Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos de tags: Black Sabbath

11/11/11 e a volta da formação original do Black Sabbath

Realmente algo iria acontecer em 11/11/11, e o retorno da formação clássica do Black Sabbath é a notícia do dia no mundo rock.

Confiram vídeo com histórico da banda nessa era (o MK1 do BS), que chega para 2012 com disco novo de inéditas e produção do mago Rick Rubin, com tour mundial, logo após serem a atração principal do Download Festival 2012, na mesma noite em que o Metallica deve tocar o clássico Black Álbum na íntegra. ANIMAL !!

Ví OZZY solo esse ano e o cara ainda detona !! Na sequencia a foto direto do Twitter de Kelly Osbourne com a banda no backstage antes do anúncio oficial em Los Angeles nessa Sexta (11/11/11)  !!

Black Sabbath 2011 – MK1
Eu realmente não espero muito do disco novo, mas o que todos fãs querem é poder agitar ao som dos hits eternos dessa banda sensacional. BOA NOTÍCIA !
 
 
 

Ozzy sempre vale o Show (América do Sul 2011)

Ozzy 2011 na América Latina

Aos 62 anos de idade o incrível OZZY volta ao Brasil e América Latina, para uma série de apresentações. Confiram as datas do OZZY SCREAM TOUR 2011 :

ARGENTINA
Buenos Aires – 26/MAR – Estádio do Racing

CHILE
Santiago – 28/MAR – Movistar Arena

BRASIL
Porto Alegre – 30/MAR – Gigantinho
São Paulo – 02/ABR – Arena Anhembí
Brasília – 05/ABR – Ginásio Nilson Nelson
Rio de Janeiro – 07/ABR – Citibank Hall
Belo Horizonte – 09/ABR – Mineirinho

PERU
Lima – 12/ABR – Explanada Monumental

EQUADOR
Quito – 14/ABR – Estádio Atahualpa

COLOMBIA
Bogotá – 16/ABR – Parque Simon Bolivar

PANAMÁ
Cidade do Panamá – 19/ABR – Figoli Center

Como dica para os shows por aqui, o Blog buscou o set-list de apresentações recentes, torcendo para ajudar os fãs locais a imaginar o repertório provável dos shows de Março e Abril.

Ozzy em NYC no Madison Square Garden no último dia 02/Dez/2010 !!

  1. Bark at the Moon
  2. Let me Hear you Scream
  3. Mr. Crowley
  4. I Don´t Know
  5. Faires Wear Boots (Sabbath)
  6. Suicide Solution
  7. Road to Nowhere
  8. War Pigs (Sabbath)
  9. N.I.B. (Sabbath)
  10. Killer of Giants
  11. Shot in the Dark
  12. Rat Salad (Sabbath)
  13. Iron Man (Sabbath)
  14. Fire in the Sky
  15. Flying High Again
  16. Into the Void (Sabbath)
  17. I don´t want to change the word
  18. Crazy Train
  19. BIS
  20. Mama – I´m coming home
  21. Paranoid (Sabbath)

DIO – RIP (1942 – 2010)

Podcast Vishows – Emissão 17 – Coversmaniac

O Emissão 17 é um programa dedicado a grandes canções que viraram covers de outros artistas, que com sua arte, deram às músicas personalidade e vida própria, com arranjos e interpretações que marcaram época.

Tudo começa com o Van Halen, em sua formação clássica do disco Diver Down detonando com “Dancing in the Street” do grande Marvin Gaye. A canção recebeu inúmeras versões ao longo de décadas – essa com a maestria de Eddie Van Halen e os maneirismos de David Lee Roth ficou impagável e junto com a versão de Jagger e Bowie são as reproduções mais conhecidas da música.

O primeiro bloco abre com THE KING, o cara é um grande cover do Elvis e lançou nos anos 90, o álbum Gravelands, fazendo versões improváveis de canções no estilo Elvis Presley. Selecionamos de Bob Marley – “No Woman no Cry” que ficou sutil mesmo com o vozeirão do figura que tem muito talento e bom gosto. O bloco continua com os escoceses do Aztec Camera que direto dos anos 80, nos trazem versão interessante do clássico “Jump” dos já citados Van Halen.  Essa versão – clássico eterno da banda californiana, rolou muito no final dos anos 80 e virou uma grande referência para o mundo dos acústicos à partir da década de 90. Continuamos com REM, e cover dos sempre malditos Velvet Underground com a singela “There she goes again”. Fecha o bloco o sensacional Echo and the Bunnymen na grande versão de “People are Strange” com produção e teclados do próprio Ray Manzarek até superando a original dos seminais The Doors.

O segundo bloco chega com Depeche Mode e sua incrível versão de “Route 66” do mega Chuck Berry – eternizada pelos Stones nos anos 60 e que na roupagem eletrônica dos caras ganha vida nova. Para mantér o pique nada como Siouxsie and the Banshees com “Hall of Mirrors” dos eletrônicos Kraftwerk. Já no pique dos Banshees, pegamos a banda feminina Lunachicks com “The Passenger” que ficou famosa com a Siouxsie mas é original de Iggy Pop, fecha o bloco os ingleses do Garbage com homenagem aos Ramones – “I just want to have something to do”.

O bloco final, sempre mais roqueiro, começa com os ingleses The Automatic e a sonzeira de “Epic” do Faith no More, seguido dos super talentosos Living Colour e cover de James Brown – “Talking loud and saying something” em versão pesadona e cheia de groove. Agora é porrada com Metallica em versão dos Misfits ao-vivo – “Last Caress”. Fecha o programa Sepultura em formação clássica fazendo versão do Black Sabbath – “Symptom of the universe”

CURTE O SOM GALERA !!


Show do Heaven and Hell em Sampa – 16/05/2009

Uma frente fria chegou em São Paulo na quinta feira dia 14/05, bem a calhar para juntar com a espera de um show do verdadeiro Heavy Metal.

No ingresso estava escrito Heaven and Hell, mas para mim continua sendo um show do Black Sabbath fase DIO e não se fala mais nisso.

Foi uma pena não ter ido com umas 03 ou 4 horas de antecedência, pois os bares em volta do credicardhall “vestem” o show da noite. Todos eles estavam tocando ou passando algo do Sabbath nas caixas de som e nos aparelhos de dvd`s dos lugares. Tinha um deles, no qual parei, que era o o show atual.

O clima como sempre esta condizente com shows de heavy metal, PAZ TOTAL ! Todos somente esperando o momento de entrar.

Os comentários que escutava do lado de fora era sempre: – e ai conseguiu o ingresso ? Pensei que fosse papo de cambista, mas ledo engano.

Na entrada, fila bem simples, sem empurra empurra e adentramos para o Credicard Hall. Por pura falta de alternativa, toma-se a cerveja mais cara do universo e é hora para o espetáculo.

O público sem predominações. Pai, filho, neto, filhas, amigas…estavam todos lá.

Na entrada das portas da pista simples (simples pois agora tem que ter sempre VIP) esbarrei em uma multidão. Mal dava para entrar. Os comentários internos era que o show estava esgotado fazia um certo tempo e uma ou duas semanas antes, liberaram outro lote de ingressos (??!?!).

Minha teoria é o seguinte, tinham o espaço liberado para X pessoas, sendo que esse espaço era para toda a pista e não com a divisão de VIP…com isso, o saldo maior de pista simples ficou encaixotado.

Era estranho, pois não sou baixo, mas mesmo assim, mal podia ver o palco.

Parecia que eu estava em uma rampa e que no fim dela não era o palco e sim algum lugar no meio da pista. Não tive dúvida, tive que tirar o

velho sangue adolescente que estava esquecido e cair na batalha. Depois de mil e um empurrões e palavrões, estava eu na grade que separa o vip dos pobres mortais.

Palco preparado, sem muita firula, canhões de luz bem colocado, o azul sombrio predominava no palco. Com pelo menos 45 minutos de atraso (não havia como colocar a mão no bolso e olhar o celular para saber a hora) começa a boa e velha “E5150”.

O som estava bem alto, mas em nenhum momento ocorreu distorção. A galera correspondeu com os gritos. Entra “Mob Rules” explodindo as caixas e DIO mostrando que não fica velho.
A voz é a mesma de sempre e fantástica. Lembro que fui ver o DIO no mesmo lugar em show solo antes…foi emocionante e tal, mas é diferente.

Agora fico sem entender de onde veio uma faixa de “Vegan” do público. DIO pegou acho que pela originalidade, mas nada a ver.

Voltando a música, Black Sabbath na voz do DIO é uma das melhores coisas do Heavy Metal. Tanto é que no primeiro intervalo entre as músicas, a galera  gritou DIO antes de levar o grito de Sabbath mais a sério.

O show seguiu bombando, Geezer butler mandando ver no baixo. Na postura de sempre, dedos rápidos, bagueadas constantes de cabeça. Seriedade é a palavra.

Um ponto me chamou a atenção, pois quando DIO ia apresentar faixas do álbum novo, ele falava como se ninguém ali já tinha escutado “The Devil You Know”.

Acho que nisso pararam no tempo. Confesso que não escutei como deveria o novo albúm, mas ali quando entrou “Bible Black” como indroução do albúm novo, todos, eu digo todos em minha volta cantavam o refrão ! Foi um dos pontos altos do show. A música é realmente muito boa.

Começei a flutuar no som pesado…a pausa para cair na real novamente foi quando entrou “Falling Off The Edge of The world”. Começa lenta e vai subindo até entrar o som do bumbo lembrando uma batida de coração e entra toda distorção da guitarra de Toni Iommi e se entende o por que o som do Sabbath é único.

O som estava perfeito, escutava-se o baixo na boa, batera sem querer aparecer muito, a voz do DIO bem controlada pela mesa de som e no solo de guitarra…limpo ! Tudo perfeito.

DIO quando falava para a platéia, como sempre, falava depressa e embolado, sempre andando de um lado para o outro movendo as mãos.

Entrou músicas do “Dehumanizer” e mais outra do “The Devil you Know”. Todo mundo vibrou igual.

Outra coisa foi o solo de bateria. Esparava mais, fico com o solo que Vinny fez no “live evil” e cai na besteira de manter isso na cabeça que o solo ficou bem meia boca.

Então veio o ápice do show. “Heaven and Hell”. A batida inicial foi prolongada como deveria de ser para todos entoarem em coro o ritmo da música e DIO começa a cantar.

O palco tem dois blocos de iluminação que subiam e desciam conforme a música, que acho simples e muito bom em ter, mesmo em shows de bandas menores. Na parte lenta da música, o DIO fica todo iluminado de vermelho enquanto o palco fica as escuras. E todos cantando junto. Quase chorei, pois nunca pensei que fosse ver esses caras ao vivo.

Depois disso fica tudo um extase só, mais um som e eles se despedem com o obrigado em português meio tímido.

Voltam com “Neon Nights” – pesadaça e DIO forçando o que dava a voz.

Acaba o show, entra o zumbido na orelha e fico feliz de ter participado desse evento. Hora de ir e novamente PAZ TOTAL !

Que venha o próximo espetáculo.

Robson Gonçalves – colaborador Vishows


Vai no Heaven and Hell em SAMPA ou no Rio ?

BLOG … aquecendo os motores …para o Heaven and Hell, com o melhor do Sabbath fase DIO… tem gente que não gosta… vamos deixar claro que o OZZY é foda mas o DIO é animal e fica melhor com a idade.

Na Segunda contamos detalhes do Show que nossos colaboradores do METAL vão vivenciar no Credicard Hall aqui em Sampa.

Para ficar com um gostinho na Boca, segue o set-list da apresentação de Brasília que rolou nesse meio de Semana.

E5150, The Mob Rules, Children Of The Sea, I, Bible Black, Time Machine, Drum Solo, Fear, Follow The Tears, Guitar Solo,  Die Young, Heaven And Hell – BIS –  Country Girl, Neon Knights.

Heaven and Hell – Set List BH

A tour Heaven and Hell pegando a fase DIO no Sabbath já chegou no Brasil e nesse Domingo em Belo Horizonte rolou o primeiro show dos heróis do METAL.

Confiram o Set-List animal do Show realizado no Chevrolet Hall

  1. E5150
  2. The Mob Rules
  3. Children Of The Sea
  4. I
  5. Bible Black
  6. Time Machine
  7. Drum Solo
  8. Fear
  9. Falling Off The Edge Of The World
  10. Follow The Tears
  11. Guitar Solo
  12. Die Young
  13. Heaven And Hell
  14. Country Girl (BIS)
  15. Neon Knights (BIS)

O HEAVEN AND HELL – banda formada pelos membros do Black Sabbath – Tony Iommi (guitarra), Ronnie James Dio (vocais), Geezer Butler (baixo) e Vinny Appice (bateria) — vão tocar ainda em :

  • Maio 13 – Brasilia, Brasil, Ginásio Nilson Nelson
  • Maio 15 – Sao Paulo, Brasil, Credicard Hall
  • Maio 16 – Sao Paulo, Brasil, Credicard Hall
  • Maio 17 – Rio de Janeiro, Brasil, Citibank Hall Rio

A tour Sul Americana já passou por Bogotá na Colombia, Buenos Aires na Argentina e Santiago no Chile, após a perna brasileira a banda vai direto para 2 apresentações em Moscou no fim do mês.

Heaven and Hell

Heaven and Hell

Para entrar no clima vejam esse Video Fã  – Direto do You Tube com o encerramento do Show com NEON KNIGHTS !! INCRÍVEL !!

Emissão 05 – Genealogia Rock

Emissão 05 – Genealogia Rock

Algumas bandas e músicos estão ligados de forma definitiva na história do rock, esse Genealogia rock mostra as ligações entre Black Sabbath e Deep Purple, com uma série de bandas sucessoras e projetos onde os integrantes se misturaram em (trans)formações incríveis… e bandas muitas vezes no apogeu, tiveram mudanças de formação e até mesmo de estilos. Apesar dos pesares, toda essa confusão teve seu lado bom, com inúmeras colaborações que até hoje, 40 anos depois, fazem desses caras heróis de gerações e multidões no mundo todo.
O Purple que começou sem Ian Gillan – mas teve nele seu vocalista clássico, foi agraciado com sua troca por uma dupla – David Coverdale (posteriormente fundador do Whitesnake) e Glenn Hughes (com passagens no Sabbath e em projetos com Tony Iommi), fora o próprio Gillan com sua banda solo e na fase Sabbath com o disco clássico Born Again.
O Sabbath além do mítico Ozzy teve como vocal Ronnie James DIO, vindo da nova banda de Mr.Richie Blackmore o Rainbow, retratado aqui em suas melhores fases bem como a carceira solo do cantor na banda DIO.
Olhando com mais cuidado, vemos bateristas, baixistas e tecladistas que foram e voltaram entre Rainbow, DIO e Sabbath, fora a passagem nos anos 90 de Joe Lynn Turner ex-Rainbow pelo Deep Purple (tocaram até no Brasil no início dos anos 90 – eu fui – foi bom – Ginásio do Ibirapuera lotado e todas as fases da banda misturadas, teve Burn, Smoke on the Water e outros clássicos das formações dos anos 70 – todo mundo sentiu a falta do Ian Gillan… fazer o que ?! Ele e Richie Blackmore juntos nunca mais).
No Whitesnake passou meio Deep Purple como Jon Lord, Ian Paice e Mr.Roger Glover, Ozzy em fase solo tocou com grandes caras como Randy Rhoads ex Quiet Riot e teve nos teclados Don Airey – substituto de Jon Lord no Purple atual…. e tem mais !!
Menção honrosa para Tony Martin – vocal do Sabbath por anos e anos e que não apareceu no programa, como alguns outros vocais do Rainbow nos 80 e 90… até o Faith no More entrou na jogada com o batera Mike Bordin que tocou no Black Sabbath substituindo Bill Ward na volta de Ozzy para a banda e na banda do próprio Ozzy.
Indiretamente ligados ainda podemos citar Yngwie Malmsteen um assecla de Richie Blackmore que teve bandas com todos esse pessoal citado que orbitou essas mil formações e os mega guitarristas Joe Satriani que tocou brevemente no Deep Purple nos anos 90, no hiato entre a saída de Blackmore e a entrada do ultra técnico Steve Morse (Ex – Dixie Dregs e Kansas , até hoje na banda). Fechando a última conexão vamos para o mega herói da guitarra Steve Vai – que tocou tanto no Whitesnake como com Ozzy – e faz a conexão roqueira chegar até Dave Lee Roth e ao Van Halen….
UFA !! Pensei que não acabava nunca…

Seguem as músicas do programa e as formações de cada época das bandas :

1 – Deep Purple – Hush (Jon Lord – Teclados, Richie Blackmore – Guitarra, Ian Paice – Bateria, Nick Simper – Baixo, Rod Evans – Vocais)

2 – Black Sabbath – Killing yourself to live (Bill Ward – Bateria, Geezer Butler – Baixo, Tony Iommi – Guitarra, Ozzy Osbourne – Vocais)

3 – Deep Purple – Strange kind of woman  (Jon Lord – Teclados, Richie Blackmore – Guitarra, Ian Paice – Bateria, Roger Glover – Baixo, Ian Gillan – Vocais)

4 – Deep Purple – Stormbringer (Jon Lord – Teclados, Richie Blackmore – Guitarra, Ian Paice – Bateria, Glenn Hugues – Baixo e Vocal, David Coverdale – Vocais)

5 – Deep Purple – This time around ( Jon Lord – Teclados, Tommy Bolin – Guitarra, Ian Paice – Bateria, Glenn Hugues – Baixo e Vocal, David Coverdale – Vocais)

6 – Rainbow – Long live Rock and Roll (Ronnie James Dio – vocals, Ritchie Blackmore – guitar, David Stone – teclados, Bob Daisley – baixo, Cozy Powell – bateria)

7 – Ozzy Osbourne – Flyin High Again (Ozzy – Vocais, Randy Rhoads – guitarra, Rudy Sarzo – Baixo, Tommy Aldridge – bateria)

8 – Whitesnake – Guilty of Love (David Coverdale – vocais, Micky Moody – guitarra, Mel Galley – guitarra, Colin Hodgkinson – baixo, Jon Lord – teclados, Cozy Powell – baterial, backing vocals The Fabulosa Brothers)

9 – Black Sabbath – Lady Evil (Tony Iommi – Guitarra, Geezer Butler – Baixo, Ronnie James Dio – Vocais, Vinnie Appice – Bateria)

10 – Rainbow – I surrender (Joe Lynn Turner – vocais, Ritchie Blackmore – guitarra, David Rosenthal – teclados, Roger Glover – baixo, Bobby Rondinelli – bateria)

11 – Deep Purple – Knocking ate the back door (Jon Lord – Teclados, Richie Blackmore – Guitarra, Ian Paice – Bateria, Roger Glover – Baixo, Ian Gillan – Vocais)

12 – DIO – Rainbow in the Dark (Ronnie James Dio – vocais, Vinny Appice – Bateria, Jimmy Bain – Baixo, Vivian Campbell – guitarra)

Curte o som galera !!


Podcast – Genealogia do Rock I – Mandem as sugestões de sons…

Nesse Sábado vai rolar + 1 Podcast da Vishows…      aguardo sugestões para o programa que vai visitar a genealogia que envolve Deep Purple, Rainbow, Black Sabbath, DIO, Whitesnake, Ozzy… em suas diversas formações, onde diversos músicos transitaram entre todas essas formações clássicas do hard rock e metal…

Mandem sugestões para o Podcast para o programa ficar mais rico e entrar na Vibe do HEAVEN AND HELL que está para chegar na área em Maio – confira na Agenda do Site.

Curte o som galera – Até +

%d blogueiros gostam disto: