roqueiros, pagodeiros, malucos, crianças, velhinhos, mendigos, regueiros, clubbers, manos, mauricinhos, punks e alternativos de toda ordem e opção.

Ou seja, tem prá todo mundo – procure na programação completa do sitio da Virada, e cheque seus artistas e atrações favoritos, horários e locais. Feito isso, dê um passeio no Google MAPS e Street View para ver as distâncias, pontos de ônibus e metrô mais próximos.

2 – TRANSPORTE

Não vá de carro, é a maior roubada !!

Se você mora longe do centro e do metrô, a dica de transporte é ir de carro até a estação de Metrô ou trem mais próxima. Daí é escolher se fica melhor descer na Sé, Liberdade, República, Anhagabaú, Luz ou até mesmo na Paraíso, Ana Rosa, Santana e Barra Funda prá quem vai curtir o circuito que rola em diversos SESCs da cidade.

Em todos os CEU´s vão rolar apresentações e performances como opção para vários bairros de SP.

3 – HORÁRIOS

Eu sempre busco horários mais alternativos, o pico de lotação normalmente acontece das 22:00 até altas horas da madrugada, e no Domingo à tarde a cidade fica novamente lotada.

Pesquise os palcos próximos do seu show preferido, pois se ficar lotado demais, apresentações menos concorridas podem ser até mais divertidas.

4 – O que ver na Virada Cultural 2012 ?

Agora que o Braza está na rota de shows internacionais, a Virada apostou em uma programação eclética e com nomes internacionais relevantes, em 2012 as atrações prometem !!

PALCO JÚLIO PRESTES

Ebo Taylor (Gana) – dia 5 às 20h30
Em Gana o HighLife é o Ritmo, e Ebo Taylor tem lugar garantido nos sons do Oeste da África, com guitarras melódicas e nos metais cheios de swing, o som despontou para o mundo com a modernização da música africana no século XX, e o cara é um dos fundadores do estilo e inspirador do afrobeat.

Com a Afrobeat Academy, uma das melhores orquestras de afrobeat do mundo, gravou em 2010 o disco “Love and Death” – VALE A PENA !

Tony Allen (Nigéria) – dia 6 à 00h00
Mago e mestre do Ritmo Afrobeat, direto da Nigéria o baterista-maestro-arranjador, que tocou por anos com Fela Kuti, é um dos maiores bateras de todos os tempos.

IMPERDÍVEL

Seun Kuti & Egypt 80 (Nigéria) – dia 6 às 02h30
Filho do mestre Fela Kuti, Seun se mostra com a mesma força do pai, em especial ao vivo, vem ao Brasil acompanhado da banda Egypt 80, que durante muitos anos acompanhou Fela Kuti.

Não é um tributo, pois as composições são todas próprias e cheias de personalidade, mas é claro que Seun é o mais fiel seguidor de Fela, tanto pela ideologia política, quanto pela musicalidade.

Seu último álbum, produzido por Brian Eno, é “From Africa with Fury: Rise”, é forte e teve destaque internacional onde a energia de Fela está presente até na capa, feita por Lemi Ghariokwu, o mesmo que criou capas clássicas de Fela.

UM DOS MELHORES SHOWS DO ANO

Toots and the Maytals (Jamaica) – dia 6 às 13h00
Depos de Bob Marley, Peter Tosh e Jimmi Cliff, Toots Hilbert é o grande nome mundial do Ska e do Reggae, e finalmente chega ao Brasil !!!

Considerada uma das mais emblemáticas bandas da Jamaica, tem na mistura do gospel com ska, soul, reagge e rock a sua consagrada fórmula, e seu maior clássico “54-46 Thats My Number“, é uma das maiores pedradas do gênero.


Atualização Urgente !! Não dá prá elogiar… Erros da produção da Virada Cultural cancelam shows de The Abyssinians e Toots and The Maytals #fail #amadorismo

Gilberto Gil – dia 6 às 18h00
Gil dispensa apresentações, é o maior artista da sua geração e não virou depois de maduro, um conservador e reacionário como muitos de sua época, por isso continua atual e relevante, sem ter que posar de roqueiro ou montar uma banda com “garotos”.

PALCO REPÚBLICA

Mccoy Tyner Quartet – dia 5 às 19h00
O cara é referência quando se fala em jazz moderno, tocou com John Coltrane, no quarteto responsável por um dos álbuns mais famosos na história do jazz, “My Favorite Things”. Indo muito além do convencional, seu estilo de tocar piano baseado no blues é repleto de acordes sofisticados. Suas contribuições harmônicas e recursos rítmicos formam o vocabulário da maioria dos pianistas de jazz da atualidade.

Roy Ayers – dia 6 à 00h00
Com origem no Jazz Roy Ayes, tem trajetória incrível, passando pelo funk, soul e pop. É uma lenda da música e que deve fazer o melhor show do Palco República.

Raul de Souza com Zimbo Trio – dia 6 às 02h30
O Zimbo Trio, formado atualmente por Amílton Godoy (piano), Pércio Sápia (bateria) e Mario Andreotti (contrabaixo acústico), começou no ínício dos anos 60 e virou referência instrumental do som moderno brazuca, tendo acompanhado os maiores nomes da música brasileira nos últimos anos. Vai tocar com o mestre Raul de Souza, um dos maiores trombonistas brasileiros e, que ao longo de sua carreira, trabalhou com músicos como Sergio Mendez, Flora Purim, Airto Moreira, Milton Nascimento, Sonny Rollins, George Duke e Cal Tjader, entre outros.

Charles Bradley – dia 6 às 15h00
O soul de Charles Bradley, chega direto da Flórida e tem conquistado o mundo, vale pela sonzeira de The World (Is Going Up In Flames) de 2010 e pelo estilo que lembra o Soul Man Otis Redding. Esse vou ver MESMO !!

Larry Graham – dia 6 às 17h30
Larry Graham, é um músico, compositor, cantor e produtor musical americano, a quem se atribui a invenção da técnica de bater com o polegar nas cordas do baixo eléctrico, “slapping” ou, conforme definição do próprio artista, Thumpin’ and Pluckin’ . É especialmente conhecido como baixista da banda “Sly & the Family Stone”, que influenciou o funk e o soul psicadélico nos anos 70. Foi ainda o fundador e principal figura da banda “Graham Central Station”.

PALCO SÃO JOÃO

Banda Made In Brazil – dia 5 às 18h30 (Tocando na íntegra “Jack o Estripador” de 1976)
A lenda viva do rock brazuca, Made In Brazil, sobe mais uma vez no Palco do Rock da Virada, desta vez para um show especial: a apresentação, na íntegra, do LP “Jack, O Estripador”, um clássico de 1976. Para o show histórico, a banda traz sua formação original com Oswaldo e Celso Vecchione e Percy Weiss nos vocais, além de convidados especiais que aproveitarão a ocasião para homenagear o falecido produtor Ezequiel Neves.

Iron Butterfly – dia 5 às 23h30
Iron Butterfly surgiu na primavera de 1967, em Los Angeles, alcançando grande sucesso já no seu álbum de estréia, o clássico “In-na-gadda-da-vida”. O disco atingiu logo de cara a impressionante marca de 8 milhões de cópias de vendidas.

Os Mutantes – dia 6 às 02h00
Desde 1966, os Mutantes assombram o mundo com seu experimentalismo e criatividade. Originalmente formada por Arnaldo Baptista, Rita Lee e Sérgio Dias, a banda foi um dos catalisadores do movimento Tropicalista. Psicodélicos, românticos, doidos varridos, visionários cheios de energia e imaginação, são uma das bandas mais influentes da música brasileira, chegando a tocar ouvidos mundialmente famosos como os de Kurt Cobain e Sean Lennon.

Members of Morphine & Jeremy Lyons – dia 6 às 04h30
O saxofonista Dana Colley e o baterista Jerome Deupree, membros originais da cultuada banda Morphine, se juntam ao guitarrista e baixista Jeremy Lyons para interpretar os clássicos da banda que terminou subitamente em 1999 após a morte, em pleno palco, do baixista Mark Sandman. No repertório, também estarão as músicas de seu novo disco, “The Ever Expanding Elastic Waste Band” de 2010.

Suicidal Tendencies – dia 6 às 09h30
O hardcore com trash metal dos caras marcou gerações na virada dos anos 80 para os 90, e da sua mistura onde o Punk, o Skate, a Política e o Rock são os elementos básicos, surgiram legiões de imitadores e emuladores.

Suicidal Tendencies é autêntico, e o som forte, nervoso e direto conquita tribos diversas em todo mundo. Vamos conferir !!

La Renga – dia 6 às 14h30
O rock argentino é bom, criativo e muitas vezes bem pesado, tendo em grupos como La Renga, um dos seus maiores representantes, quando o assunto é Hard Rock. Lotam estádios na terra natal e no Chile, Uruguai, Paraguai e mesmos nos EUA.

PALCO BARÃO DE LIMEIRA

A Bolha – dia 5 às 20h00
O Rock Progressivo Brasil tem na A Bolha um dos seus precursores, e nos anos 70 lançou discos históricos e serviu como banda de apoio de artistas como Gal Costa, Raul Seixas e Erasmo Carlos.Voltaram nos anos 2000 com shows super elogiados.

Man Or Astro-Man? – dia 5 às 22h30
Grande banda ao vivo, conferí os caras tocando há mais de 10 anos, na extinta Broadway e confesso que é um dos shows mais divertidos do planeta. Começaram tocando rock instrumental, semelhante a outras banda de surf-rock como The Ventures, mais tarde adotaram uma fusão de estilos, que incluem o surf rock dos anos 1960 com o new wave e o punk rock do final dos anos 1970 e meados dos anos 1980.

É conhecida pela dedicação a temas legais e nerds como antigos programas de TV, viagens no espaço e filmes de ficção científica, com uso pesado de samplers, dispositivos eletrônicos como o theremins e bobinas de tesla e afins !!

Jupiter Maçã – dia 6 às 03h30
Ex TNT e Cascavelletes, o ainda muito jovem Flávio Basso começa sua incursão solo pelo folk sob o pseudônimo de Woody Apple. Porém em pouco tempo já estaria eletrificando seu som, transformando-se em Júpiter Maça. Seu primeiro álbum “A 7a Efervescência” seguinte, o disco foi eleito o maior e mais expressivo disco de rock do Sul do Brasil de todos os tempos, e também entre os 100 maiores álbuns de música brasileira da história, pesquisa feita pela revista Rolling Stone. A cada álbum Jupiter Maçã, ou seu alter ego bossa-novista Jupiter Apple, apresenta uma musicalidade nova.

Pin Ups – dia 6 às 08h30

A história do rock indie paulistano passa obrigatoriamente pela banda Pin Ups, formada em 1988 sempre tratou sua música como se a urgencia fosse a coisa mais importante do mundo !! Já ví em Curitiba, abrindo para os Pixies e confesso que sentí a emoção de voltar ao rock alternativo paulistano dos anos 90 (De Verdade) !!

Defalla – dia 6 às 11h00
A lenda do Rock Gaúcho oitentista está de volta, pois desde 1984, quando despontou no cenário do Rock Brasil, é uma das principais bandas do país, com canções em estilos diversos, flertou com o hard rock, rap, glam rock, heavy metal e até big beat, além do funk carioca, hardcore melódico e miami bass. Alcançou grande sucesso nacional com o rock-funk carioca Popozuda Rock and Roll. Detona EDU K !!

Popa Chubby – dia 6 às 16h00
Grande guitarrista com influências clássicas como Hendrix e Clapton, Popa Chubby é conhecido como o padrinho do blues nova iorquino. Só daí, não é preciso ser um expert em música para entender que o som de Chubby é da pesada. Mas tem mais. Além de seus próprios discos, Popa participou da gravação de álbuns de artistas do calibre de Aretha Franklin, Ray Charles e Wilson Pickett. Sonzeira do mais alto quilate.

TEATRO MUNICIPAL

Arnaldo Baptista – dia 5 às 19h00
Gênio e louco, é o nosso Syd Barret + Brian Wilson !! Arnaldo Baptista, ex-líder dos Mutantes, e se apresenta na Virada no show “Sarau o Benedito?”, no imponente Teatro Municipal de São Paulo.

O show traz video-cenário com projeções de desenhos de sua obra como artista plástico.

LARGO DO PAISSANDÚ

Trupe Chá de Boldo – dia 6 às 15h00
A Trupe Chá de Boldo é uma banda de MPB nascida em 2005, em São Paulo, que hoje é formada por 13 integrantes. Dois anos após o lançamento de seu disco de estreia, Bárbaro, e de uma série de shows divulgando o trabalho (Auditório Ibirapuera, Sesc Pompéia e circuito Sesc no interior do estado), a banda está finaliza o seu segundo CD, que estreia em março de 2012.Neste novo trabalho, o grupo foi produzido por Gustavo Ruiz (produtor de Tulipa Ruiz e Juliana Kehl) e contou com as participações especiais de André Abujamra, Alzira E, Tatá Aeroplano, Peri Pane, Lu Horta, Marcelo Pretto e Márcia Castro.

As Mercenárias – dia 6 às 16h00
A maior banda feminina do Brasil de todos os tempos, atualmento formada por Sandra Coutinho – baixo/voz, Geórgia Branco – guitarra/vocal e Pitchu Ferraz – bateria, que agora como Trio, se propõem a recuperar o mito com seu repertório oitentista, mas com foco no resgate da obra alinhada com as influências sonoras dos dias atuais.

Paulo Barnabe & Patife Band – Dia 6 às 18h00
Irmão do grande Arrigo Barnabé, Paulo e sua Patife Band voltam aos palcos, mesclando timbres de instrumentos como sintetizador, sax, bateria e guitarra. A atual proposta abre ainda mais espaços para improvisos e experimentações.

Formado em 1983 é considerada um dos expoentes do movimento que ficou conhecido como Vanguarda Paulista.

SWU 2011 – Bons shows e um conceito a ser provado …

20111107-215308.jpg

A pretensão é tornar o Festival sério e ponto de mobilizar a galera alternativa… Mas na real a idéia de ir até Paulínia, gastar um monte de gasolina, pagar pedágio e acampar para não voltar detonado da trip, ainda tem que se provar válida… vamos ver o que vai rolar nesse ano e dar o veredito, afinal é tudo marketing ou é sério ?

Mas na certa, vão rolar grandes shows, e música é música, então vamos ver os melhores shows e roubadas dia a dia da nova versão do SWU 2011 em Paulínia Rock City.

Sábado – 12 de novembro – Destaques

Palco Principal

15:00 – 15:45
Emicida – não precisa provar nada e pelo talento podia estar melhor posicionado, vai ser grande show.

15:50 – 16:50
Michael Franti & Spearhead – som de balada californiana, com cara de verão e letras sociais, deve surpreender positivamente.

18:00 – 19:15
Marcelo D2 – É sempre bom ao vivo, mas não faz minha cabeça (se é que vc me entende).

19:20 – 20:20
Damian ‘Jr. Gong’ Marley – O mais novo dos Marley, em alta com vários projetos e provavelmente o melhor show do Sábado.

20:25 – 21:25
Snoop Dogg (1:00) – Snoopy está na encruzilhada Mainstream , e já caminha para satisfazer primeiro seu Superego.

21:30 – 23:30 Kanye West (2:00)
Até quando um impostor agüenta, nunca me convenceu, melhor buscar outro palco.

23:35 – 01:35
Black Eyed Peas (2:00) – Ver o fim deles no topo pode ser um bom e memorável programa. Melhor tomar um energético…

New Stage : nada a destacar, o oposto do Rock in Rio.

Domingo – 13 de novembro – destaques

Palco principal

15:00 – 16:00 Zé Ramalho
O paraibano é gênio local e herdeiro, involuntário ou não, do hippismo e Raul Seixismo setentista. Sempre um grande show, mas devia abrir o Peter Gabriel.

16:05 – 17:05 Ultraje a Rigor
A mesma piada há 30 anos,mas a diversão é sempre garantida, afinal não se levam a sério… Ou não deveriam…

18:30 – 19:30
Chris Cornell – em plena volta do Soundgarden… Show estranho, abrindo para o Duran Duran… Programação Wake Up !!

19:35 – 20:50
Duran Duran – Que porra é essa ?! Os 80’s já saíram da moda, afinal só os 2 primeiros discos valeram a pena, o resto é tudo pose. Save o technopop cafona.

20:55 – 22:40
Peter Gabriel & The New Blood Orchestra – Agora sim, finalmente um PUTA SHOW! Minha idéia seria ir ver o Peter Gabriel e voltar direto para Sampa! Mas vale a pena ?!

SIM – Se vc não conhece o cara veja os vídeos selecionados pelo Blog!

Sledgehammer

Shock the Monkey

Solsbury Hill

Big Time http://www.youtube.com/watch?v=gkIFL4yqXm8

Games Without Frontiers http://www.youtube.com/watch?v=zP1_pZkJTvk

22:45 – 00:15
Lynyrd Skynyrd – Aposta no southern Rock foi um erro, mas deve ser um show interessante. Vale pela arqueologia roqueira, mas os yankees definitivamente não encarnam o suposto espirito engajado do festival. Que doidera sem sentido… Os caras na real não manjam nada de música… É mais um show tributo, pois a banda já era … Ou melhor … Já foi.

New Stage: destaques

19:30 – 20:30
Modest Mouse – Esses são preferidos do Blog ! Boa alternativa ao Duran Duran… Lembrar de sair a tempo de perder o Hole e ver O Peter Gabriel.

20:45 – 21:45
Hole – A segunda maior viúva do Rock de todos os tempos, promete no mínimo causar em sua volta ao país. Viva a Yoko Ono Grunge !!

Segunda – 14 de novembro

Palcos principais: Destaques

14:10 – 14:55
Raimundos – A volta dos que não foram, mas que já foram a maior banda de rock do Brasil, afinal os anos 90 voltaram!

15:00 – 16:00
Duff McKagan’s Loaded (1:00) – Duff é legal , mas o show vai ser um culto das viúvas do Guns. Que Horror !

19:20 – 20:20
Sonic Youth – Os ícones Indie americanos, podem após o fim da relação conjugal dar em Paulínia o ultimo show ! Será ?! São ótimos ao vivo!

20:25 – 21:25
Primus – Desperdício de talento em estado bruto ! Som de músicos para músicos.

21:30 – 22:30
Megadeth – Depois do Mettalica, pelo menos quero ver se Mustaine mantém a forma, ou virou personagem de sí mesmo.

22:35 – 23:50
Stone Temple Pilots – Muito legal, grande volta e ponto dentro do line-up! Finalmente alguém sacou o HYPE Grunge de volta.

23:55 – 01:25
Alice In Chains – Os STP deviam tocar depois, mas o Alice sempre foi grande no Braza, a volta dos 90’s !

01:30 – 03:15
Faith No More – Fecham a noite, afinal sao reis na América do Sul ! Amo a banda e os shows valem a pena.

New Stage – Só o Ash salva, e mesmo assim o foco é o main stage.

Boa sorte galera, e viva a Sustentabilidade … Vamos ver… Né… Teremos nossos correspondentes e vamos monitorar forte on-line, green wash é feio… Quero ver rolar dessa vez !!

Som do dia Manu Chao ao vivo com Put it on (Bob Marley and the Wailers)

IRIE

Put It On – The Wailers

Feel them spirit
Feel them spirit
Feel them spirit
Lord, I thank you
Lord, I thank you
Feel alright now
Feel alright now
Feel alright now
Lord, I thank you
Lord, I thank you
I’m gonna put it on, I put it on already
I’m gonna put it on, and it was steady
I’m gonna put it on, put it on again
Good Lord, help me
Good Lord, help me
I’m not boastin’
I’m not boastin’
I’m not boastin’
Feel like toastin’
Feel like toastin’
I rule my destiny, yeah
I rule my destiny
I rule my destiny
Lord, I thank you, yeah
Lord, I thank you
No more cryin’
No more cryin’
No more cryin’
Good Lord, hear me
Good Lord

Emissão 51 – Occupy Wall Street Podcast

Ray Davies com Bruce Springsteen – Better Days, Atari Teenage Riot – Rearrange Your Synapses,
Arctic Monkeys – Don’t Sit Down ‘Cause I’ve Moved Your Chair, The Vaccines – Blow it up (Londres 2010 – indie rock revival), The Subways – We don´t need money to have a good time, Beastie Boys – Multilateral Nuclear Disarmament, Ladytron – Altitude Blues, Kate Bush – Deeper Understanding, Danger Mouse & Daniele Luppi – The Matador Has Fallen, Broken Social Scene – World Sick, Calle 13 – Calma Pueblo, Bjork – Crystalline, Charles Bradley – The World (Is Going Up In Flames).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rock in Rio @home – 2ª Noite

NX Zero – prefiro não comentar – Ok – afinal o Blog tem opinião e prefere não dar pois não vale a pena. Sem Nota.

Capital Inicial – Pior que o NX Zero. Sem Nota.

Yuka – Causou geral com bandeira do MST e 3 cantoras no melhor estilo frenéticas on acid, em versões dos sons da época em que O Rappa representava.
Nota 7,5.

Nação Zumbi com Tulipa Ruiz – Apesar do início confuso, a veterana banda vestiu a cantora e fizeram um dos melhores momentos do Festival. nota 8

Mike Patton com Mundo Cane e Orquestra de Heliópolis – Mike Patton é maluco! E essa encarnação mafiosa Morriconiana c/ a Orquestra de Heliópolis tá ótima e no Brasa o cara é semi-deus #podetudo Nota 7,0.

Stone Sour – Pior que o Capital, sem nota.

Snow Patrol – Nota 7, afinal foi um show 9,5 de uma banda nota 7,5. Ótima participação de Mariana Aydar.

Red Hot Chilli Peppers – Sem Frusciante, a banda se mostrou mais entrosada e mesmo perdendo algumas das harmonias e backing vocals, voltou a atuar como grupo e a coesão trouxe uma apresentação mais profissional e menos anárquica que as anteriores no país. A banda americana mais carioca do planeta! Nota 8,5 e talvez o melhor show dos Peppers no país.

Valeu Multishow !!

20110925-020509.jpg

20110925-020706.jpg

20110925-020744.jpg

20110925-022643.jpg

20110925-022728.jpg

20110925-022849.jpg

O Post-Punk do Gang of Four esquentou o Domingão no Ipiranga

Nesse Domingo (28/Mai), a histórica banda britânica Gang of Four, comandada por Jon King (Vocal) e Andy Gill (Guitarras), esquentou o Parque da Independência no Ipiranga, com seu post-punk original e que influenciou bandas diversas como Red Hot Chili Peppers, Franz Ferdinand, System of a Down, Jane´s Addiction, Block Party, Metallica, Faith no More, Suicidal Tendencies, Rage Against the Machine, Bad Brains… entre outras.

Com instrumental desconcertante, flertando com o funk e experimentalismos mil, os caras fizeram um dos melhores shows do ano, Jon King apesar da idade e do estilo desengonçado é um super frontman, cheio de carisma e um ativista social de mão cheia, o baixista Thomas McNeice é o porto seguro do som todo quebrado e junto com o batera Mark Heaney fazem a base precisa para todas as viagens da banda.

Andy Gill é um show à parte, flerta e destrói o instrumento, que cheio de efeitos e intervenções mostra como tocar guitarra pode ser uma atividade cheia de significado e importância conceitual e artistica.

Segue galeria de fotos do show e o setlist completo !!

Gang of Four – São Paulo – 30/Maio/2011

1.You’ll Never Pay for the Farm
2.Not Great Men
3.Ether
4.I Parade Myself
5.Paralysed
6.A Fruitfly in the Beehive
7.Anthrax
8.It Was Never Gonna Turn Out Too Good
9.What We All Want
10.Why Theory?
11.We Live as We Dream, Alone
12.To Hell With Poverty
13.Do As I Say
            BIS
14.I Love a Man in Uniform
15.Natural’s Not in It
             BIS 2
16.At Home He’s a Tourist
17.Damaged Goods

Emissão 48 – Gente Diferenciada

Nina Hagen – Personal Jesus,
Hot Chip – One life stand,
Strawberry Switchblade – Who knows what love is ?,
Sandie Shaw – Hand in Glove,
The Baseballs – I dont fell like dancing,
Francisca Valenzuela – Peces,
May East – Fire in the jungle,
Adanowski – Estoy Mal,
Os Inocentes – Homem Negro,
The Kinks – Dead end street,
Hypnotic Brass Ensemble – Rainbows,
Gun Club – Death Party,
Les Savy Fav – Walk in the Park

http://vishows.podomatic.com/swf/joeplayer_v18a.swf

Dicas para curtir numa boa a Virada Cultura 2011 em São Paulo (dias 16 e 17 de abril)

Ir na Virada Cultural é sempre um programa especial, onde os paulistanos reconquistam o centro da cidade por 24 horas, pois o Centrão deveria ser sempre o foco da cultura como em toda cidade decente.

Virada Anhagabaú

Já para se divertir numa boa e curtir a Virada é mais complicado, pois não é tão difícil se dar mal, afinal a noite de Sábado vai lotando em progressão geométrica, e a sujeira crescente pode tornar a experiência meio decepcionante, principalmente se não for possível ficar próximo ao seu artista preferido.

Seguem as dicas do blog para curtir numa boa.

1 – PESQUISAR E PLANEJAR

Antes de mais nada a primeira dica é PLANEJAMENTO, pois um evento assim diverso agrega roqueiros, pagodeiros, malucos, crianças, velhinhos, mendigos, regueiros, clubbers, manos, mauricinhos, punks e alternativos de toda ordem e opção.

Ou seja, tem prá todo mundo – procure na programação completa do sitio da Virada, e cheque seus artistas e atrações favoritas, horários e locais. Feito isso, dê um passeio no Google MAPS e Street View para ver as distâncias, pontos de ônibus e metrô mais próximos.

2 – TRANSPORTE

Ir de carro na Virada é a maior roubada !! Se você mora longe do centro e do metrô, a dica de transporte é ir de carro até a estação de Metrô ou trem mais próxima. Daí é escolher se fica melhor descer na Sé, Liberdade, República, Anhagabaú, Luz ou até mesmo na Paraíso, Ana Rosa, Santana e Barra Funda prá quem vai curtir o circuito que rola em diversos SESCs da cidade.

Em todos os CEU´s vão rolar apresentações e performances como opção para vários bairros de SP.

3 – HORÁRIOS

Eu sempre busco horários mais alternativos, o pico de lotação normalmente acontece das 22:00 até altas horas da madrugada, e no Domingo à tarde a cidade fica novamente lotada.

Sempre pesquise os palcos próximos do seu show preferido, pois se ficar lotado demais, apresentações menos concorridas podem ser até mais divertidas.

4 – O que ver na Virada Cultural 2011 ?

Com o Brasil na moda e no roteiro de todos os shows, dolar barato e festivais de sobra na América do Sul, eu tinha uma expectativa bem maior nesse ano, ache que se por um lado a Virada investiu no humor e entretenimento para todos, as atrações musicais estão no mesmo nível de 2010… ou seja, poderiam ter sido mais agressivos… mas como esse ano não tem eleição …. a Secretaria da Cultura e organizadores foram bem tímidos.

Seguem os destaques musicais preferidos …

Palco São João – música eletrônica/ritmos latinos/ska/dub

19h00 – Armando Manzanero (México) – Latino/Romantico

21h00 – Chicha Libre (EUA) – NYC – Latino/Amazônico/Electro/Pop/Surf

23h00 – Skatalites (Jamaica) – IMPERDÍVEL mas deve LOTAR

03h00 – Macaco (Espanha – Barcelona) – Pop/Latino/Electro – ACHADO – RECOMENDO

05h00 – Marcelo Yuka (Brasil – Rio) – Ex.Líder do Rappa

07h00 – Dj Dolores y Orquestra Santa Massa (Brasil – Pernambuco)

15h00 – Mad Professor (Jamaica) + Marty Dread

17h00 – Steel Pulse (Inglaterra) – Reggae

Palco República – black/hip-hop, funk, soul e samba

18h00 –  KL Jay, Edi Rock e Don Pixote (Quase os Racionais) !!

00h00 – Toni Tornado e Dom Salvador + Abolição (Funk Brasil – 70´s)

18h00 – Paulinho da Viola e Orquestra de Cordas de Curitiba (MPB)

Palco Júlio Prestes – rock n’ roll, blues, heavy metal, psychobilly e pop rock

18h00 – Rita Lee (Rock Brasil) – LOTADO

20h00 – Edgar Winter (EUA) – Blues – D+

02h00 – The Misfits (EUA) – Psycobilly / Punk

14h00 – Plebe Rude (Rock Brasil – Punk)

16h00 – Blitz (80´s Rock Brasil)

18h00 – RPM (80´s, Pop Brasil – A volta dos que não foram…)

Palco Arouche – brega ao rock

23h00 – Ritchie – (80´s, Pop Brasil – A volta dos que não foram…)

07h00 – Big Time Orchestra (Big Band Rock)

11h00 – A Cor do Som – (Pop, MPB, Rock – 70´s/80´s)

13h00 – Os Incríveis – (Pop / Rock – 60´s/70´s)

17h00 – Erasmo Carlos – (Jovem Guarda – MPB- Rock)

Palco XV de Novembro – veteranos e novatos

18h00 – Tiê – (pop)

00h00 – Cibelle e Cidadão Instigado

14h00 – Maria Alcina e Edy Star (loucuras mil)

18h00 – Jorge Mautner (MPB – Cabeça)

Bulevar São João — Maratona: a banda Beatles 4ever toca todos os discos na sequência

A banda paulistana Beatles 4Ever vai tocar todos os discos dos Beatles ao vivo, na íntegra e em ordem de lançamento, com figurinos originais.

Palco Estação da Luz – Corpos de baile/Orquestras e seus convidados

21h00 – Orquestra de Câmara da USP : Stravinsky – Zappa – Ginastera -Scrutinizer (Tocando repertório de Frank Zappa)

00h00 – Orquestra Experimental de Repertório Convida Sepultura

09h30 – Orquestra Fervorosa Convida Inezita Barroso

CEU Parque Anhanguera

21h00 – Mallu Magalhães (MPB – Folk)

CEU Vila Atlântica

22h00 – Luiz Melodia (MPB)

Sesc Santana

18h00 – Big Boy Revival Show (Memória ao DJ Big Boy)

21h00 – Casa das Máquinas (Rock Brasil – 70´s)

Casa de Francisca – Rua José Maria Lisboa 190

00h30 – Cida Moreira (MPB)

19h30 – Arrigo Barnabé (MPB – Vanguarda)

APROVEITEM E ACOMPANHEM A PROGRAMAÇÃO NO BLOG

Ziggy Marley volta ao Brasil solo e como parte do Pop Music Festival (com Shakira, Fatboy Slim e Train)

Ziggy Marley

Sinceramente quase não dei essa notícia, pois sem Ziggy Marley o Blog iria mesmo ignorar a passagem de Shakira no Brasil, mesmo com a presença ilustre de Fatboy Slim e da banda pop-rock Train. Passado o mal humor, a vontade de falar de Ziggy falou mais alto e cá estamos apresentando o Tour do ilustre filho do homem…

Ziggy aprendeu a tocar seus primeiros acordes com seu pai Bob Marley, e com sua morte, Ziggy foi apontado como seu provável herdeiro musical, e já aos 16 anos acompanhado pelo irmãos e ex-membros dos Wailers fez sua estréia com os Melody Makers.

Como Ziggy Marley and the Melody Makers, alcançou grande sucesso comercial no fim dos anos 80 e no início dos anos 90, fazendo sua estréia solo à partir de 2003, sendo Family Time (disco de 2009), seu último álbum, com participações de todo Clã Marley e Amigos, ganhando o Grammy de “Melhor Álbum Musical para Crianças”.

Datas confirmadas :

15/Março
Porto Alegre – Estacionamento da Fiergs (No Pop Music Festival)

17/Março
Brasília – Nilson Nelson Arena (No Pop Music Festival)

18/Março
Rio – Fundição Progresso (SOLO)

19/Março
São Paulo – Morumbí (No Pop Music Festival)

22/Março
Florianópolis – Life Club (SOLO)

Confiram o som atual de Ziggy Marley – I Love you too

%d blogueiros gostam disto: