Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos de tags: Chris Cornell

Os 10 melhores sons de James Bond, o agente 007

20121007-024804.jpg

Os 10 melhores sons do 007

Goldfinger – Shirley Bassey

Live and Let Die – Paul McCartney & Wings

You Only Live Twice – Nancy Sinatra

The World Is Not Enough – Garbage

For Your Eyes Only – Sheena Easton

Nobody Does It Better – Carly Simon

A View to a Kill – Duran Duran

Die Another Day – Madonna

Skyfall – Adele

You Know My Name – Chris Cornell

Anúncios

SWU 2011 – Bons shows e um conceito a ser provado …

20111107-215308.jpg

A pretensão é tornar o Festival sério e ponto de mobilizar a galera alternativa… Mas na real a idéia de ir até Paulínia, gastar um monte de gasolina, pagar pedágio e acampar para não voltar detonado da trip, ainda tem que se provar válida… vamos ver o que vai rolar nesse ano e dar o veredito, afinal é tudo marketing ou é sério ?

Mas na certa, vão rolar grandes shows, e música é música, então vamos ver os melhores shows e roubadas dia a dia da nova versão do SWU 2011 em Paulínia Rock City.

Sábado – 12 de novembro – Destaques

Palco Principal

15:00 – 15:45
Emicida – não precisa provar nada e pelo talento podia estar melhor posicionado, vai ser grande show.

15:50 – 16:50
Michael Franti & Spearhead – som de balada californiana, com cara de verão e letras sociais, deve surpreender positivamente.

18:00 – 19:15
Marcelo D2 – É sempre bom ao vivo, mas não faz minha cabeça (se é que vc me entende).

19:20 – 20:20
Damian ‘Jr. Gong’ Marley – O mais novo dos Marley, em alta com vários projetos e provavelmente o melhor show do Sábado.

20:25 – 21:25
Snoop Dogg (1:00) – Snoopy está na encruzilhada Mainstream , e já caminha para satisfazer primeiro seu Superego.

21:30 – 23:30 Kanye West (2:00)
Até quando um impostor agüenta, nunca me convenceu, melhor buscar outro palco.

23:35 – 01:35
Black Eyed Peas (2:00) – Ver o fim deles no topo pode ser um bom e memorável programa. Melhor tomar um energético…

New Stage : nada a destacar, o oposto do Rock in Rio.

Domingo – 13 de novembro – destaques

Palco principal

15:00 – 16:00 Zé Ramalho
O paraibano é gênio local e herdeiro, involuntário ou não, do hippismo e Raul Seixismo setentista. Sempre um grande show, mas devia abrir o Peter Gabriel.

16:05 – 17:05 Ultraje a Rigor
A mesma piada há 30 anos,mas a diversão é sempre garantida, afinal não se levam a sério… Ou não deveriam…

18:30 – 19:30
Chris Cornell – em plena volta do Soundgarden… Show estranho, abrindo para o Duran Duran… Programação Wake Up !!

19:35 – 20:50
Duran Duran – Que porra é essa ?! Os 80’s já saíram da moda, afinal só os 2 primeiros discos valeram a pena, o resto é tudo pose. Save o technopop cafona.

20:55 – 22:40
Peter Gabriel & The New Blood Orchestra – Agora sim, finalmente um PUTA SHOW! Minha idéia seria ir ver o Peter Gabriel e voltar direto para Sampa! Mas vale a pena ?!

SIM – Se vc não conhece o cara veja os vídeos selecionados pelo Blog!

Sledgehammer

Shock the Monkey

Solsbury Hill

Big Time http://www.youtube.com/watch?v=gkIFL4yqXm8

Games Without Frontiers http://www.youtube.com/watch?v=zP1_pZkJTvk

22:45 – 00:15
Lynyrd Skynyrd – Aposta no southern Rock foi um erro, mas deve ser um show interessante. Vale pela arqueologia roqueira, mas os yankees definitivamente não encarnam o suposto espirito engajado do festival. Que doidera sem sentido… Os caras na real não manjam nada de música… É mais um show tributo, pois a banda já era … Ou melhor … Já foi.

New Stage: destaques

19:30 – 20:30
Modest Mouse – Esses são preferidos do Blog ! Boa alternativa ao Duran Duran… Lembrar de sair a tempo de perder o Hole e ver O Peter Gabriel.

20:45 – 21:45
Hole – A segunda maior viúva do Rock de todos os tempos, promete no mínimo causar em sua volta ao país. Viva a Yoko Ono Grunge !!

Segunda – 14 de novembro

Palcos principais: Destaques

14:10 – 14:55
Raimundos – A volta dos que não foram, mas que já foram a maior banda de rock do Brasil, afinal os anos 90 voltaram!

15:00 – 16:00
Duff McKagan’s Loaded (1:00) – Duff é legal , mas o show vai ser um culto das viúvas do Guns. Que Horror !

19:20 – 20:20
Sonic Youth – Os ícones Indie americanos, podem após o fim da relação conjugal dar em Paulínia o ultimo show ! Será ?! São ótimos ao vivo!

20:25 – 21:25
Primus – Desperdício de talento em estado bruto ! Som de músicos para músicos.

21:30 – 22:30
Megadeth – Depois do Mettalica, pelo menos quero ver se Mustaine mantém a forma, ou virou personagem de sí mesmo.

22:35 – 23:50
Stone Temple Pilots – Muito legal, grande volta e ponto dentro do line-up! Finalmente alguém sacou o HYPE Grunge de volta.

23:55 – 01:25
Alice In Chains – Os STP deviam tocar depois, mas o Alice sempre foi grande no Braza, a volta dos 90’s !

01:30 – 03:15
Faith No More – Fecham a noite, afinal sao reis na América do Sul ! Amo a banda e os shows valem a pena.

New Stage – Só o Ash salva, e mesmo assim o foco é o main stage.

Boa sorte galera, e viva a Sustentabilidade … Vamos ver… Né… Teremos nossos correspondentes e vamos monitorar forte on-line, green wash é feio… Quero ver rolar dessa vez !!

2010 começa no estilo anos 90, a novidade é a “volta” do SOUNDGARDEN … LEGAL !!

SOUNDGARDEN ... a volta !!

Galera do Rock… o ano começa com boas vibrações e notícias, feliz 2010 para todos !!

E logo de cara uma grande novidade a volta do fantástico Soundgarden, ícone Grunge e do rock anos 90, e a fonte é quente o próprio Twitter do vocalista Mr.Cornell que diz …

“Knights of the Soundtable ride again!”

A banda com Chris Cornell (Voz), Kim Thayil (Gtr), Ben Shepherd (baixo) e o grande Matt Cameron (Bateria), teve nos 13 anos de carreira discos importantes e hits como Black Hole Sun que vocês curtem via YouTube…

Parece a volta dos anos 90 como “novidade” para a nova década…(tendência ?!)

Curte o Som Galera !!

Podcast Emissão 13 – “Supergroups”

Esse Emissão 13 – Programa Supergroups, é dedicado somente a bandas com formações clássicas e que marcaram e marcam presença no panorama musical

Tudo começa com PIL (Public Image) e a sonzeira de Bags – do clássico disco ALBUM.

Banda do Ex.Johnny Rotten – John Lydon, no seu disco mais poderoso o grande Álbum,em companhia de figuras como Steve Vai nas guitarras, Ginger Baker na bateria, Bernard Fowler nos backing vocals e Ryuichi Sakamoto – nos teclados, tudo com a produção de Bill Laswell.

O primeiro bloco chega com Dead Weather e  “Are Friends Electric” um cover de Gary Numan.

Com o incansável Jack White – na bateria, guitarra e vocais com a vocal do The Kills – Alison Mosshart e companheiros do Raconteurs (Dean Fertita – guitar, organ, electric piano, synthesizer e Jack Lawrence – bass, drums). É um exemplar de supergrupo Indie Rock.

Seguido do grunge do Mad Season e “I dont know anything” – No auge do grunge, deu pra sentir o impacto do Mad Season com Barrett Martin – bateria (Ex.Screaming Trees), Mike McCready – guitarras (Pearl Jam), John Baker Saunders – baixo e o mítico Layne Staleynos vocais (Ex.Alice in Chains – 1994–1997).

Fecha o bloco Audioslave com a pesada “Your time has come”.

Com o fim do Rage Against the Machine, o núcleo musical da banda (Tom Morello , Tim Commerford e Brad Wilk) se juntou ao Ex.Soundgarden (Chris Cornell), fazendo do Audioslave um supermega grupo, que como se previa durou pouco.

O segundo bloco começa nos anos 70 com Billy Bond y la pesada Del Rock .

Ícone do rock argentino, o cara nascido na Itália teve carreira no Brasil tocando com o Joelho de Porco no fim dos anos 70, após ter montado na Argentina o incrível combo La Pesada Del Rock, que com formação anárquica teve diversos músicos em sua formação. Comparece no Vishows com sonzeira de 1972 – “La maldita máquina de matar”. Atualmente residindo no Brasil, é produtor teatral de sucesso com montagens como A bela e a fera.

Membros das principais formações : Billy Bond (Voz),Kubero Díaz (guitarra),Alejandro Medina (baixo),Javier Martínez (batería), Jorge Pinchevsky (violín), Pappo (guitarra), David Lebón, Javier Martínez e Luis Alberto Spinetta.

Seguimos com CSNY, os caras já eram grandes quando se juntaram como Crosby, Stills, Nash and Young no final dos anos 60, e foram artífices do movimento hippie e da contra-cultura, a letra da canção “Almost cut my hair” é emblemática para a época.

Inicialmente como trio (sem Young), se formaram à partir das bandas The Byrds, The Hollies e Buffalo Springfield.

A longa carreira dos caras sempre se cruzam com os projetos pessoais dos 4 componentes, mas continuam por aí, e incomodando como sempre os políticos como se viu na última campanha presidencial americana, onde atormentaram os republicanos como sempre. CSN&Y são David Crosby , Stephen Stills, Graham Nash e Neil Young.

Fecha o bloco o super Blind Faith e “Can´t find my way home”. Com a desintegração do Cream (Que foi um dos primeiros supergrupos), surgiu outra mega formação, o Blind Faith, juntando Eric Claptonguitarra, vocals e Ginger Bakerbateria com o grande Steve Winwoodorgão e vocals.

Com um só disco de estúdio, a banda não suportou muito como projeto, mas deixou um disco sensacional e clássicos eternos.

O último bloco começa com Traveling Wilburys, supergrupo dos anos 80, simplesmente com George Harrison, Jeff Lynne (Ex.ELO), Bob Dylan, Tom Petty e o mestre Roy Orbison – mandando ver com “End of the line”

Indo para o Brasil do final dos anos 60 o grande Gilberto Gil e Os Mutantes , juntos com “Domingo no Parque”.

No tropicalismo, o grande Gilberto Gil, se uniu aos Mutantes com Rita Lee, Sérgio Dias Baptista e Arnaldo Dias Baptista, juntos se apresentaram e se consagraram com essa música incrível juntando Beatles fase psicodélica com o ritmo do nordeste brasileiro.

O programa se encerra com – Red Hot Chili Peppers e do clássico One Hot Minute “Walkabout”.

Na Califórnia houve época, onde RHCP e Janes Addiction, brigavam para ver qual a banda era mais freak e autêntica. Em cada momento uma das formações se mostrava mais perto de estourar, e essa competição acabou ajudando na consolidação dos grupos e dos seus estilos. Após o fim do Janes e tragédias pessoais do Red Hot, o que muitos sonhavam rolou, e Dave Navarro se integrou aos Peppers, trazendo seu peso e androgenia para os caras.

Durou pouco mas criou o grande álbum One Hot Minute. A convivência manteve as bandas próximas, e em algumas re-encarnações do Janes Addiction a mesma contou com o auxílio luxuoso do Pepper Flea.

Red Hot Chili Peppers – formação do disco One Hot Minute, Anthony Kiedisvocal, Fleabaixo, Dave Navarroguitarra e backup vocal e Chad Smithbateria e percussão.

CURTE O SOM GALERA !!

%d blogueiros gostam disto: