Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Arquivos de tags: Shows

System Of A Down Returns

O que todo mundo esperava enfim aconteceu, depois de muitos rumores o System Of A Down enfim confirma seu retorno aos palcos.

Ainda há muitos rumores sobre a banda, dizem a boca miuda que eles tem sido vistos entrando em estúdio, nada confirmado por enquanto. No site oficial, há a confirmação apenas de varios shows pela europa no mês de junho !!

Há um discurso saudosista que agradece aos fãs e diz que estavam com saudades de tocarem juntos, ao mesmo tempo, desmentem de forma velada os rumores sobre novos albuns, mas mesmo assim eles não negam nem confirmam coisa alguma

Agenda De Shows

6/2/11 – Italy, Milan, Milan Fiera Arena (AVAILABLE NOW)

6/4/11 – Germany, Nurnberg, Rock im Park (AVAILABLE NOW)

6/5/11 – Germany, Nurburgring, Rock am Ring (AVAILABLE NOW)

6/6/11 – France, Paris, Omnisports de Bercy (on-sale Dec 14 @ 10am)

6/9/11 – Switzerland, Interlaken, Greenfield Festival (AVAILABLE NOW)

6/11/11 – UK, Castle Donington, Download Festival (AVAILABLE NOW)

6/13/11 – Austria, Nickelsdorf, Novarock (AVAILABLE NOW)

6/15/11 – Germany, Berlin, Wuhlheide (AVAILABLE NOW)

6/17/11 – Sweden, Gothenburg, Metaltown Festival (AVAILABLE NOW)

6/19/11 – Finland, Seinajoki, Provinssirock (AVAILABLE NOW)

Incubus empolgou, QOTSA o melhor show da noite e Pixies agradou os fãs no SWU

Incubus empolgou o público

Por Katy Illy*

O Incubus veio pela segunda vez ao Brasil e acalmou os animos do pessoal que acabava de se esgoelar com Avenged Sevenfold.
A Banda fez uma pausa nas gravações do seu novo CD que deve ser lançado no primeiro semestre de 2011, para esse show no festival SWU de acordo com entrevista dada ao G1.
O ultimo trabalho da banda foi Light Grenades de 2006 e deste então o Incubus fez uma grande pausa e o seu vocalista lançou seu primeiro trabalho solo este ano.
Brandon Boyd entrou no palco sensualizando ao som do hit Magalomaniac e agitou a multidão de fãs da banda, soltando vários “obrigado” durante o show. Uma pena estar tão frio em Itu e ela não tirar a camisa como no show de 2007.
A Banda tocou todos os sucessos da carreira como Anna Molly do disco Light Grenades e Circles, encerrando o show com I Wish You Were Here ambas do album Morning View.

Setlist
1. Megalomaniac
2. Anna Molly
3. (Jam)
4. Nice To Know You
5. Pardon Me
6. Circles
7. Make Yourself
8. Oil and Water
9. Drive
10. A Crow Left of the Murder
11. Are You In?
12. Look Alive
13. The Warmth
14. Love Hurts
15. Wish You Were Here

 

 

Queens of The Stone Age o melhor show da noite

Depois da banda Incubus chegou a hora mais esperada por mim… Mas ai passou mais uma hora devido a um atraso que gerou certo tumulto por causa da espera.
Porém quando Josh Holme entrou com Feel Good Hit of The Summer ninguém se lembrou de mais nada. Estava no palco o rock pesado e sensual do Queens Of The Stone Age.
O vocal da banda muito simpático com o público ainda fez piada quando disse “Tenho que tirar uma coisa”, se referindo ao show no Rock in Rio de 2001 quando o baixista da banda Nick Olivieri foi preso por tocar pelado. Mas Josh tirou apenas a jaqueta e acendeu um cigarro. Cada movimento do Josh causava frisson no público que estava diante do melhor show da noite. Sem sair da frente do microfone ele tem uma presença de palco incrível.
O Queens tocou músicas de todos os álbuns desde Feel Good Hit of The Summer, passando por Sick, Sick, Sick, até No One Knows (sem palavras pra expressar o que senti nesse momento), o show foi encerrado com A Song For the Dead pra acabar com o público literalmente.
Devido ao atraso creio que a banda teve que cortar algumas músicas do setlist, uma pena. Rezo e faço promessas pra que eles voltem logo para um show só deles, pois é a melhor banda que eu já vi tocar ao vivo em toda a minha vida!
Set List
1. Feel Good Hit of the Summer
2. The Lost Art of Keeping a Secret
3. 3’s & 7’s
4. Sick, Sick, Sick
5. Monsters in the Parasol
6. Burn the Witch
7. Long Slow Goodbye
8. In My Head
9. Little Sister
10. Do It Again
11. I Think I Lost My Headache
12. Go With the Flow
13. No One Knows
14.  A Song for the Dead

 

 

 

Pixies cantou todos os sucessos

A calma retornou com o Pixies. Li muitas críticas ruins ao show e ao comportamento indiferente do guitarrista Joey Santiago. Sinceramente não foi isso que eu vi, nada me pareceu estranho, afinal é uma banda indie, super antiga, como não esperar que eles sejam meio esquisitos? E ainda vale lembrar que a banda acabou em 1993 e passou por muitos desentendimentos já superados como disse o vocalista Black Francis. A banda volta a tocar sempre depois de longas pausas onde cada integrante segue a sua vida, sua ultima reunião foi em 2004 quando passaram por Curitiba.
Então esse novo retorno da banda é muita sorte pra quem teve a oportunidade de estar lá. Vai saber quando se eles voltam novamente.
A baixista Kim Deal aprendeu várias frases em português pra interagir com a plátéia, disse que era a primeira vez em São Paulo e estar se divertindo muito. Quando a banda parou eles se aproximaram e cumprimentaram o pessoal que implorava por mais Pixies.
Vi um pessoal muito simpático e dedicado durante o show, tocando todos os hits e me emocionando com um setlist de mais de 20 músicas iniciado com Bone Machine e tocando desde Wave of Mutilation, até Alison e Monkey Gone To Heaven que todo mundo já ouviu algum dia. Todo mundo pedia por Hey e eles tocaram e o publico não deixou que eles fossem embora sem tocar Where Is My Mind. Sai do show flutuando…

Set List
1.Bone Machine
2.Isla de Encanta
3.Tame
4.Broken Face
5.Nimrod’s Son
6.Debaser
7.Wave of Mutilation
8.Here Comes Your Man
9.Monkey Gone to Heaven
10.Mr. Grieves
11.Crackity Jones
12.Caribou
13.La La Love You
14.No. 13 Baby
15.Gouge Away
16.Velouria
17.Dig for Fire
18.Allison
19.Hey
20.U-Mass
21.Vamos

BIS
22.Planet of Sound
22.Where is my Mind
22.Gigantic

*Katy Illy é fã do Incubus, Queens of The Stone Age e Pixies e também colabora com o Vishows

Kings of Leon esquentou o SWU

Muitos reclamaram da organização do SWU (ou da falta de organização), disseram que o festival não tinha nada de sustentável e por aí vai… mas eu não me movi até Itu para andar de roda gigante e passear num labirinto reciclável, nem para pegar fila da comida e tomar uma cerveja cara, não perdi meu tempo com isso. Só há uma coisa que me fez ir até o SWU,  o show do Kings of Leon.

Contudo os outros shows também foram bons. O Sublime deixou um gostinho de nostalgia dos anos 90 numa época em que era muito bom ligar o rádio e ouvir “Santeria” tocando.  Já o show da Regina Spektor foi meio frio, quase ninguém conhecia o seu trabalho além de “Fidelity” a tal música da novela o que gerou gritos de “Toca a da novela e vai embora!”, mas foi um show simpático, talvez funcionasse melhor num lugar menos frio… Joss Stone e Dave Matthews Band foram acima da média.

Depois do longo (mas excelente) show do Dave Matthews Band o público já estava ansioso para ver os Reis subirem ao palco, quando um cara apareceu no palco oposto ao água gritando um discurso um tanto quanto contraditório sobre as desigualdades do mundo, o que irritou o público já cansado de esperar pelo Kings, gerando gritos de “Kings of Leon! Kings of Leon!” seguido de “Cerveja cara! Cerveja Cara!”.

Foi quando os Reis entraram já mostrando a que vieram com a pesada “Crawl” e já pegando no embalo “Molly Chamber’s” naquele momento a fazenda Maeda esquentou!

Em seguida veio “My party” e o refrão “She’s in my party” ainda reverberou na minha cabeça quando tudo ficou em silêncio. Matthew Followill mostrou suas habilidades de guitarrista tocando guitarra com os dentes em determinados momentos do show.

“Be Somebody” pôs todo mundo para pular e “Mary”  música do novo álbum, lançado em premiere um dia após o show, esfriou um pouco os ânimos, mas não deixou de ser ótima.


Quando “Fans” começou Jared Followill mostrou porque é considerado um dos melhores baixistas da atualidade. Com  as baladas “Closer” e “Revelry” fizeram a alegria dos casais “coxinha”.

“Four Kicks” é aquela música que toca quando você arranja briga no bar, quebra uma garrafa de cerveja na cabeça de alguém e sai correndo pra não ser preso. Coisa de macho.

Em seguida veio “The Bucket”, mas eles já tinha chutado o balde há muito tempo…

“Notion” foi mais um música que alegrou o pessoal que não conhece os trabalhos mais antigos da banda. “Radioactive”, o novo e ótimo single, abriu caminho para “Sex on Fire”, um dos melhores momentos do show esquentando ainda mais o público.

Com “On Call” veio  e a certeza de que sempre que eles me chamassem eu iria vê-los, não importa onde. “Back Down South”, mais uma música nova, deixou um gostinho do primeiro álbum Youth and Young Manhood e da fase roots. E “Slow Night, So Long” fechou o show meio no susto.

Como eles iriam embora sem tocar Use Somebody? Pois a banda se retirou do palco por alguns minutos e algumas pessoas já resolviam ir embora quando Natan Followill, o baterista, voltou e puxou batida de “Knocked Up” uma balada de primeira qualidade, e os outros integrantes retornaram aos seus postos.

“Manhattan” antecedeu a tão aguardada “Use Somebody” que fez o público cantar junto do começo ao fim e responder a cada Somebody que Caleb Followill lançava. “Black Thumbnail” fechou o show definitivamente.

Ao final ficou um gosto de quero mais, e eu particularmente senti falta das excelentes “Charmer”, “King of the Rodeo” e “California Waiting”, que ficaram de fora do set list.

Eu li algumas críticas negativas sobre o show, dizendo que eles fizeram uma apresentação morna voltada a um público que só conhecia duas músicas da banda, porém não foi o que eu vi. O show deles foi muito bem executado e o set list não deixou a desejar,  eles tem uma força e energia incríveis no palco, quem realmente gosta da banda saiu satisfeito e querendo ver os Reis novamente num show só deles.

Vida longa aos Reis!

SETLIST:

1. Crawl
2. Molly’s Chambers
3. My Party
4. Be Somebody
5. Mary
6. Fans
7. Revelry
8. Closer
9. Four Kicks
10. The Bucket
11. Notion
12. Radioactive
13. Sex on Fire
14. On Call
15. Back Down South
16. Slow Night, So Long

BIS:
17. Knocked Up
18. Manhattan
19. Use Somebody
20. Black Thumbnail

Avenged Sevenfold surpreende no SWU

A7X

Por Joana Cabrera*

A fazenda Maeda deixou de lado o costumeiro som psicodélico de suas raves e abriu espaço para o rock que se espalhou por lá durante o Festival SWU.

No último dia do festival duas bandas dividiram a atenção do público, mobilizando fãs de todos os cantos do Brasil: Avenged Sevenfold e Linkin Park, ambas vindo pela segunda vez ao Brasil.

Avenged surpreendeu somando a maioria dos fãs uniformizados com seus deathbats estampados em suas camisetas pretas. Anoiteceu e sob o coro de “Sevenfold! Sevenfold!” a banda norte americana abre o show com o single do CD lançado recentemente “Nightmare” emendando com “Critical Acclaim” fazendo com que a banda e a música estivessem nos Trending Topics no Twitter como um dos assuntos mais comentados. Apesar da banda ainda ser meio desconhecida M. Shadows liderou o coro dos fãs que cantavam a plenos pulmões: ”Welcome to the Family”, “Beats and the Harlot”, “Buried Alive”, e o clássico “Afterlife”, talvez uma das músicas que mais tenha convertido fãs nos últimos anos.

O Avenged se apresentou conforme o esperado, no tempo certo e com um set list de músicas novas e dos álbuns anteriores, tocaram também “God Hates Us” que também faz parte de Nightmare e fecharam o show com a pesada “Unholy Confessions” e “Almost Easy”.

Foi pouquíssimo tempo para os fãs, mas o suficiente para empolgar e deixar certeza de lotação completa na próxima passagem pelo Brasil e para algumas fãs desmaiarem ao estarem prensadas contra as grades ou então simplesmente pela presença do belo guitarrista Synyster Gates no palco…

A banda estava bem no palco e se mostrando totalmente recuperada da perda do seu baterista em dezembro de ano passado. Com a vaga já ocupada por Mike Portnoy que saiu recentemente de sua antiga banda “Dream Theater”. Para mim ainda é estranho e triste não ver The Rev. comandando a bateria, mas tranquiliza saber que quem ocupa seu lugar hoje era seu grande fã e já uma lenda do rock.

Matt Shadows com seus já conhecidos óculos escuros deixou Itu com a declaração: “Nós voltaremos em uma outra oportunidade”.

Estaremos esperando!

Set List:

  1. Nightmare
  2. Critical Acclaim
  3. Welcome to the Family
  4. Beast and the Harlot
  5. Buried Alive
  6. Afterlife
  7. God Hates Us
  8. Unholy Confessions
  9. Almost Easy

*Joana Cabrera é fã do Avenged e colaboradora do Vishows.

Confiram as datas da banda no Brasil em 2011 – clique aqui

Kings of Leon confirmados no SWU Music and Arts Festival

Kings of Leon - Jared, Caleb, Matthew e Nathan

SWU Music and Arts Festival confirmou em seu blog a presença do grupo Kings of Leon no dia 10 de outubro em Itu.

A banda formada pelos três irmãos  Caleb, Jared e Nathan Followill, e o primo Matthew Followill é uma das principais atrações do festival. O grupo, que lota festivais por onde passa, foi mudando aos poucos o seu estilo indie para um rock de arena que vende milhões, mas sem perder sua a qualidade e personalidade.

Muitos tendem a criticar o Kings of Leon dizendo que eles se venderam para conseguir fazer sucesso no seu país de origem os EUA, já que no início eles só eram populares no Reino Unido, porém o fato é que a banda evoluiu e procurou novas influências para o seu rock sulista a fim de não se tornarem mais do mesmo. O guitarrista Matthew já até chegou a anunciar que o próximo álbum do Kings vai ter uma pegada mais grunge.

O Kings of Leon é uma das melhores bandas do momento e uma das únicas que mantem a sua personalidade forte enquanto buscam acrescentar coisas novas ao seu repertório. Então vamos aguardar para ver a passagem dos reis por aqui em outubro.

Confira o link atualizado com a crítica do show no SWU.

Veja o  antes e depois da família Followill:

Antes:

Depois:

Smashing Pumpkins no Brasil em 2010

O grupo liderado por Billy Corgan anunciou em seu site oficial que tem planos de uma turnê na América do Sul e Austrália em 2010. E andou deixando recados em seu Twitter para os fãs brasileiros. Agora só resta esperar a confirmação dos shows por aqui.

O Smashing Pumpkins foi uma das bandas de maior sucesso dos anos 90 e a menos óbvia. Com álbuns como Siamese Dream, Adore e o épico disco duplo  Mellon Collie and the Infinite Sadness eles alcançaram o topo mesclando elementos de gothic rock, psicodelia, rock progressivo com canções de ninar e orquestras. O clipe de Tonight, Tonight foi considerado o melhor da década de 90. Contudo devido as brigas dos integrantes originais o grupo separou-se em 2000.

Em 2007 o vocalista e guitarrista Billy Corgan anunciou a volta da banda com o baterista original Jimmy Chamberlin, mas  sem o guitarrista James Iha e a baixista D’arcy Wretzky. Pouco tempo depois do lançamento do álbum Zeitgeist Jimmy abandonou a banda.

Eu que cresci ouvindo Today, 1979 e Tonight, Tonight encaro o trabalho atual dos Pumpkins,  como um projeto solo do Billy, sem o James e a D’arcy o grupo perde a personalidade, por mais incrível que o Billy seja, ninguém faz tudo sozinho…

Em um mundo ideal um show perfeito do Smashing Pumpkins seria com James,  D’arcy e Jimmy, além do Billy, mas como na vida real as coisas não funcionam assim… um show com Billy Corgan e sua banda reformada também vale o ingresso.

Os shows atuais contam com as músicas mais conhecidas, além das faixas novas do projeto Teargarden by Kaleidyscope, que vem sendo liberadas para download gratuito no site da banda.

Confira o link atualizado com informações sobre o show !! Dia 20 de Novembro no Playcenter!

Shows 2010 – Green Day no Brasil

Saudações galera do ViShows

Na minha época de garoto, falar em Green Day era falar sobre uma banda de “Light Punk“, e hoje só me resta a vergonha de falar que em 1998 eu fui ao show deles do álbum “Nimrod”, na época nåo era nenhuma grande banda, nåo passava de um Punk Rock mediano que tinha algumas músicas bacanas como “Scattered”, “Jinx” e “Uptight”.

Há bons anos atrás eu podia apresentar os ingressos desse show e causar inveja a todos os meus amigos, hoje eu escondo fortemente esse ingresso, com riscos de jogá-lo no lixo, pois essa que era uma banda de Punk Rock razoável virou uma referencia no mundo emo.

Nåo vamos tirar o mérito da banda pela suas fantásticas idéias como “American Idiot” na época em que a sacada foi genial, alguns acharam que aquele álbum foi uma grande evolução, outros como eu pregam que foi o dia em que a banda se perdeu, mas independente de opiniões, o grupo é indiscutivelmente um sucesso.

Se antes um conjunto nåo tomava banho, hoje uma banda que passa maquiagem demais, mas para quem gosta, eles eståo voltando para o Brasil em 2010, com uma série de shows…

Direto da nossa Wishlist do Ano Passado para a Vida Real.

  • 13/10 em Porto Alegre
  • 15/10 no Rio de Janeiro
  • 17/10 em Brasília
  • 20/10 em São Paulo

Essas datas ainda nåo estão 100% confirmadas, rezam as lendas que no Final de Maio os ingressos já estaråo a venda, com preços entre R$90,00 e R$250,00.

Para quem quiser, segue um vídeo da época em que eu ouvia “Green Day”

Lembrando que a banda já apareceu inclusive no PodCast do ViShows nesta emissåo. Ou deveria dizer EMOssåo.

Billie Blade escreve para o ViShows e para o Cerveja com Ogros, é nerd, blogueiro, cervejeiro e completamente maluco por música.

Guns and Roses no Brasil – Você está pronto?

E aí galera do ViShows, lembram-se no ano passado quando anunciamos que o Guns and Roses voltaria ao Brasil? Não era piada mesmo, e naquele momento não sabíamos as datas exatas do show, hoje temos mais informações para que vocês se preparem para esse grande evento.

Primeiramente as datas que eu fiquei devendo:

  • Brasília

Local: Ginásio Nilson Nelson
Data: 7/3 – 20h30

Ingressos: Pista– inteira: R$ 280,00,  Setor Superior inteira: R$ 240,00,  Pista Premium inteira: R$ 500,00

Bilheteria oficial: Brasilia Shopping: Setor comercial Norte, Quadra 5, Bloco A

  • Belo Horizonte

Local: Mineirinho
Data: 10/3, 21h

Ingressos: Arquibancada inteira: R$ 120,00,  Pista inteira: R$ 200,00, Pista Premium: R$ 500,00

Bilheteria oficial: Chevrolet Hall: Av. Nossa Senhora do Carmo, 230

  • São Paulo – dia 13/Mar – Parque Antártica

Local: Palestra Itália (estádio do Palmeiras)
Data: 13/3, 21h30

Ingressos: Arquibancada: R$120,00, Cadeira avulsa: R$180,00,  Cadeira coberta: 280,00, Cadeira descoberta: R$180,00, Cadeira descoberta especial: R$200,00,  Camarote:R$250,00,  Pista: R$200,00, Pista premium: R$400,00.

Bilheteria oficial: Estacionamento anexo ao Credicard Hall: Av. das Nações Unidas, 17.981

  • Rio de  Janeiro – dia 14/Mar – Pça.Apoteose

Local: Praça da Apoteose, 20:30
Data: 14/3

Ingressos: Pista Premium R$350,00,  Pista/Arquibancada – R$180,00

Bilheteria oficial: Citibank Hall/RJ: Av. Ayrton Senna, 3000 – Barra da Tijuca

  • Porto Alegre – dia 16/Mar

Local: Ginásio Gigantinho
Data: 16/3 – 21:00

Ingressos: Arquibancada: R$130,00, Cadeira: R$180,00, Pista: R$150,00,  Pista Premium – R$280,00

Bilheteria oficial: Multisom: Rua dos Andradas, 1001

Pontos de venda: http://premier.ticketsforfun.com.br/content/outlets/agency.aspx
Vendas pelo telefone: 4003-0848
Vendas pela internet: http://premier.ticketsforfun.com.br

Em alguns locais ainda há meia entrada porém o numero é limitado.

Esta é uma turne diferenciada, onde a banda passa por Brasil, Uruguai, Argentina, Peru, Colombia e Venezuela, fazendo uma excursão na América Latina de se dar inveja a outras grandes bandas, com shows lotados e a energia de um álbum diferenciado. Tem tudo para ser um grande show, provavelmente sem todo o brilho que teve um dia, mas com certeza de lampejos de genialidade e nostalgia.

Nos vemos em alguma arquibancada ou pista por aí, mas sempre aqui. No ViShows.

Billie Blade escreve também no Cerveja com Ogros

The B-52´s – São Paulo – 18/04/2009

Fazer a resenha de uma banda que se gosta muito e de um show que foi somente bom, é uma tarefa das mais ingratas.

Se falar muito mal, vai parecer que odeio a banda, se pegar leve vou ignorar que o show apesar de vários momentos de destaque, deu toda hora aquela impressão de que na próxima música a coisa ia pegar… mas o show foi passando, passando e ficou mesmo no quase… Talvez a minha expectativa tenha sido muito alta, ou mesmo a vontade de ouvir clássicos antigos da banda, mas a verdade é que os The B-52´s nunca foram uma super banda ao-vivo. Possuem sim, todos os ingredientes para animar uma galera, e foi justamente esse o ponto alto do show.

The B-52´s (São Paulo - 18/04/2009)

The B-52´s (São Paulo - 18/04/2009)

Kate Pierson é uma baixinha com uma voz incrível, dançou e agitou o tempo todo, Cindy Wilson mais cheinha é um charme e ótima interprete, as duas juntas ficam muito mais poderosas como o meio do show, só com as duas no vocal, provou claramente. Fred Schneider é uma figura, tocou xilofane e agitou a galera junto com Keith Strickland, o ex-baterista – se mostra muito à vontade com a guitarra nas músicas do também fundador Ricky Wilson e detona com muita pegada nas canções mais recentes. O trio de apoio é sensacional – com baterista, um tecladista/guitarrista, e a grande presença da baixista Tracy Wormworth.

Mas como, com tudo isso o show não foi legal ?

Sim, foi legal. Mas faltou algo para contagiar de verdade e dar continuidade aos pontos altos, como “Private Idaho”, “Give Me Back My Man”, “Roam” e “Love Shack”, talvez o próprio Credicard Hall com sua acústica questionável e pista muito travada seja um dos culpados, mas no fim o que faltou mesmo foi uma maior química entre banda e público, até Mr.Fred (super em forma), grande comunicador, se atrapalhou com as brincadeiras com a cidade, “São Paulo Beach”  foi uma piada … mas ninguém entendeu.

Eu me diverti, foi uma ótima balada, e fico com grandes memórias desse show com uma das bandas mais divertidas e com alto astral da história da música e que tornaram a New Wave um fenômeno jovem no longínquo anos 80.

SET LIST – 18/04/2009

1.Pump
2. Mesopotamia
3. Ultraviolet
4. Private Idaho
5. Give Me Back My Man
6. Funplex
7. Strobe Light
8. Quiche Lorraine
9. Juliet of Spirits
10. Roam
11. Party Out Of The Bounds
12. Love In The Year 3000
13. Hot Corner
14. Channel Z
15. Love Shack

Bis
16. Planet Claire
17. Keep This Party Going
18. Rock Lobster

Luis Otávio C. Lopes – Editor Vishows

Credicard Hall – R$ 170,00 – $$$$

Guia ViShows para grandes eventos e festivais.

“Brazil! SCREAM FOR ME!”


rockfest_102f_21Nos próximos dias as grandes capitais do país vão receber a visita do bom e velho Iron Maiden, devido ao seu grande público e legião fiel de fanáticos, os shows do Iron Maiden serão todos feitos em locais grandes, estádios de futebol, sambódromos e outros.

Locais desse tipo trazem diversos perigos e desconfortos que podem ser evitados, afinal, ir a um local como o Autódromo de Interlagos é uma experiência bem diferente, então hoje estréia o Guia ViShows para grandes Shows e Festivais.

Guia Vishows para grandes eventos e festivais.

O primeiro ponto desse guia é muitos simples, eventos de grande porte costumam ter seus ingressos esgotados semanas antes do show, não deixe para a última hora e garanta seu ingresso o quanto antes, deixar para o dia procurando ingressos com cambistas pode causar um rombo no seu orçamento e no final das contas ainda pode custar um desconforto na entrada, então seja esperto, garanta seu ingresso.

Estacionamento

hippie-van1Vai de carro? Então prepare seu bolso e sua paciência, o transito é um mal inevitável e o preço dos estacionamentos também, locais distantes do show são um perigo em potencial, assaltos podem ocorrer antes e depois do show, não apenas assaltando o dono que esta caminhando até o veiculo, mas às vezes depredando o próprio carro.

Procurem estacionamentos com nome conhecido e preferencialmente próximos ao local do show, o custo mais alto compensa e até mesmo o transito enfrentado na ida e volta é um stress mínimo se comparado a um acidente qualquer.

Não quer passar por isso? Achou que rola stress demais? Então arrume uma carona ou faça como a Angélica, vai de taxi!

Pertences Pessoais

Alvo fácil, babaca com a carteira no bolso de traz, piorando a situação, cartões de crédito, talões de cheque dentro da carteira e todo o stress que isso vai causar.

Leve a carteira de motorista apenas, coloque uma grana dentro do documento e pronto, fácil de carregar e pratica, colocar esse tipo de coisa no bolso da frente é essencial, afinal, quem não vai perceber uma mão mexendo nas suas… coisas…

Carregar as coisas dentro da meia pode ser uma boa, mas em shows com grande publico e movimentação onde todos acabam pulando, gritando e dançando a meia costuma abaixar, então porque dar sorte para o azar?

Celulares são um alvo fácil, portanto mantenha sempre o celular em um bolso seguro, deixe o seu IPhone em casa e procure aquele velho celular que ainda aceita o seu chip e se proteja.

Vestimenta

Há muitos anos os seguranças retiram apetrechos como cintos e jaquetas,rural-rock-fest1 então porque se arriscar? Cuide de ficar confortável, muita gente tem medo de parecer “poser” se não usar as roupas certas em um show, mas isso é besteira pura, mostre que não é “poser” cantando as músicas e com sua atitude, isso vai evitar a perda dos seus objetos pessoais, afinal, quem consegue nesses shows recuperar alguma coisa deixada na entrada?

Etiqueta

Sim, existe até no show mais Tr00 Black Metal que vocês quiserem ir, afinal, se você esta no seu lugar curtindo o som e chega alguém empurrando o humor e a cara muda na hora, porém quando alguém simplesmente pede licença a coisa muda de figura.

Educação é importante e vale para todas as horas, lógico que não é hora de ser pomposo, mas o mínimo necessário é a consciência, sempre que se trata os outros com respeito esse mesmo respeito retorna, e isso torna o show uma experiência melhor.

_________________________________

Esperamos que aproveitem e aprovem as dicas, confiram na Agenda vários dos Shows e Festivais confirmados para os próximos meses no país.

Curte o som, curte o show. E nos veremos sempre, no meio da galera, ou aqui, no ViShows.

Felipe Augusto Carvalho Lopes *Billie Blade

%d blogueiros gostam disto: