Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos de tags: Chris Cornell

Os 10 melhores sons de James Bond, o agente 007

20121007-024804.jpg

Os 10 melhores sons do 007

Goldfinger – Shirley Bassey

Live and Let Die – Paul McCartney & Wings

You Only Live Twice – Nancy Sinatra

The World Is Not Enough – Garbage

For Your Eyes Only – Sheena Easton

Nobody Does It Better – Carly Simon

A View to a Kill – Duran Duran

Die Another Day – Madonna

Skyfall – Adele

You Know My Name – Chris Cornell

Duelo de supergrupos: Mad Season X Temple of The Dog

Essa é para quem gosta das bandas se Seattle e de música boa, já imaginou duas bandas com alguns dos maiores nomes da música da década de noventa?

Pois elas existem, são elas Mad Season e Temple of The Dog, ambas só lançaram um álbum e definitivamente entraram para história.

Mad Season

O Mad Season foi uma banda formada pelo guitarrista Mike McCready do Pearl Jam, o vocalista Layne Staley do Alice in Chains, o baterista Barrett Martin do Screaming Trees e o baixista John Baker Saunders do The Walkabouts e contou com participação de Mark Lanegan, vocalista do Screaming Trees, em algumas faixas do único álbum da banda “Above” (1995).

A banda fazia um som experimental que misturava Blues e Hard Rock. Criou pérolas como River of Deceit e Long Gone Day, que conta a participação de Lanegan.

Eles fizeram muito sucesso com o single River of Deceit e alcançou algumas posições nos principais rankings da época, como o da Billboard.

Infelizmente a banda só fez uma pequena turnê, o tão sonhado segundo álbum nunca veio a tona e com as mortes de Layney e John o grupo teve o seu fim definitivo.

Faixas:

1. Wake Up
2. X-Ray Mind
3. River of Deceit
4. I’m Above
5. Artificial Red
6. Lifeless Dead
7. I Don’t Know Anything
8. Long Gone Day
9. November Hotel
10. All Alone

Mad Season – River Of Deceit

Mad Season – Long Gone Day

Mad Season – I Don’t Know Anything

Temple of the Dog

Já o Temple of the Dog foi formado em Seattle, em 1990, por Chris Cornell, vocalista do Soundgarden, como um tributo a Andrew Wood, vocalista do Malfunkshun e do Mother Love Bone que era amigo de Cornell e morreu de overdose de heroína. A banda lançou apenas um ábum intitulado “Temple of The Dog” (1991).

Stone Gossard (Pearl Jam) na guitarra rítmica, Jeff Ament (Pearl Jam) no baixo (ex-membros do Mother Love Bone), Mike McCready (Pearl Jam) na guitarra líder, Matt Cameron (Soundgarden) na bateria integravam a banda e Eddie Vedder (Pearl Jam) fazia um dueto com Cornell em “Hunger Strike” e os vocais de apoio. Essa banda é considerada o embrião do que viria a ser o Pearl Jam e Mike McCready futuramente iria integrar o Mad Season.

Só pelo nomes acima já era de se esperar um álbum fora do comum, porém o reconhecimento só veio após os integrantes da banda formarem o Pearl Jam e estourarem com álbum Ten.

O Single Hunger Strike fez muito sucesso nas rádios, contudo a banda reuniu-se poucas vezes em apresentações ao vivo e lançaram apenas o álbum de tributo, já que essa era a intenção principal da banda. Eventualmente Chris Cornell se une aos caras do Pearl Jam e relembra alguns singles da banda, mas infelizmente esse era um projeto paralelo que não tinha intenção de perdurar.

Faixas:

1. Say Hello To Heaven
2. Reach Down
3. Hunger Strike
4. Pushin’ Forward Back
5. Call Me A Dog
6. Times of a Trouble
7. Wooden Jesus
8. Your Saviour
9. Four Walled World
10. All Night Thing

Em um duelo fictício entre esses dois grupos dos sonhos de qualquer criança roqueira quem sairia vencedor? Eu só posso concluir que seriam os fãs.

PJ20 – Temple of the Dog – Say Hello 2 Heaven

Temple of the Dog – Hunger Strike

SWU 2011 – Bons shows e um conceito a ser provado …

20111107-215308.jpg

A pretensão é tornar o Festival sério e ponto de mobilizar a galera alternativa… Mas na real a idéia de ir até Paulínia, gastar um monte de gasolina, pagar pedágio e acampar para não voltar detonado da trip, ainda tem que se provar válida… vamos ver o que vai rolar nesse ano e dar o veredito, afinal é tudo marketing ou é sério ?

Mas na certa, vão rolar grandes shows, e música é música, então vamos ver os melhores shows e roubadas dia a dia da nova versão do SWU 2011 em Paulínia Rock City.

Sábado – 12 de novembro – Destaques

Palco Principal

15:00 – 15:45
Emicida – não precisa provar nada e pelo talento podia estar melhor posicionado, vai ser grande show.

15:50 – 16:50
Michael Franti & Spearhead – som de balada californiana, com cara de verão e letras sociais, deve surpreender positivamente.

18:00 – 19:15
Marcelo D2 – É sempre bom ao vivo, mas não faz minha cabeça (se é que vc me entende).

19:20 – 20:20
Damian ‘Jr. Gong’ Marley – O mais novo dos Marley, em alta com vários projetos e provavelmente o melhor show do Sábado.

20:25 – 21:25
Snoop Dogg (1:00) – Snoopy está na encruzilhada Mainstream , e já caminha para satisfazer primeiro seu Superego.

21:30 – 23:30 Kanye West (2:00)
Até quando um impostor agüenta, nunca me convenceu, melhor buscar outro palco.

23:35 – 01:35
Black Eyed Peas (2:00) – Ver o fim deles no topo pode ser um bom e memorável programa. Melhor tomar um energético…

New Stage : nada a destacar, o oposto do Rock in Rio.

Domingo – 13 de novembro – destaques

Palco principal

15:00 – 16:00 Zé Ramalho
O paraibano é gênio local e herdeiro, involuntário ou não, do hippismo e Raul Seixismo setentista. Sempre um grande show, mas devia abrir o Peter Gabriel.

16:05 – 17:05 Ultraje a Rigor
A mesma piada há 30 anos,mas a diversão é sempre garantida, afinal não se levam a sério… Ou não deveriam…

18:30 – 19:30
Chris Cornell – em plena volta do Soundgarden… Show estranho, abrindo para o Duran Duran… Programação Wake Up !!

19:35 – 20:50
Duran Duran – Que porra é essa ?! Os 80’s já saíram da moda, afinal só os 2 primeiros discos valeram a pena, o resto é tudo pose. Save o technopop cafona.

20:55 – 22:40
Peter Gabriel & The New Blood Orchestra – Agora sim, finalmente um PUTA SHOW! Minha idéia seria ir ver o Peter Gabriel e voltar direto para Sampa! Mas vale a pena ?!

SIM – Se vc não conhece o cara veja os vídeos selecionados pelo Blog!

Sledgehammer

Shock the Monkey

Solsbury Hill

Big Time http://www.youtube.com/watch?v=gkIFL4yqXm8

Games Without Frontiers http://www.youtube.com/watch?v=zP1_pZkJTvk

22:45 – 00:15
Lynyrd Skynyrd – Aposta no southern Rock foi um erro, mas deve ser um show interessante. Vale pela arqueologia roqueira, mas os yankees definitivamente não encarnam o suposto espirito engajado do festival. Que doidera sem sentido… Os caras na real não manjam nada de música… É mais um show tributo, pois a banda já era … Ou melhor … Já foi.

New Stage: destaques

19:30 – 20:30
Modest Mouse – Esses são preferidos do Blog ! Boa alternativa ao Duran Duran… Lembrar de sair a tempo de perder o Hole e ver O Peter Gabriel.

20:45 – 21:45
Hole – A segunda maior viúva do Rock de todos os tempos, promete no mínimo causar em sua volta ao país. Viva a Yoko Ono Grunge !!

Segunda – 14 de novembro

Palcos principais: Destaques

14:10 – 14:55
Raimundos – A volta dos que não foram, mas que já foram a maior banda de rock do Brasil, afinal os anos 90 voltaram!

15:00 – 16:00
Duff McKagan’s Loaded (1:00) – Duff é legal , mas o show vai ser um culto das viúvas do Guns. Que Horror !

19:20 – 20:20
Sonic Youth – Os ícones Indie americanos, podem após o fim da relação conjugal dar em Paulínia o ultimo show ! Será ?! São ótimos ao vivo!

20:25 – 21:25
Primus – Desperdício de talento em estado bruto ! Som de músicos para músicos.

21:30 – 22:30
Megadeth – Depois do Mettalica, pelo menos quero ver se Mustaine mantém a forma, ou virou personagem de sí mesmo.

22:35 – 23:50
Stone Temple Pilots – Muito legal, grande volta e ponto dentro do line-up! Finalmente alguém sacou o HYPE Grunge de volta.

23:55 – 01:25
Alice In Chains – Os STP deviam tocar depois, mas o Alice sempre foi grande no Braza, a volta dos 90’s !

01:30 – 03:15
Faith No More – Fecham a noite, afinal sao reis na América do Sul ! Amo a banda e os shows valem a pena.

New Stage – Só o Ash salva, e mesmo assim o foco é o main stage.

Boa sorte galera, e viva a Sustentabilidade … Vamos ver… Né… Teremos nossos correspondentes e vamos monitorar forte on-line, green wash é feio… Quero ver rolar dessa vez !!

2010 começa no estilo anos 90, a novidade é a “volta” do SOUNDGARDEN … LEGAL !!

SOUNDGARDEN ... a volta !!

Galera do Rock… o ano começa com boas vibrações e notícias, feliz 2010 para todos !!

E logo de cara uma grande novidade a volta do fantástico Soundgarden, ícone Grunge e do rock anos 90, e a fonte é quente o próprio Twitter do vocalista Mr.Cornell que diz …

“Knights of the Soundtable ride again!”

A banda com Chris Cornell (Voz), Kim Thayil (Gtr), Ben Shepherd (baixo) e o grande Matt Cameron (Bateria), teve nos 13 anos de carreira discos importantes e hits como Black Hole Sun que vocês curtem via YouTube…

Parece a volta dos anos 90 como “novidade” para a nova década…(tendência ?!)

Curte o Som Galera !!

Podcast Emissão 13 – “Supergroups”

Esse Emissão 13 – Programa Supergroups, é dedicado somente a bandas com formações clássicas e que marcaram e marcam presença no panorama musical

Tudo começa com PIL (Public Image) e a sonzeira de Bags – do clássico disco ALBUM.

Banda do Ex.Johnny Rotten – John Lydon, no seu disco mais poderoso o grande Álbum,em companhia de figuras como Steve Vai nas guitarras, Ginger Baker na bateria, Bernard Fowler nos backing vocals e Ryuichi Sakamoto – nos teclados, tudo com a produção de Bill Laswell.

O primeiro bloco chega com Dead Weather e  “Are Friends Electric” um cover de Gary Numan.

Com o incansável Jack White – na bateria, guitarra e vocais com a vocal do The Kills – Alison Mosshart e companheiros do Raconteurs (Dean Fertita – guitar, organ, electric piano, synthesizer e Jack Lawrence – bass, drums). É um exemplar de supergrupo Indie Rock.

Seguido do grunge do Mad Season e “I dont know anything” – No auge do grunge, deu pra sentir o impacto do Mad Season com Barrett Martin – bateria (Ex.Screaming Trees), Mike McCready – guitarras (Pearl Jam), John Baker Saunders – baixo e o mítico Layne Staleynos vocais (Ex.Alice in Chains – 1994–1997).

Fecha o bloco Audioslave com a pesada “Your time has come”.

Com o fim do Rage Against the Machine, o núcleo musical da banda (Tom Morello , Tim Commerford e Brad Wilk) se juntou ao Ex.Soundgarden (Chris Cornell), fazendo do Audioslave um supermega grupo, que como se previa durou pouco.

O segundo bloco começa nos anos 70 com Billy Bond y la pesada Del Rock .

Ícone do rock argentino, o cara nascido na Itália teve carreira no Brasil tocando com o Joelho de Porco no fim dos anos 70, após ter montado na Argentina o incrível combo La Pesada Del Rock, que com formação anárquica teve diversos músicos em sua formação. Comparece no Vishows com sonzeira de 1972 – “La maldita máquina de matar”. Atualmente residindo no Brasil, é produtor teatral de sucesso com montagens como A bela e a fera.

Membros das principais formações : Billy Bond (Voz),Kubero Díaz (guitarra),Alejandro Medina (baixo),Javier Martínez (batería), Jorge Pinchevsky (violín), Pappo (guitarra), David Lebón, Javier Martínez e Luis Alberto Spinetta.

Seguimos com CSNY, os caras já eram grandes quando se juntaram como Crosby, Stills, Nash and Young no final dos anos 60, e foram artífices do movimento hippie e da contra-cultura, a letra da canção “Almost cut my hair” é emblemática para a época.

Inicialmente como trio (sem Young), se formaram à partir das bandas The Byrds, The Hollies e Buffalo Springfield.

A longa carreira dos caras sempre se cruzam com os projetos pessoais dos 4 componentes, mas continuam por aí, e incomodando como sempre os políticos como se viu na última campanha presidencial americana, onde atormentaram os republicanos como sempre. CSN&Y são David Crosby , Stephen Stills, Graham Nash e Neil Young.

Fecha o bloco o super Blind Faith e “Can´t find my way home”. Com a desintegração do Cream (Que foi um dos primeiros supergrupos), surgiu outra mega formação, o Blind Faith, juntando Eric Claptonguitarra, vocals e Ginger Bakerbateria com o grande Steve Winwoodorgão e vocals.

Com um só disco de estúdio, a banda não suportou muito como projeto, mas deixou um disco sensacional e clássicos eternos.

O último bloco começa com Traveling Wilburys, supergrupo dos anos 80, simplesmente com George Harrison, Jeff Lynne (Ex.ELO), Bob Dylan, Tom Petty e o mestre Roy Orbison – mandando ver com “End of the line”

Indo para o Brasil do final dos anos 60 o grande Gilberto Gil e Os Mutantes , juntos com “Domingo no Parque”.

No tropicalismo, o grande Gilberto Gil, se uniu aos Mutantes com Rita Lee, Sérgio Dias Baptista e Arnaldo Dias Baptista, juntos se apresentaram e se consagraram com essa música incrível juntando Beatles fase psicodélica com o ritmo do nordeste brasileiro.

O programa se encerra com – Red Hot Chili Peppers e do clássico One Hot Minute “Walkabout”.

Na Califórnia houve época, onde RHCP e Janes Addiction, brigavam para ver qual a banda era mais freak e autêntica. Em cada momento uma das formações se mostrava mais perto de estourar, e essa competição acabou ajudando na consolidação dos grupos e dos seus estilos. Após o fim do Janes e tragédias pessoais do Red Hot, o que muitos sonhavam rolou, e Dave Navarro se integrou aos Peppers, trazendo seu peso e androgenia para os caras.

Durou pouco mas criou o grande álbum One Hot Minute. A convivência manteve as bandas próximas, e em algumas re-encarnações do Janes Addiction a mesma contou com o auxílio luxuoso do Pepper Flea.

Red Hot Chili Peppers – formação do disco One Hot Minute, Anthony Kiedisvocal, Fleabaixo, Dave Navarroguitarra e backup vocal e Chad Smithbateria e percussão.

CURTE O SOM GALERA !!

%d blogueiros gostam disto: