Vishows

Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo – Blog & Podcast

Bob Marley – o Rei do Reggae – 31 anos de sua partida

Quase no fim do dia e eu me liguei que tava deixando passar em branco esta data.

Bob Marley ao vivo

Bob Marley ao vivo

Robert Nesta Marley, o responsável em levar o reggae jamaicano para o mundo, nasceu no dia 6 de fevereiro de 1945. A vida musical começou em 1962, quando um produtor o chamou para gravar algumas músicas pelo selo Beverly’s. Bob Marley preferiu montar um grupo invés de seguir a carreira sozinho. Chamou os amigos Peter Tosh e Bunny Livingston para criar um grupo de ska. A primeira gravação, “Simmer Down”, se tornou a mais pedida na Jamaica em 1964.

Naquela época, a mãe de Bob, que se mudou para os Estados Unidos anos antes, o enviou uma passagem para que ele fosse morar com ela. Mas, Bob conheceu a cantora Rita, por quem se apaixonou e a viagem aos Estados Unidos durou apenas alguns meses. Os dois se casaram em fevereiro de 1966.

O ano seguinte foi muito importante para a direção da carreira de Bob Marley. O cantor se converteu à religião Rastafari, o que determinou o estilo de sua música e chamou os amigos de volta para formar o The Wailers. O início do grupo foi difícil, tentaram criar um selo, mas ele faliu pouco tempo depois. A parceira com o produtor Lee Perry fez com que o grupo gravasse algumas músicas importantes, que definiu o estilo da banda.

O homem que é considerado ícone mundial quando se fala em reggae, além de ser adorado por regueiros, com certeza é respeitado por muita gente que não curte reggae.

O motivo? Sua música!

Bob Marley com camiseta da Seleção Brasileira

Bob Marley com camiseta da Seleção Brasileira

“War” e “One Love” são duas músicas que mostram a intenção do reggae: PAZ!

Entre gravações originais, e coletâneas com as músicas de Bob Marley & The Waillers, desde 1965 até hoje são mais de 40 discos. Me arrisco a dizer que de todas as músicas “Is This Love” e “No Woman No Cry” são suas músicas mais conhecidas, e sei também que “Is This Love” foi o primeiro reggae de Bob que ouvi, em uma tarde dentro de uma lotação em Sampa, e me levou a ouvir mais músicas dele e me fez passar a curtir reggae.

Suas letras marcaram, e você possivelmente já ouviu/leu alguma(s) dela(s) por aí:

Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.

A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá la.

Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais.

Não ligo que me olhem da cabeça aos pés..porque nunca farão minha cabeça e nunca chegarão aos meus pés.

E uma que eu gosto muito, que mostra o que é o reggae:

O reggae não é pra se ouvir é pra se sentir. Quem não o sente não o conhece.

* Esse post é só pra registrar meu agradecimento pelas palavras, pelas músicas, pelas positivas vibrações que sempre ajudam a animar o meu dia.

Don’t Rock My Boat

I Know A Place – detalhe para os dreads do cara que chega até os seus pés, isso me fez deixar o cabelo crescer rsrs

One Love

No Woman No Cry

Nação Zumbi em São Paulo – DVD 15 anos

Nação Zumbi no SESC Pompéia

Nação Zumbi no SESC Pompéia

Nos dias 15, 16 e 17 de março São Paulo teve novamente a visita do grupo Nação Zumbi, que mistura sua cultura afro brasileira (Maracatu de Baque Virado, Coco de Roda, Ciranda, Música Afro) com muito rock, hip hop e música eletrônica, o que deu muita força ao movimento MangueBeat quando o grupo ainda respondia por Chico Science & Nação Zumbi.

Dois dias após o dia que era o aniversário de Chico (13 de março), a Nação trouxe a Sampa seu som pesado que agita a galera, tocando na choperia do SESC Pompéia, tocando também músicas clássicas do tempo de Science.
A abertura do show contou com uma breve exibição do trailler do DVD Nação Zumbi 15 Anos – Ao Vivo em Recife lançando recentemente, e que contou com algumas participações especiais no DVD como: Os Paralamas do Sucesso, Siba e a Fuloresta, Arnaldo Antunes e Fred 04.
No show a Nação fez bonito mais uma vez levando a galera toda a tirar os pés do chão, e sentir um pouco do que foi a gravação do DVD em Recife, pois dava pra ver a empolgação da banda tocando, principalmente quando Jorge du Peixe virou para Pupilo e Dengue comentando que o som tava “massa” como costumam dizer lá em PE.
Como diz no site deles:
“Nação Zumbi no Recife é Beatles em Liverpool, Bob Marley em Kingston, Joy Division em Manchester e qualquer outra comparação entre natividade e punch musical possível.”
Dentre as músicas tocadas na sexta feira fico em dúvida para dizer qual foi O Momento em que o público cantou mais forte junto  à Nação, pois duas músicas com o “coro” mais forte foram “O Cidadão do Mundo” principalmente no seu finalzinho “Chila, Relê, Domilindró !!!!” e também “Meu Maracatu Pesa uma Tonelada”.
Algumas das músicas desta sexta feira foram:
  • A Praieira;
  • Maracatu Atômico;
  • Blunt of Judah;
  • Côco Dub;
  • Fome de Tudo;
  • Risoflora;
  • Hoje, Amanhã e Depois;
  • Manguetown;
  • Quando a Maré Encher;
  • Mormaço;
  • O Cidadão do Mundo;
  • Banditismo Por Uma Questao De Classe;
E agora fiquem com alguns vídeos clássicos da Nação pra sentir qual é a pegada do som deles.
Meu vídeo gravado no SESC
Meu Maracatú (PesaUma Tonelada) – do DVD Propagando
Prato de Flores – do DVD Propagando
%d blogueiros gostam disto: